Artigos

Pesca descarregada nos portos dos Açores com forte queda

pesca descarregada maio 19

A quantidade de pescado descarregado nos portos dos Açores está a provocar algum alarme entre os pescadores, devido à forte queda que se regista.

O SREA acaba de divulgar os números da Lotaçor, onde é possível verificar que, em Maio passado,  foram descarregados apenas 497.190 quilos de pescado, quando no mesmo mês do ano passado tinham sido 1.040.258 quilos.

Um armador disse ao nosso jornal que Maio do ano passado tinha sido “um mês excepcional porque já aparecia atum, mas este ano está difícil encontrar atum”.

Aliás, este tem sido o sentimento entre o sector, com pescadores a manifestarem alguma preocupação com a falta de peixe nesta altura do ano, ao contrário do que aconteceu no ano passado.

No conjunto deste ano, de Janeiro a Maio, já foram descarregados 1.984.028 quilos de pescado, quando no mesmo período do ano passado tinham sido 2.195.720 quilos.

Apesar desta preocupação, os pescadores esperam que Junho, Julho e Agosto sejam compensadores, porque são os meses que tradicionalmente trazem mais pescado.

Santa Maria, S. Miguel, Pico e Faial são as ilhas que registam as maiores quedas.

Apesar de tudo, em Janeiro, Março e Abril registaram-se aumentos na pesca descarregada, verificando-se o grande desequilíbrio agora em Maio.

Preços subiram mais em Maio

ipc maio 19A taxa de inflação média nos Açores subiu para 0,24%, revelou ontem o SREA.

A nível nacional situou-se nos 0,97%. A taxa de variação homóloga do mês de Maio, nos Açores, situou-se nos 0,54%, sendo a nacional de 0,42%.

A taxa de variação mensal foi de 0,26% nos Açores e 0,06% no país. 

Com efeito, taxa de variação média dos últimos doze meses, terminados em Maio, do Índice de Preços no Consumidor, “Total”, subiu para 0,24%. As maiores variações médias verificaram-se nas classes “Bebidas alcoólicas e tabaco”, “Hotéis, cafés e restaurantes”, “Transportes”, “Acessórios, equipamentos doméstico e manutenção corrente da habitação”, “Educação” e “Bens e serviços diversos” com taxas positivas, respectivamente, de 3,02%, 2,43%, 2,20%, 1,77%, 1,16% e 1,15%.

 

Hotéis, Cafés e Restaurantes em alta e Comunicações em baixa

 

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor, “Total” de Maio, situou-se nos 0,54%, subindo 0,38 pontos percentuais em relação à taxa divulgada no mês anterior.

A taxa mensal do índice de Maio “Total”, foi de 0,26%, descendo 0,84 pontos percentuais em relação ao mês de Abril. 

A classe “Hotéis, cafés e restaurantes” com 2,60%, foi a que mais se realçou no sentido da alta, enquanto no sentido da baixa tivemos a classe “Comunicações” com -2,61%.

A taxa mensal a nível nacional foi de 0,06.

Alojamento Local teve aumento de 79% em Abril

Alojamento local - placaNos Açores, no mês de Abril, o alojamento local registou 71,7 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 79,6%, revelou ontem o SREA.

De Janeiro a Abril de 2019, no alojamento local registaram-se 164,1 mil dormidas, valor superior em 66,3% ao registado em igual período de 2018.

De Janeiro a Abril, os residentes em Portugal atingiram cerca de 74,9 mil dormidas, correspondendo a um acréscimo homólogo de 59,2%; os residentes no estrangeiro atingiram 89,2 mil dormidas, registando um aumento em termos homólogos de 72,7%.

 

48 mil hóspedes até Abril

 

Neste período registaram-se 48,3 mil hóspedes, apresentando uma taxa de variação positiva de 70,8% relativamente ao mesmo período de 2018. 

De Janeiro a Abril a ilha de S. Miguel com 122,3 mil dormidas concentrou 74,5% do total das dormidas, seguindo-se a Terceira com 16,9 mil dormidas (10,3%), o Faial com 10,4 mil dormidas (6,3%) e o Pico com 7,4 mil dormidas (4,5%).

