Deputados pedem “retoma urgente” dos EUA para descontaminação  na ilha Terceira
Diário dos Açores

Deputados pedem “retoma urgente” dos EUA para descontaminação na ilha Terceira

Previous Article Previous Article Alojamentos turísticos nos Açores com perdas na ordem dos 35 milhões de euros
Next Article JS afirma que Orçamento Regional traz perigos para os jovens JS afirma que Orçamento Regional traz perigos para os jovens

A Assembleia da República pediu ao Governo que desenvolva “esforços” junto dos Estados Unidos para a “retoma urgente” da descontaminação de solos e aquíferos da ilha Terceira, afectados pela utilização da base das Lajes pelos norte-americanos.
Num texto aprovado por unanimidade, que resultou de iniciativas do PS e do PSD, os deputados recomendaram ao Governo “que desenvolva, este ano, todos os esforços para a urgente retoma da monitorização e de ações de limpeza e reabilitação, por parte dos EUA, em todos os locais identificados, promovendo e assegurando a efectiva descontaminação dos solos e aquíferos no Concelho da Praia da Vitória”, onde está instalada a base.
O Parlamento pediu ainda “reuniões periódicas, mensais, de peritos portugueses e norte-americanos para que se ultrapassem as dificuldades e os impasses identificados” e que seja apresentado “um plano em concreto para a descontaminação com medidas específicas, calendarização, financiamento e transparência”.
Os deputados pediram, por outro lado, medidas de prevenção de novos danos e riscos ambientais na ilha Terceira, nos Açores, por causa da utilização da base militar.
Em concreto, recomendaram que o Governo português “explore soluções, junto das autoridades norte-americanas, que permitam uma acção eficaz na vertente da prevenção de acidentes ambientais na Base das Lajes e assegure que qualquer nova intervenção ou construção de tanques de armazenamento e/ou tubagens [para combustíveis] deve garantir a introdução de um sistema de contenção secundária, sistemas inovadores de detecção de fugas ou sistemas de dupla protecção antifugas”.
Para os deputados, é também necessário melhorar a “informação e transparência” públicas sobre este “processo de descontaminação” e sobre o “reforço da segurança das infraestruturas de armazenamento de combustíveis na Base das Lajes”.
Neste contexto, pediram ao Governo que “disponibilize à Assembleia da República todos os documentos relacionados com a contaminação dos solos e aquíferos da Praia da Vitória solicitando, caso seja necessário, autorização diplomática ao Governo dos Estados Unidos da América para facultar a informação requerida” aos deputados.
A contaminação de solos e aquíferos na Praia da Vitória, provocada pelo armazenamento e pelo manuseamento de combustíveis e outros poluentes pela Força Aérea dos Estados Unidos na base das Lajes, foi identificada em 2005 pelos próprios norte-americanos e confirmada, em 2009, pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), que monitoriza desde 2012 o processo de descontaminação.
O processo de descontaminação, assumido pelos norte-americanos, está parado desde 2018.
Em Julho deste ano, os EUA comprometeram-se a realizar um estudo sobre os riscos para a saúde da população da contaminação, segundo revelou o Vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Artur Lima, após uma reunião da Comissão Bilateral Permanente do Acordo de Cooperação e Defesa entre a República Portuguesa e os Estados Unidos da América.
Na reunião anterior, em Dezembro de 2020, ficou acordado que os peritos norte-americanos e o LNEC fariam um estudo conjunto sobre a atual situação da contaminação de solos e aquíferos da ilha Terceira, cujas conclusões não são ainda conhecidas.
Recorde-se que este processo se arrasta há alguns anos.

Share

Print
Ordem da notícia237

Theme picker