BTL com resultados “muito produtivos” para a Picos de Aventura

picos de aventura - btl 2017 A representante comercial da empresa de animação turística Picos de Aventura, localizada em Ponta Delgada, salientou ao Diário dos Açores que a presença na Bolsa de Turismo de Lisboa 2017 tem tido bons resultados.
Cátia Chaves salientou que tem efectuado “muitos contactos internacionais e também com o mercado nacional que nos visita”.
“Os últimos dias de feira têm sido muito produtivos, já tivemos algumas reuniões muito interessantes com operadores estrangeiros e também já tivemos contactos com agências nacionais, com as quais acredito que vamos ter sucesso”, afirmou, acrescentando que o principal objectivo “é a angariação de novos parceiros para possível divulgação das nossas actividades noutros destinos”, sublinhou.
A Picos de Aventura foi uma das empresas em São Miguel que beneficiou da abertura do espaço aéreo nos Açores e consequente aumento do turismo.
“Enquanto que há alguns anos atrás, nós tínhamos uma época alta que seria de dois meses – de Junho a Setembro – agora já temos um volume considerável de trabalho desde a Páscoa até ao final de Setembro. Temos mais trabalho, durante mais tempo, o que é bastante bom, não só para a animação turística, mas também para a restauração, para a hotelaria. Temos um período de trabalho mais consistente que nos permite aguentar o resto do ano”, considerou.
Para 2017, comparativamente ao ano passado, a empresa tem também boas expectativas.
“As pessoas estão a fazer reservas com muita antecedência para prepararem as suas férias a tempo, para conseguirem fazer as actividades que querem e arranjar alojamento atempadamente”, frisou.
A questão do alojamento, segundo defendeu, é uma “questão sensível”, que merece atenção.
“Os Açores estão muito na moda. Todas as pessoas querem ir aos Açores, é um destino europeu relativamente barato e que oferece muita qualidade a quem nos visita. Isto está a levar a que exista muita procura e, na minha opinião, os hotéis mais centrais em Ponta Delgada ficam cheios. Há, a meu ver, necessidade de mais alojamento”, defendeu Cátia Chaves.
A responsável revelou ainda que, na BTL, têm recebido contactos da França, Polónia, Espanha e de Portugal.

Por: Alexandra Narciso