 

Inquérito começou em 2014

 

O SREA esclarece que o inquérito ao alojamento local foi realizado entre 2014 e 2017 pela DR do Turismo. 

Em 2018, a recolha foi realizada em conjunto pelo SREA e pela DRT, tendo sido transferida gradualmente para o SREA. Os dados com referência ao mês de Outubro e seguintes são integralmente recolhidos pelo SREA, resultando num aumento significativo da taxa de resposta. 

De Janeiro a Abril de 2019, a taxa de resposta alcançou os 95%, pelo que uma análise comparativa dos apuramentos de 2019 com os de 2018 terá que ter sempre isso em atenção, pelo motivo de neste inquérito não haver tratamento de não respostas. 

 

Turismo também cresceu no país

 

O sector do alojamento turístico (hotelaria (hotéis, hotéis-apartamentos, apartamentos turísticos, aldeamentos turísticos, pousadas e quintas da Madeira), alojamento local com 10 ou mais camas - de acordo com o limiar estatístico previsto no Regulamento UE 692/2011 - e turismo no espaço rural/de habitação) registou 2,3 milhões de hóspedes e 5,8 milhões de dormidas em Abril de 2019, correspondendo a variações de +9,1% e +9,5%, respectivamente (+4,2% e +0,7% em Março, pela mesma ordem). 

Segundo revelou ontem o INE, as dormidas de residentes cresceram 16,0% (+5,1% em Março) e as de não residentes aumentaram 7,1% (-0,9% no mês anterior), neste último caso reflectindo sobretudo a variação de turistas oriundos de Espanha.

Em Abril de 2019, a estada média (2,57 noites) cresceu 0,4% (+5,1% nos residentes e -1,1% nos não residentes).

A taxa líquida de ocupação-cama (48,7%) aumentou 1,9 p.p. em abril (-1,4 p.p. em Março).

Os proveitos aceleraram, tendo no total apresentado um crescimento de 9,6% (+3,7% em março) e atingido 331,5 milhões de euros. 

Os proveitos de aposento (245,0 milhões de euros) cresceram 10,3% (+1,9% em Março).

Estes resultados foram influenciados pelo efeito do período de férias associado à Páscoa, que este ano ocorreu em meados de Abril, enquanto no ano anterior teve influência repartida entre Março e Abril.

A mesma situação verificou-se nos Açores.

Solenidade do Corpo de Deus assinalada amanhã em toda a igreja diocesana

Corpo de Deus - povoaçãoOs açorianos, a par de toda a igreja, celebram amanhã a solenidade litúrgica do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, conhecida popularmente como Corpo de Deus. Uma celebração com raízes medievais, que é feriado nacional, e que convoca crentes de muitas localidades para a celebração da festa do Corpo de Deus, invocadora do “triunfo do amor de Cristo pelo Santíssimo Sacramento da Eucaristia”.

Na sede diocesana, em Angra, a catedral veste-se de festa para uma celebração às 18h00, presidida pelo bispo D. João Lavrador, seguida de procissão pelas principais ruas do centro histórico até à igreja de Santa Luzia. Integrar-se-ão na procissão todas as cruzes paroquiais da ouvidoria. Em Santa Luzia haverá a bênção do Santíssimo.

Também em Ponta Delgada, pelas 18h00 será celebrada uma eucaristia, presidida pelo ouvidor cónego José Medeiros  Constância. A procissão solene pelas principais ruas de Ponta Delgada será presidida pelo cÒnego Adriano Borges, Vigário Episcopal.

Os 18 estandartes e cruzes paroquiais das paróquias da ouvidoria estão convidadas a incorporar-se na procissão.

Em São Miguel, na ouvidoria da Povoação, o Dia de Corpo de Deus, feriado religioso reposto no calendário nacional há três anos depois de uma suspensão durante o período em que Portugal foi intervencionado por instâncias externas, coincide com o feriado municipal do concelho. Na Povoação, este é um dos dias mais importantes com as ruas a encherem-se de fiéis para uma das festas principais do concelho, com as varandas engalanadas e os inúmeros tapetes de flores que cobrem as ruas deste concelho micaelense que recebe neste dia as várias comunidades paroquiais que se incorporam na procissão, com a participação de todas as filarmónicas.

