Parceiros sociais esperam processo de criação do CES “célere” e com “espírito democrático”

Camara comercio UGT FAAA Parceria para o Desenvolvimento Económico e Social dos Açores, que junta as Câmaras do Comércio dos Açores, a Federação Agrícola e a UGT-Açores, congratulou-se ontem com o acolhimento que mereceu, por parte do governo, a proposta de criação do Conselho Económico e Social (CES) que apresentou, esperando que “o processo legislativo seja célere e decorra com o mais elevado espírito democrático”.

“Não obstante a divergência registada quanto à forma de contemplar a representação laboral, temos a realçar o grande consenso obtido entre as partes nas demais matérias. Resta-nos apenas aguardar pela apresentação da proposta na Assembleia Regional”, referem os aprceiros sociais em comunicado.

O Governo Regional dos Açores avançou domigno que vai aprovar uma proposta para a criação do Conselho Económico e Social dos Açores, presidido por uma personalidade independente, eleita por maioria de dois terços na Assembleia Legislativa.

Os parceiros sociais manifestara ainda satisfação com o acolhimento que mereceu a proposta junto do PSD, “havendo aqui a registar a existência de consenso, mesmo quanto à questão da representação laboral, na proposta de diploma já apresentado na Assembleia Regional”.

O processo vai entrar no percurso legislativo, da competência dos deputados eleitos, a quem compete dar forma final às propostas apresentadas para consideração. 

Por outro lado, os parceiros sociais recordam que estão a decorrer “os trabalhos programados para a revisão do diploma que regulamenta o funcionamento dos Conselhos de Ilha mas nenhum avanço foi conseguido no que toca ao pacote fiscal, numa altura em que, a nível nacional, já são públicas iniciativas nesta matéria para o orçamento de 2018”.

“A parceria faz votos para que se possa tempestivamente abordar o pacote fiscal, uma iniciativa urgente para a competitividade da economia dos Açores”, concluem, na mesma nota.

 

Furnas recebe II Festival de Fibras Naturais

Lagoa das FurnasO Parque Natural de São Miguel promove o II Festival de Fibras Naturais na Área de Paisagem Protegida da Lagoa das Furnas. O evento decorrerá na margem sul da Lagoa, junto ao Centro de Monitorização e Investigação das Furnas, nos dias 16, 17 e 18 de Junho, entre as 10h00 e as 16h00.

O primeiro dia será destinado a actividades dirigidas a grupos educativos, nomeadamente alunos da Escola Secundária Domingos Rebelo e Escuteiros das Furnas, que participarão em workshops de miolo de figueira e capacharia em folha de milho.

Nos dias 17 e 18, para além da exposição de trabalhos artesanais, desenvolver-se-ão diversas oficinas práticas de elaboração de peças de artesanato regional a partir de fibras naturais. Este ano, para além dos habituais artesãos locais que trabalham em vime, o Festival destaca a presença da artesã faialense, Fátima Costa, com peças em miolo de figueira e a artesã local, Adelaide Costa, de Santa Bárbara, que realiza capacharia com folha de milho.

Este evento visa promover e reavivar o artesanato local, a partilha de conhecimentos e técnicas entre artesãos regionais, contribuindo desta forma para a preservação do património sócio-cultural açoriano. O Projecto de Recuperação Ecológica e Paisagística da Bacia Hidrográfica da Lagoa das Furnas reintroduziu as fibras naturais na paisagem das Furnas como um exemplo de sustentabilidade ecológica e de desenvolvimento local.

A iniciativa tem a parceria do Centro Regional de Apoio ao Artesanato (CRAA), das Juntas de Freguesia de Água Retorta e das Furnas e da Câmara Municipal da Povoação.

A entrada é livre e as inscrições poderão ser feitas no local dos workshops.

Açores com novo programa de prevenção tabágica “Domicílios e Carros sem Fumo”

cigarroO Secretário Regional da Saúde anunciou ontem um novo programa de prevenção da exposição de crianças ao fumo do tabaco, denominado ‘Domicílios e Carros sem Tabaco’, que será implementado no próximo ano lectivo e pretende atingir 2.500 crianças açorianas.

“Há estudos que provam que 33% das crianças estão sujeitas ao fumo dos pais”, frisou Rui Luís, acrescentando que foi decidido “avançar com este programa, que passa por uma intervenção junto das crianças do 4.º ano do Ensino Básico, com o objectivo de serem elas próprias a convencerem os pais a não fumar em casa e nos carros”.

Nesse sentido, serão realizadas acções de formação a cerca de 140 docentes por uma equipa da Direcção Regional de Prevenção e Combate às Dependências.

A implementação desta campanha será acompanhada de uma declaração de compromisso entre os pais e os filhos para a criação de ambientes sem fumo, além de folhetos e cartazes informativos.

Para assinalar o Dia Mundial Sem Tabaco, que ontem se comemorou, a Secretaria Regional da Saúde, através das Direcções Regionais de Prevenção e Combate às Dependências e da Saúde e do Centro de Oncologia dos Açores, promoveu a realização de iniciativas em todas as ilhas.

