Portugal continental e Açores colocados  em risco elevado para viagens
Diário dos Açores

Portugal continental e Açores colocados em risco elevado para viagens

Previous Article Previous Article Mais de 1 milhão de euros para os hospitais da Região investirem em tecnologias de Saúde e no programa Cirurge
Next Article Rafael Carvalho nomeado para os Azorean Business Awards Rafael Carvalho nomeado para os Azorean Business Awards

Portugal continental e os Açores foram colocados na categoria de risco elevado para Covid-19 no mapa do Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), que suporta decisões sobre viagens na União Europeia, juntando-se à Madeira.
Depois de, na semana passada, a Madeira ter recuado da categoria laranja para a vermelha neste mapa (que segue um sistema de semáforos), foi hoje a vez de Portugal continental e dos Açores verem a classificação piorada, passando para o vermelho, que significa risco elevado para a propagação da pandemia.
A categoria vermelho – na qual estão agora todas as regiões de Portugal – no mapa do ECDC significa que, nestas regiões europeias, a taxa cumulativa de notificação de casos de infeção nos últimos 14 dias varia de 75 a 200 por 100 mil habitantes ou é superior a 200 e inferior a 500 por 100 mil habitantes e a taxa de positividade dos testes é de 4% ou mais.
O mapa do ECDC combina as taxas de notificação de casos de Covid-19 nos últimos 14 dias, o número de testes realizados e o total de positivos, e é actualizado semanalmente, à Quinta-feira.
Nesta actualização, a Europa está praticamente toda coberta a vermelho e a vermelho-escuro, no dia em que ultrapassou as 1,5 milhões de mortes associadas à Covid-19 e quando vários países do continente estão a repor as restrições para tentar travar as contaminações recorde.
Este mapa da agência europeia segue um sistema de semáforos sobre a propagação da Covid-19 na UE, a começar no verde (situação favorável), passando pelo laranja, vermelho e vermelho escuro (situação muito perigosa).
Serve de auxílio aos Estados-membros sobre as restrições a aplicar às viagens no espaço comunitário.
Em Fevereiro passado, e devido ao elevado número de infecções com o coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, Portugal chegou mesmo a estar na categoria vermelho escuro dos mapas do ECDC, usada para zonas onde o vírus circula a níveis muito elevados.
Em meados de Junho, o Conselho da UE adoptou uma recomendação para abordagem coordenada nas viagens, propondo que vacinados e recuperados da Covid-19 não sejam submetidos a medidas restritivas como quarentenas ou testes.

Autorizada vacina para
crianças entre os 5 e 11 anos

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) autorizou, ontem, a vacina da Pfizer/BioNTech (Comirnaty) para crianças entre os 5 e 11 anos de idade. A diferença face aos maiores de 12 anos está na dosagem, sendo três vezes inferior. Para os 5-11 aprova 10 microgramas contra 30 microgramas nos adolescentes.
Em comunicado, a EMA explica que o comité de peritos concluiu que os benefícios de imunizar estas crianças superam os riscos, em particular nas crianças que apresentem comorbilidades associadas a risco acrescido para a covid.
 “O estudo em crianças de 5 a 11 anos mostrou que a resposta imunológica ao Comirnaty administrado numa dose mais baixa (10 microgramas - µg) neste grupo de idade foi comparável à observada com a dose mais alta (30 µg) no grupo dos 16 a 25 anos”, adianta a agência.
No referido ensaio clínico, que envolveu cerca de duas mil crianças, das 1305 que receberam a vacina “três desenvolveram Covid-19 em comparação com 16 das 663 crianças que receberam placebo”.
O que significa dizer, explicam, “que, neste estudo, a vacina foi 90,7% eficaz na prevenção de Covid-19 sintomático (embora a verdadeira taxa pudesse estar entre 67,7% e 98,3%)”.

Oito novos casos
e 24 recuperações

Nas últimas 24 horas de ontem  foram diagnosticados oito novos casos positivos de Covid-19, todos em S. Miguel, resultantes de 802 testes realizados.    
Por concelhos, foram registados cinco casos no Concelho de Ponta Delgada, um no Concelho da Ribeira Grande, um no Concelho de Nordeste e um noConcelho da Lagoa.
 À data de ontem havia três doentes internados, todos no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, um dos quais em Unidade de Cuidados Intensivos.    
Foram registadas 24 recuperações.
No decurso da investigação epidemiológica verificou-se que dois positivos activos abandonaram o arquipélago.
Assim, os Açores registavam ontem 285 casos positivos activos, sendo 219 em São Miguel, 25 na Graciosa, 19 em São Jorge, 18 na Terceira, três no Faial e um no Pico.
Desde 31 de Dezembro de 2020 e até 11 de novembro corrente, foram vacinadas nos Açores 175.199 pessoas com a primeira dose (74.0 por cento) e 195.775 com a vacinação completa (82,7 por cento), no âmbito do Plano Regional de Vacinação.
 Até esta data 9.095 utentes receberam o reforço da vacina (3ª dose).

Share

Print
Ordem da notícia258

Theme picker