Vozes do Norte Ribeiragrandense
Álvaro Feijó

Vozes do Norte Ribeiragrandense

Previous Article Previous Article Balancete sobre o 1º governo regional pluralista 3/3
Next Article Poeta Mário Machado Fraião  – homenagem no Arquipélago de Escritores Poeta Mário Machado Fraião – homenagem no Arquipélago de Escritores

Vem isto a propósito de um trabalho de elevada qualidade por uma das vozes mais conceituadas do Norte da Ilha de São Miguel que através do Porto de Santa Iria da Ribeirinha, Cidade da Ribeira Grande, consegue ensaiar e encenar um povoamento de realidades que nos leva à descoberta da verdadeira potencialidade que sempre foi a Ribeira Grande.
Veja-se os seus trabalhos mais recentes claramente a demonstrar os caminhos dificilmente percorridos para a Ribeira Grande atingir a categoria de Vila e depois de Cidade.
Os Ribeiragrandenses têm de estar atentos aos Valores que os preenchem e saber usá-los em momentos próprios da sua história.
O Doutor Mário Moura, tal como outros o fizeram a partir do século XV, descobriu a Baía de Santa Iria e nos seus estudos e pesquisa desbrava a terra a partir dali apresentando uma vasta história de factos e realidades que nos fazem partir para uma tomada de consciência e que nos levam a tirar ilações de certos comportamentos humanos em quem outrora confiamos e demos a mão mas, que pelo contrário, agora, nos obriga a repensar…
“Quem não se sente não é filho da boa gente”. É este sentimento que nos obriga a reflexão e debate subjectivos. Então, que conclusões tirar do tratado de Mário Moura e que recebe uma muito bem merecida e registada atenção do Director, Osvaldo Cabral, do conceituado Jornal Diário dos Açores?
Pensando nas razões que levaram à apresentação dos livros “Ribeirinha – Uma Viagem no Tempo” no ano 2017 e “Valores da Vida” neste ano corrente e juntando os desafios que Mário Moura lança, de logo, torna-se obrigação, também, acrescentar e fazer aumentar voz às vozes do norte. Porque no silêncio ela fez-se sentir em 02-02-2018 em carta oferta/convite ao ex-Presidente do Governo Regional dos Açores e, muito recentemente, ao actual    Presidente Doutor José Manuel Bolieiro em 06-11-2021 da mesma forma e com os mesmos objectivos.
Os dois livros que foram oferecidos e entregues à presidência do Governo são mensageiros da terra e sua gente em que a Ribeirinha da Cidade da Ribeira Grande é destacável protagonista. Neles está a voz de quem ama a sua comunidade e por ela junto com os seus representantes continuadamente reclamam neste caso um Património Histórico que não o quer perder e que é o Porto de Santa Iria.
É de louvar e homenagear duas fortalezas ribeiragrandenses que perceberam a influência daquele porto marítimo e por ele descobrindo a genética nortenha de um povo lutador, trabalhador, sacrificado… mas, que agora merece ser compensado pelos seus pedidos permanentes e persistentes de um lugar que lhes diz muito.
A Ribeirinha, o seu Povo e seus Representantes não mais esquecerão Mário Moura, Osvaldo Cabral, Jornal Diário dos Açores e tantas outras vozes silenciosas por tão oportuna dádiva em prol da dignificação de uma razão fortemente significativa e histórica.
Um muito bem-haja

Share

Print

Theme picker