Ryanair anuncia 20 voos por semana para Ponta Delgada
Diário dos Açores

Ryanair anuncia 20 voos por semana para Ponta Delgada

Previous Article Previous Article Houve menos acidentes de viação, menos vítimas mortais e menos feridos no ano passado na Região
Next Article TAP planeia 12 voos por semana para Ponta Delgada em Agosto TAP planeia 12 voos por semana para Ponta Delgada em Agosto

A Ryanair anunciou que, no Verão, vai realizar para Ponta Delgada quatro rotas (20 frequências semanais) e Terceira duas rotas (6 frequências semanais). 
Em Lisboa, a Ryanair terá 29 rotas com 200 voos semanais, no Porto as rotas serão 55, também com 200 frequências semanais. 
Já em Faro serão 26 rotas com 200 frequências semanais. 
A Ryanair anunciou ainda que vai abrir duas novas rotas para Portugal no verão, Lisboa-Colónia (com dois voos semanais) e Faro-Belfast (diário). 
A companhia de baixo custo prevê operar um total de 121 rotas para a Europa e 595 voos semanais durante a época alta.
A Ryanair diz que mantém-se empenhada em servir o mercado português, onde tem quatros bases, sublinhou o presidente Eddie Wilson, numa conferência de imprensa para o mercado português. 
Diz-se “optimista” em relação ao verão, diz que terá 121 rotas de e para Portugal, mas sublinha que a vacinação das populações é fundamental para o retorno da normalidade.

Queixas contra TAP e SATA

O gestor volta a ser crítico em relação ao auxílio de Estado à TAP - até Dezembro foram injectados 1,2 mil milhões de euros - e diz-se confiante de que irá sair vencedor nas queixas que tem colocado em Bruxelas, no tribunal europeu, contra as ajudas públicas, que considera discriminatórias. 
A TAP e a açoriana SATA foram alvo de queixas.
“Portugal é quem mais vai perder com isso (o apoio estatal à TAP) são os contribuintes portugueses. Nunca vão receber o dinheiro de volta. É como dar um doce a uma criança, eles voltam sempre para pedir mais”, defendeu Eddie Wilson. 
Esta decisão, afirma, vai “voltar para assombrar” os políticos que a tomaram. 
O gestor dá inclusive conselhos: “é uma pura perda de dinheiro. Os contribuintes portugueses deviam usar esse dinheiro para construir infraestruturas, hospitais”.
“As empresas privadas são mais do que capazes de preencher as lacunas”, argumentou o CEO da Ryanair, insistindo na ideia de que além de ser “discriminatório” e “errado” apoiar as empresas de bandeira, faz com que eles se tornem mais ineficientes. É como voltar aos anos 80. Os países ricos do norte, sublinha, já não têm companhias áreas de bandeira.
Eddie Wilson confirmou que a Ryanair apresentou queixa no Tribunal Geral da União Europeia contra a ajuda pública à TAP e à SATA, argumentando que esta decisão viola regras concorrenciais e de funcionamento do mercado interno, e pede a anulação dos apoios. 
O gestor disse estar confiante de que vai “ganhar” o processo.

Share

Print
Ordem da notícia56

Theme picker