A celebração do Dia do Corpo de Deus tem um profundo enraizamento popular, desde logo porque está associada ao feriado municipal. Por isso, ao contrário de outros lugares o sermão é feito junto ao edifício da Câmara Municipal e aí é feita a bênção do Santíssimo.

Também na Horta, na Igreja do Santíssimo Salvador, às 18h00, será celebrada Missa Solene do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, com a presença do Clero, das Irmandades, Confrarias e Ordens Terceiras. Este ano a festa ganha um novo colorido com a celebração das bodas de prata da ordenação de um filho da terra: Monsenhor António Manuel Saldanha. Assim, o tríduo preparatório da festa iniciou-se a 17 de Junho. A Missa solene do Corpo de Deus, que integra também a homenagem ao sacerdote que vive em Roma e serve na Congregação da Causa dos Santos, começa às 17h30, seguida de procissão pelas principais ruas da cidade. Às 20h30 realiza-se um Jantar de Homenagem ao Mons. Saldanha no Centro Pastoral do Carmo.

Na Ouvidoria do Pico realizam-se seis procissões no dia da Solenidade do Corpo de Deus: na Zona Pastoral da Madalena há procissão na Matriz da Vila Madalenense, no Santuário do Senhor Bom Jesus, em São Mateus e na Paróquia da Candelária, este ano no Curato de Santo António do Monte. Na Zona Pastoral das Lajes haverá procissão na Matriz da Vila Lajense e em Santa Bárbara das Ribeiras. Na Zona Pastoral de São Roque na Matriz da Vila nortenha. Realce-se a tradição da feitura de tapetes de flores e verduras nos percursos das procissões, que saem à rua acompanhadas pelas filarmónicas locais.

Na ouvidoria da Graciosa, a festa é na Praia, com uma procissão única. Na Solenidade do Corpo de Deus quase todas as paróquias realizam a festa da primeira comunhão com as suas crianças da catequese.

A Solenidade Litúrgica do Corpo e Sangue de Cristo começou a ser celebrada há mais de sete séculos, em 1246, na cidade de Liège, na actual Bélgica, tendo sido alargada à Igreja latina pelo Papa Urbano IV através da bula ‘Transiturus’, em 1264, dotando-a de missa e ofício próprios.

Na origem, a solenidade constituía uma resposta a heresias que colocavam em causa a presença real de Cristo na Eucaristia, tendo-se afirmado também como o coroamento de um movimento de devoção ao Santíssimo Sacramento; terá chegado a Portugal provavelmente nos finais do século XIII e tomou a denominação de Festa de Corpo de Deus.

A “comemoração mais célebre e solene do Sacramento memorial da Missa” (Urbano IV) recebeu várias denominações ao longo dos séculos: festa do Santíssimo Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo; festa da Eucaristia; festa do Corpo de Cristo.

Esta solenidade “enraiza-se no Mistério Pascal de Cristo” e pretende oferecer a “valorização” da Ceia Pascal, continuada na Eucaristia, que por vontade de Jesus Cristo O tornaria presente junto dos seus discípulos.

Crescimento de 27% nas dormidas em todas as unidades turísticas

cama hotelNos Açores, no mês de Abril, no conjunto dos estabelecimentos hoteleiros, turismo no espaço rural e alojamento local, as dormidas atingiram 242,4 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 27,0%, anunciou ontem o SREA.

De Janeiro a Abril de 2019, no conjunto dos estabelecimentos hoteleiros (hotéis, hotéis-apartamentos, apartamentos turísticos e pousadas), do turismo no espaço rural e do alojamento local da Região Autónoma dos Açores registaram-se 610,8 mil dormidas, valor superior em 17,4% ao registado em igual período de 2018.

 

Mais residentes que estrangeiros

 

De Janeiro a Abril, os residentes em Portugal atingiram cerca de 338,7 mil dormidas, correspondendo a um acréscimo homólogo de 21,6%; os residentes no estrangeiro atingiram 272,1 mil dormidas, registando um aumento em termos homólogos de 12,6%.

Neste período registaram-se 202,7 mil hóspedes, apresentando uma taxa de variação positiva de 15,9% relativamente ao mesmo período de 2018.

No país, em Abril, as dormidas registaram um acréscimo em termos homólogos de 9,5% e de Janeiro a Abril de 2019 apresentaram uma variação homóloga positiva de 3,9%.

