Artigos

Desemprego vai continuar a subir este ano para começar a descer no próximo ano, diz Sérgio Ávila

srgio-vila-alraO Vice-Presidente do Governo Regional dos Açores admitiu ontem, no parlamento açoriano, que o desemprego na Região vai continuar a subir em 2011 mas mostrou-se confiante que essa tendência será invertida já no próximo ano.
“Temos consciência que o desemprego irá continuar a crescer nos Açores durante o ano de 2011”, disse Sérgio Ávila, logo adiantando, porém, que o executivo tem a confiança e julga ter a “capacidade para já em 2012 começar a reduzir a taxa de desemprego” nas ilhas.
Sérgio Ávila prometeu ainda que o Governo Regional tudo fará, dentro das suas competências autonómicas e dos recursos regionais, para minimizar os efeitos na economia e no rendimento das famílias das medidas tomadas a nível nacional.
Este é um desafio importante que a todos nos deve convocar, assumiu o Vice-Presidente do Governo, adiantando que o Plano e o Orçamento para o próximo ano que já está a ser trabalhado têm esse objectivo também.
O governante registou ainda a circunstância desta ideia unir o PPM, o CDS/PP, o BE, o PCP, o PS e o Governo dos Acores, e disse esperar que “aqueles que ainda não compreenderam a urgência e emergência desta atitude um dia o venham a fazer, a bem dos Açores”.
Sérgio Ávila considerou também que não é bom para os Açores – até porque tal não é verdade – dizer-se, como o disse recentemente a líder do PSD/A, que os Açores não aproveitaram bem os recursos que estavam disponíveis.
“Dizer isso, é criar condições para que sejam retirados recursos da Região”, indicou o Vice-Presidente do Governo, advogando que este “é o momento para nós defendemos, independentemente de termos opiniões diferentes das opções estratégicas, a vitalidade, os valores e as razões da existência da autonomia”.
Ao contrário do que afirmou recentemente a líder do PSD/A, não é verdade que os Açores têm crescido menos do que a Europa, assegurou Sérgio Ávila. “Só nos últimos três anos (2007-2009), os Açores cresceram mais seis pontos percentuais que a média da União Europeia”, exemplificou o governante.
O Vice-Presidente do Governo garantiu ainda que, nos últimos 15 anos, os Açores cresceram mais 15 pontos percentuais que o conjunto dos 27 países da União Europeia e mais 16 pontos percentuais do que a média do País.
Conforme referiu, esta evolução “é um valor fundamental da nossa autonomia” e uma razão essencial para continuarmos a defender a afectação de recursos aos Açores, não só porque é justo mas também porque aplicamos correctamente esses recursos”.