Centenário do pintor Açoriano Victor Câmara celebrado no Teatro Micaelense
Diário dos Açores

Centenário do pintor Açoriano Victor Câmara celebrado no Teatro Micaelense

Previous Article Previous Article 28 novos casos positivos e nove recuperações
Next Article Prémio Literário Natália Correia galardoou o “melhor da produção poética em Língua Portuguesa da actualidade” Prémio Literário Natália Correia galardoou o “melhor da produção poética em Língua Portuguesa da actualidade”

A Fundação Sousa d´Oliveira e o Teatro Micaelense celebram, no dia 19 de Outubro, o centenário do nascimento do pintor açoriano Victor Câmara.
A comemoração, que decorrerá no Salão Nobre do Teatro às 18:30 horas, inclui uma exposição retrospectiva da sua pintura, com alguns quadros inéditos, a projecção do excerto de um programa televisivo sobre o pintor e uma palestra sobre a sua vida e obra, pelo professor Eduíno de Jesus.
A exposição retrospectiva estará aberta ao público entre os próximos dias 19 e 24 de Outubro na Sala Natália Correia, no Teatro Micaelense.
Este evento é apoiado pela RTP/Açores e pelo Conservatório Regional de Ponta Delgada.
Victor Câmara nasceu em Ponta Delgada, a 19 de Outubro de 1921. A sua pintura, figurativa, é essencialmente naturalista, se bem que tenha feito algumas incursões pelo surrealismo, patente nas suas “Descobertas das Ilhas”.
Nos anos 80 e 90 do século XX, ensaia também fugas ao figurativismo, mas sem atingir o abstraccionismo, das quais resultaram trabalhos de enorme expressão cromática e de grande vigor, como os “Festões” e as “melancias estouradas” ou as “Procissões”.
Em 1965, Victor Câmara radicou-se em Paço d´Arcos, onde continuou a pintar os Açores, a par de alguma paisagem marinha da costa de Cascais.
Retratou figuras do antigo regime e do actual, como Salazar, Rebelo de Sousa, Cavaco Silva e sua mulher, entre outros.  Expôs por duas vezes no Museu de Angra do Heroísmo e outras tantas no de Ponta Delgada, que contam com obras suas nos seus acervos.
A Câmara Municipal de Ponta Delgada concedeu-lhe o Diploma de Cidadão de Mérito e atribuiu o seu nome a uma rua da cidade e a Câmara Municipal de Oeiras atribuiu-lhe a Medalha de Mérito Ouro. Faleceu em Paço d´Arcos, em 1998.

Share

Print

Theme picker