Assim, as Unidades de Saúde estiveram ao longo do dia em acções de rua a divulgar as consultas de cessação tabágica e a realizar avaliações dos valores de monóxido de carbono.

“No ano de 2016, tivemos cerca de 2.000 consultas e a perspectiva é que este ano aumentemos consideravelmente a disponibilidade de consultas para ajudar as pessoas a deixarem de fumar”, salientou o Secretário Regional.

A campanha regional de prevenção do consumo de tabaco passa também pela emissão de um ‘spot’ na RTP/Açores e pela divulgação nas redes sociais de um vídeo preventivo, da autoria do blogger Helffimed.

O mais recente Inquérito Regional da Saúde constatou que o consumo de tabaco nos Açores é superior ao que se regista a nível nacional, indicando que 27% da população açoriana, entre os 20 e os 74 anos, fuma diariamente, sendo que o consumo é mais prevalente nos homens do que nas mulheres.

Os dados revelam ainda que fumar na presença de outras pessoas, incluindo crianças, é hábito para 45% dos fumadores.

“Sextas Açorianas” levam ao foyer do Coliseu Micaelense artistas e música dos Açores

coliseu micaelenseNo âmbito da comemoração do 100º aniversário do Coliseu Micaelense, o projecto “Sextas Açorianas” insere-se na agenda cultural do mês de Junho e visa valorizar a música dos Açores e, ao mesmo tempo, projectar os artistas locais, num espaço emblemático e de fortes afinidades como é o foyer do Coliseu Micaelense.

Em formato café-concerto, de entrada livre, o projecto envolve, nesta primeira fase, cinco bandas musicais locais que difundem e partilham a sua música junto de um público que procura a identidade e a diferenciação na qualidade artística dos músicos regionais.

Conforme se pode ler na nota enviada às redacções, “depois do sucesso dos primeiros eventos, com o consagrado artista Luís Alberto Bettencourt, a 2 de Junho, e da banda The Code, a 9 de Junho, ambos com casa cheia, o projecto também inclui as participações de Vânia Dilac & the soulmates com “Meaning of the Blues”, a Banda.com e Sara Cruz, a 16, 23 e 30 de Junho, respectivamente”.

Segundo o Director-Geral do Coliseu Micaelense, esta iniciativa “é um dever público do Coliseu para com os artistas açorianos, dada a sua missão como uma casa de espectáculos versátil e para todos, sem excepção”. Acrescenta Miguel Brilhante que “estas são as primeiras cinco bandas de muitas que desejamos inserir neste projecto que, após dois concertos, já demonstrou ser uma aposta ganha não só na sua essência – a promoção dos nossos artistas – mas também na sua dinâmica cultural e turística, contribuindo claramente para a estratégia integrada que tem vindo a ser desenhada pelo município de Ponta Delgada presidido por José Manuel Bolieiro”.

“Sextas Açorianas” é um projecto em co-produção com a empresa local RCEventos, é de entrada gratuita, limitado aos lugares disponibilizados para o efeito.

Grémio Literário dedica sessão sobre vida e obra do escritor açoriano Onésimo Almeida

onesimo1Integrado no Ciclo de Literatura Portuguesa, o Grémio Literário realizou anteontem à noite, na sua biblioteca, em Lisboa, uma sessão dedicada à vida e obra do escritor e sócio do Grémio Literário, Onésimo Teotónio de Almeida.

A apresentação do autor açoriano ficou a cargo de João Maurício Brás, sendo os textos da obra do homenageado lidos por Luiza Costa. 

Recorde-se que Onésimo Teotónio Almeida, colaborador do “Diário dos Açores”, é doutorado em Filosofia pela Brown University (Providence, Rhode Island, EUA) e, na mesma universidade, é Professor Catedrático no Departamento de Estudos Portugueses e Brasileiros, de que foi director durante catorze anos. 

Fundou e dirige a editora Gávea-Brown, dedicada à edição em inglês de obras de literatura e cultura portuguesas e é co-editor do e-Journal of Portuguese History e de Pessoa Plural, ambas revistas electrónicas editadas em cooperação internacional e publicadas na Brown University. 

É colaborador do Jornal de Letras e entre as organizações a que pertence, é membro da direcção da PALCUS – PortugueseAmerican Leadership Council of the United States e Trustee do New Bedford Whaling Museum. 

Foi Vice-presidente do Rhode Island Council for the Humanities e da Associação Internacional de Lusitanistas.

 Foi eleito Membro da Academia Internacional de Cultura Portuguesa e da Academia da Marinha. 

Foi agraciado pelo Presidente da República e recebeu um doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Aveiro. 

A sessão no Grémio Literário contou com vários sócios e admiradores do escritor natural do Pico da Pedra, ilha de S. Miguel, onde puderam apreciar o discurso de Onésimo Almeida, seguindo-se um convívio entre os presentes e o homenageado.