Artigos

Termo de identidade e residência para culpado de acidente na Lagoa

acidenttO ex-candidato do PSD à Câmara de Lagoa, Açores, Gaspar Costa, envolvido num acidente que causou a morte de um jovem de 19 anos, ficou ontem sujeito a termo de identidade e residência, informou o seu advogado.
Gaspar Costa, despistou-se e embateu numa árvore, cerca das 02:15 de domingo, no centro da Lagoa, com uma taxa de 1,65 gramas de álcool por litro de sangue, num acidente que causou a morte de um jovem de 19 anos e feriu com gravidade uma rapariga da mesma idade.
O empresário foi ontem ouvido ao início da tarde no Tribunal de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.
Segundo o seu advogado, Ricardo Pacheco, o empresário “está sujeito a termo de identidade e residência” indiciado pela prática dos crimes de homicídio por negligência e condução sob efeito de álcool.
“O senhor empresário Gaspar Costa é arguido neste momento no processo. Está sujeito a termo de identidade e residência e vai aguardar os termos do processo”, disse aos jornalistas o advogado Ricardo Pacheco, também vice-presidentes do PSD/Açores.
De acordo com a agência Lusa, o advogado explicou que “o processo vai seguir os seus termos, nomeadamente a investigação” que “irá continuar”.
“Estamos numa fase muito incipiente do processo. Hoje [ontem] foi o interrogatório não judicial. O Ministério Público está a trabalhar de acordo com os mecanismos legais e as imposições legais, está a recolher elementos”, referiu, acrescentando que ontem foi “um dia importante”, já que o arguido “prestou declarações, exerceu o seu direito a tomar posição sobre os factos”.
Ricardo Pacheco sublinhou que “os factos são públicos” e que o seu cliente “assumiu a sua responsabilidade nos mesmos e tudo dependerá de uma análise ponderada e estudada”.
Os magistrados “seguramente tomarão uma decisão mais correcta em relação a este assunto”, sublinhou, frisando que o ex-candidato está “extremamente abatido” e “triste”.
Gaspar Costa retirou no próprio domingo a sua candidatura pelo PSD à Câmara de Lagoa, afirmando que não dispunha de “quaisquer condições para continuar a ser o candidato” à presidência da autarquia.
“Irei carregar, durante toda a vida, a responsabilidade pelo sucedido esta madrugada e lamentar para sempre a dor dos familiares e amigos dos envolvidos neste trágico acidente”, frisou, ainda num comunicado de imprensa.
O empresário, de 40 anos, tinha sido apresentado como candidato independente com o apoio do PSD à Câmara de Lagoa a 12 de Julho.
Ainda no domingo a Comissão Política Concelhia da Lagoa do PSD/Açores aprovou a candidatura de José Cabecinha à Câmara local, que era o número dois da lista à Câmara da Lagoa.