Testagem massiva na freguesia da Achadinha: dois casos detectados ontem
Diário dos Açores

Testagem massiva na freguesia da Achadinha: dois casos detectados ontem

Previous Article Previous Article Começaram os Censos 2021
Next Article Fisco alerta para mensagens falsas a propósito do reembolso do IRS Fisco alerta para mensagens falsas a propósito do reembolso do IRS

Registaram-se mais 3 casos na ilha de São Miguel, todos no concelho de Nordeste (um na freguesia da Achadinha e dois na freguesia de Nordeste), resultantes de 558 análises realizadas. Todos os casos diagnosticados resultaram em contexto de transmissão comunitária.
Não houve nenhuma recuperação. No Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, 9 doentes encontram-se internados, estando 4 em Unidade de Cuidados Intensivos.
O arquipélago registou até à data de ontem 136 casos positivos activos: 135 em São Miguel (89 no concelho de Ponta Delgada, 21 no concelho do Nordeste, oito no concelho da Lagoa, sete na Ribeira Grande, nove em Vila Franca do Campo e um no concelho da Povoação) e um caso positivo activo na ilha de Santa Maria (na freguesia de Santa Bárbara, do concelho de Vila do Porto).  O número de vigilâncias activas é de 821.
Desde o início da pandemia que já foram realizadas nos Açores 399.171 análises para despiste da Covid-19, tendo sido diagnosticados 4.230 casos positivos e recuperado da doença 3.956 pessoas. Faleceram 30, saíram da do arquipélago 67 e 41 apresentaram prova de cura anterior. Foram extintas 199 cadeias de transmissão local.

Testagem massiva na freguesia da Achadinha: dois casos detectados ontem

Devido ao aumento de casos que se estão a registar no concelho do Nordeste, principalmente na freguesia da Achadinha, já com 14 casos, a Autoridade de Saúde Regional, juntamente com a Autoridade de Saúde Concelhia, decidiu que toda a população desta localidade seria testada. 
A operação de testagem que decorreu no dia de ontem, no Salão Paroquial da freguesia, teve início pela manhã. Em declarações ao Diário dos Açores, António José Medeiros, Presidente da Junta de Freguesia, referiu que até à hora do almoço, já cerca de 200 pessoas tinham sido testadas. A equipa de enfermagem que esteve a cargo das colheitas/testes, havia estimado a realização de 350 na sua totalidade. 
Mas dos 350 testes previstos, foram realizados 233 que resultaram em dois casos positivos.
Com a freguesia a registar um súbito aumento de casos na última semana, António José Medeiros referiu que já defendeu a existência de uma cerca sanitária na freguesia. “No princípio, defendi o encerramento dos estabelecimentos, bem como a testagem em massa da população. Agora, já é tarde. Havendo mais casos, é uma decisão que me ultrapassa.” Na sua opinião, os estabelecimentos não deveriam ter limite de horário de encerramento, neste caso às 15 horas, como se irá continuar a verificar no concelho do Nordeste ao longo desta semana, mas sim estar encerrados. “Quando começaram a surgir os primeiros casos, devia ter sido tudo fechado”, acrescenta.
António José Medeiros explica que a Junta se encontra “a dar todo o apoio possível às pessoas. Estamos atentos a quem se encontra em casa, por ter testado positivo, caso necessitem de alguma coisa, para que não lhes falte nada, desde medicamentos e alimentos. O telemóvel encontra-se ligado 24 horas por dia. Estamos disponíveis sempre que for necessária alguma coisa.  Refere que não existem casos de “famílias inteiras infectadas”. No entanto, as faixas etárias atingidas entre os 10/11 anos e 80 anos de idade, não se encontrando ninguém da freguesia entre os casos internados no HDES.

Discordância entre Autoridade de Saúde Regional e Delegado de Saúde do Nordeste

Em declarações à Antena 1 Açores, Teves Carreiro, Delegado de Saúde do concelho de Nordeste, referiu que este deveria ter cerca sanitária e “todas as freguesias deveriam ser testadas massivamente”. António Miguel Soares, Presidente da Câmara Municipal, concorda com as medidas que têm sido tomadas até à data: “entendo que é uma medida que tinha de ser tomada, mas poderia ser mais alargada”. De momento, 5 freguesias do concelho já registam casos positivos activos: 14 na Achadinha, 1 na Achada, 2 na Lomba da Fazenda, 3 em Nordeste e 1 em Santana.
Clélio Meneses, Secretário Regional da Saúde e Desporto, à RTP-Açores, explicou que a cerca sanitária não é plausível nesta fase. “Não se justifica qualquer cerca sanitária. Justifica-se quando existe um foco identificado de contaminação isolado, como aconteceu em Rabo de Peixe e em Ponta Garça. Neste momento, o vírus está espalhado pela ilha de São Miguel”. No entanto, admitiu uma testagem em massa à população de Nordeste. Toda a comunidade escolar vai ser testada entre o dia de hoje e Quinta-feira.
Após o fim de semana passado, em que foram aplicadas, na ilha de São Miguel, medidas mais restritivas, como a proibição de circulação entre concelhos e o recolher às 15h, as mesmas já foram levantadas.  No entanto, o concelho do Nordeste irá manter-se em Alto Risco, tendo as medidas previstas para este nível como o regime de teletrabalho, encerramento dos estabelecimentos, incluindo restauração, às 15 horas, e recolher às 20 horas, estando proibida a circulação até às 5 horas. 
Relativamente aos restantes concelhos de São Miguel, todos encontram-se em Muito Baixo Risco, com excepção de Ponta Delgada que está em Médio Alto Risco.

Açores receberam 23.400 doses de vacina da Pfizer-BioNTech

No dia de ontem, a Região foi fornecida com 23.400 doses da Pfizer-BioNTech, sendo que irá ser entregue metade ao Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira e outra ao Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada. Deste modo, continuará a decorrer o processo de vacinação das pessoas com mais de 75 anos de idade, bem como as que têm mais de 50 com patologias prioritárias da 1.ª fase de vacinação.
Para além deste primeiro fornecimento, o arquipélago irá receber mais dois: 17.550 doses de vacina da Pfizer-BioNTech e 18.500 doses de vacina da AstraZeneca. “O somatório dos dois fornecimentos da Pfizer-BioNTech vai permitir vacinar 20.475 pessoas, reservando-se igual número de doses para a 2ª inoculação, três semanas depois. Quanto às vacinas da AstraZeneca, o total de doses previstas para a Região, em Abril, vai permitir a reserva de 8.500 doses para as segundas inoculações referentes à vacinação realizada em Março último, destinando-se um total de 10.000 para primeiras inoculações.”
Neste mês de Abril, prevê-se então que todas as pessoas pertencentes à primeira fase de vacinação tenham pelo menos uma dose administrada.
No decorrer da 1.ª fase do Plano Regional de vacinação, desde 31 de Dezembro passado até ao dia 30 de Março corrente, 43.812 pessoas com mais de 15 anos já foram vacinadas no arquipélago (28.376 com a primeira dose - 14,01 por cento da população e 15.436 com a 2ª dose - 7,62 por cento da população).
 

Share

Print
Ordem da notícia77

Theme picker