“Prestação de cuidados no HDES nunca esteve em causa com  o ‘apagão’ informático”
Diário dos Açores

“Prestação de cuidados no HDES nunca esteve em causa com o ‘apagão’ informático”

Previous Article Previous Article Salário mínimo Açores passa para 740 euros a partir de 1 de Janeiro
Next Article Caravela-portuguesa avistada na praia das Milícias, em São Roque Caravela-portuguesa avistada na praia das Milícias, em São Roque

Pedro Soares, Ordem dos Enfermeiros

O Presidente do Conselho Diretivo Regional da Região Autónoma dos Açores, Pedro Soares, considera que “os utentes e a prestação de cuidados de enfermagem no HDES nunca estiveram em causa apesar do apagão informático. Para isto contribuiu a resiliência e profissionalismo dos Enfermeiros que, apesar das dificuldades causadas, conseguiram ultrapassar todos os obstáculos.”
Pedro Soares foi ouvido na Comissão dos Assuntos Parlamentares, tendo esclarecido que, “no passado, “houve claramente um desacelerar no investimento em termos de equipamentos, edifício e, claro, nos recursos humanos”, reforçando que tal desinvestimento se evidencia nas “condições do edifício, equipamentos obsoletos e claramente excesso de turnos extraordinários nos cuidados de enfermagem, muitas vezes levando a dotações inseguras em diversos serviços”.
Pedro Soares reforçou, contudo, que “esta pandemia veio mostrar que também temos coisas boas no Sistema Regional de Saúde, mas que temos muito a mudar, a construir, e o HDES sendo o hospital de referência na Região ao passar pela pressão por que passou, deixou bem patentes estas dificuldades”, salientando que, no que confere ao actual Conselho de Administração do HDES, “enquanto Ordem dos Enfermeiros temos tido uma relação muito próxima especialmente com a enfermeira-diretora e a sua equipa na Direcção de Enfermagem, uma relação que nos tem permitido criar pontes de entendimento no sentido de resolução de algumas questões urgentes de resolução”.
O Presidente do Conselho Diretivo Regional reconheceu “a dificuldade que é, nos tempos que correm, gerir as equipas de enfermagem, no entanto fico com o sentimento e certeza de que há uma estratégia e há pessoas competentes na Direcção de Enfermagem para ultrapassar estas questões. Temo, no entanto, um problema: não há enfermeiros para contratar”.
Em todo o caso, na sequência desta audição, Pedro Soares referiu que considera que o mais importante foi salvaguardado: Esta é já a terceira vez que a Secção Regional dos Açores da Ordem dos Enfermeiros é convidada a participar nesta comissão no actual mandato, sinal do contributo ímpar e da intervenção crítica que a Ordem tem actualmente na Região, enquanto regulador da profissão de enfermagem e como garante da qualidade dos cuidados prestados à população, acrescenta.
Para Pedro Soares, “participar nestes momentos é para nós muito importante, é uma forma de deixarmos a posição dos enfermeiros nos diversos assuntos que já nos trouxeram aqui e aproveitar a cada momento para deixar a nu alguns problemas que afligem a classe.
Estaremos sempre disponíveis para colaborar, só assim poderemos ajudar o nosso Sistema Regional de Saúde a crescer.”

 

Share

Print
Ordem da notícia284

Theme picker