Dormidas aumentaram 10,5% no 1º trimestre

Turistas PDL1 A hotelaria nacional registou 1,4 milhões de hóspedes e 3,7 milhões de dormidas em Março de 2017, a que corresponderam variações de 0,9% e -0,2% (8,6% e 8,2% em Fevereiro de 2017, respectivamente). 

As dormidas de residentes diminuíram 9,9% (+5,7% em Fevereiro), interrompendo a tendência crescente, enquanto as de não residentes desaceleraram para 3,7% (9,3% em Fevereiro).

Segundo dados do INE, em Março, observaram-se aumentos das dormidas na AM Lisboa (6,3%) e nas regiões autónomas dos Açores (10,8%) e da Madeira (3,1%). 

As dormidas distribuíram-se principalmente por AM Lisboa (29,2%), Algarve (27,3%) e Madeira (16,0%). 

 

Lisboa e Açores na frente

 

No conjunto dos três primeiros meses do ano, todas as regiões, com excepção do Alentejo, apresentaram crescimentos, com destaque para a AM Lisboa (12,8%) e Açores (10,5%). 

Em Março, as dormidas de residentes aumentaram apenas nos Açores (10,5%) e na AM Lisboa (1,2%). 

No conjunto dos primeiros três meses do ano, estas regiões foram também as únicas com evolução positiva (15,8% e 4,3%, respectivamente).

 

Açores lideram mercados externos

 

Os mercados externos apresentaram aumentos na maioria das regiões em Março, com realce para os Açores (11,1%) e AM Lisboa (7,9%). 

A estada média (2,67 noites) reduziu-se em 1,1%, com decréscimo mais notório no Alentejo (-8,7%) e na Madeira (-7,6%). 

O Algarve (10,4%) e os Açores (5,0%) foram as únicas regiões que apresentaram crescimento neste indicador.

 

Açores lideram aumentos nos proveitos

 

A maioria das regiões apresentou aumentos nos proveitos, com os Açores (21,3% nos proveitos totais e 19,7% nos de aposento) e a AM Lisboa (17,4% e 16,7%) a destacarem-se, enquanto o Alentejo apresentou decréscimos (-3,6% e -9,4%) e o Algarve teve diminuição de 2,0% nos proveitos de aposento.

 

Aumento de 10,5% nos Açores

 

O SREA divulgou também os números da região, revelando que, de Janeiro a Março de 2017, nos estabelecimentos hoteleiros da Região Autónoma dos Açores (hotéis, hotéis-apartamentos, apartamentos turísticos e pousadas) registaram-se 244,5 mil dormidas, valor superior em 10,5% ao registado em igual período de 2016.

De Janeiro a Março, os residentes em Portugal atingiram cerca de 138,0 mil dormidas, correspondendo a um acréscimo homólogo de 15,8%; os residentes no estrangeiro atingiram 106,,4 mil dormidas, registando um aumento em termos homólogos de 4,4%.

Neste período registaram-se 86,7 mil hóspedes, apresentando uma taxa de variação positiva de 10,3% relativamente ao mesmo período de 2016. 

As dormidas dos residentes em Portugal aumentaram 10,5% no mês de Março relativamente ao mês homólogo e aumentaram 15,8% de Janeiro a Março, comparativamente a igual período de 2016. 

As dormidas dos residentes no estrangeiro registaram um aumento de 11,1% no mês de Março e um aumento de 4,4% em termos acumulados. 

De Janeiro a Março, os residentes em Portugal atingiram cerca de 138,0 mil dormidas (56,5% do total) e os residentes no estrangeiro 106,4 mil (43,5% do total). 

 

Mercado alemão na frente

 

O mercado alemão com cerca de 35,3 milhares concentrou 14,4% do total das dormidas, representou por outro lado, 33,1% das dormidas dos não residentes em Portugal e registou uma variação homóloga acumulada de 38,5%. 

De Janeiro a Março, o mercado norte-americano (EUA e Canadá) com cerca de 27,4 milhares de dormidas representou 11,2% das dormidas totais e 25,8% das dormidas dos não residentes, apresentando uma variação homóloga acumulada de -8,2%.

Em termos de variações homólogas acumuladas, de Janeiro a Março, as ilhas que apresentaram variações homólogas positivas foram as ilhas das Flores, de São Jorge, de Santa Maria, de São Miguel, da Graciosa, do Faial e do Pico apresentaram respectivamente variações de, 133,7%, 20,0%, 15,9%, 13,2%, 12,0%, 11,9% e 8,6%.

 

S. Miguel com 67% das dormidas

 

A ilha de S. Miguel com 164,6 mil dormidas concentrou 67,3% do total das dormidas, seguindo-se a Terceira com 50,6 mil dormidas (20,7%) e o Faial com 10,4 mil dormidas (4,3%).

 Em Março, a taxa de ocupação-cama atingiu 38,1%, valor superior em 0,4 p.p. em relação ao mês homólogo do ano anterior. 

A taxa de ocupação-cama no país atingiu 39,8%.

A taxa de ocupação-quarto no mês de março atingiu 46,1%. A estada média foi de 2,96 noites, tendo registado um aumento de 5,3% em relação a Março de 2016. No país a estada média foi de 2,67 noites.

Os proveitos totais nos estabelecimentos hoteleiros, de Janeiro a Março de 2017, atingiram 9,6 milhões de euros, tendo os proveitos de aposento atingido, no mesmo período, 6,6 milhões de euros. 

Estes valores correspondem a variações homólogas positivas de 19,6% e de 17,4%, respectivamente; para o total do país em igual período, os proveitos totais e os de aposento apresentaram variações homólogas positivas de 13,5% e de 13,2%, respectivamente.

Em Março, os proveitos totais e os proveitos de aposento apresentaram variações homólogas positivas, respectivamente de, 21,3% e 19,7%. Para o total do país, estas variações são, respectivamente, de 9,9% e de 8,6%.

As ilhas de São Miguel, Terceira e Faial foram as que maior peso tiveram nos proveitos totais, respectivamente com 70,0%, 16,6% e 4,5%. 

 Em Março, o rendimento médio por quarto (Revenue Per Available Room) foi de 21,7 euros, apresentando uma variação homóloga positiva de 9,6%. 

De Janeiro a Março, o RevPAR foi de 16,9 euros, apresentando uma variação homóloga positiva de 7,8%.

No país, o RevPAR de Março e em termos acumulados foram respectivamente de 31,8 euros e de 27,2 euros.