 

Terceira e Santa Maria em contraciclo

 

Em termos de variações homólogas acumuladas, de Janeiro a Abril, as ilhas da Graciosa, de São Miguel, das Flores, do Pico, do Faial e de São Jorge apresentaram variações homólogas positivas, respectivamente de, 35,1%, 26,3%, 23,1%, 17,1%, 11,3% e 11,1%. 

As ilhas de Santa Maria e da Terceira, apresentaram variações homólogas negativas, respectivamente de, 19,6% e 11,5%.

A ilha de S. Miguel com 449,9 mil dormidas concentrou 73,7% do total das dormidas, seguindo-se a Terceira com 86,3 mil dormidas (14,1%), o Faial com 30,0 mil dormidas (4,9%) e o Pico com 18,9 mil dormidas (3,1%). 

 

Crescimento de 12,7% nos hotéis

 

Na Região Autónoma dos Açores, no mês de Abril, os estabelecimentos hoteleiros registaram 166,7 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 12,7%. 

As dormidas dos residentes em Portugal aumentaram 17,5% e as dormidas dos residentes no estrangeiro registaram um acréscimo de 7,4%.

Os proveitos totais atingiram 8,1 milhões de euros e os proveitos de aposento 5,9 milhões de euros, correspondendo a variações homólogas positivas, respectivamente, de 16,9% e de 17,2%. 

De Janeiro a Abril de 2019, nos estabelecimentos hoteleiros da Região Autónoma dos Açores (hotéis, hotéis-apartamentos, apartamentos turísticos e pousadas) registaram-se 438,3 mil dormidas, valor superior em 5,4% ao registado em igual período de 2018.

De Janeiro a Abril, os residentes em Portugal atingiram cerca de 261,4 mil dormidas, correspondendo a um acréscimo homólogo de 13,6%; os residentes no estrangeiro atingiram 176,9 mil dormidas, registando uma diminuição em termos homólogos de 4,7%.

Neste período registaram-se 152,2 mil hóspedes, apresentando uma taxa de variação positiva de 5,0% relativamente ao mesmo período de 2018.

No país, em Abril na hotelaria, as dormidas registaram um acréscimo em termos homólogos de 8,0% e de Janeiro a Abril de 2019 apresentaram uma variação homóloga positiva de 3,1%. 

De Janeiro a Abril, os residentes em Portugal atingiram cerca de 261,4 mil dormidas (59,6% do total) e os residentes no estrangeiro 176,9 mil (40,4% do total).

 

Mercado dos EUA e Canadá cresce

 

De Janeiro a Abril, o mercado norte-americano (EUA e Canadá) com cerca de 52,9 milhares de dormidas representou 12,1% das dormidas totais e 29,9% das dormidas dos não residentes, apresentando uma variação homóloga acumulada de 16,0%. 

O mercado alemão com cerca de 44,0 milhares concentrou 10,0% do total das dormidas, representou por outro lado, 24,9% das dormidas dos não residentes em Portugal e registou uma variação homóloga acumulada negativa de 5,5%.

Em termos de variações homólogas acumuladas, de Janeiro a Abril, as ilhas que apresentaram variações homólogas positivas foram as ilhas da Graciosa, de São Miguel e do Pico, com variações respectivamente de, 34,6%, 13,3% e 5,6%.

As ilhas do Corvo, de Santa Maria, da Terceira, de São Jorge, do Faial e das Flores, apresentaram variações negativas respectivamente de, 37,2%, 28,1%, 16,8%, 7,9%, 3,5% e 3,0%.

A ilha de S. Miguel com 322,5 mil dormidas concentrou 73,6% do total das dormidas, seguindo-se a Terceira com 68,8 mil dormidas (15,7%) e o Faial com 18,7 mil dormidas (4,3%). 

 

Estada média aumentou

 

Em Abril, a taxa de ocupação-cama atingiu 52,5%, valor superior em 3,8 p.p. em relação ao mês homólogo do ano anterior. A taxa de ocupação-cama no país atingiu 48,7%. A taxa de ocupação-quarto no mês de Abril atingiu 60,0%.

A estada média foi de 3,07 noites, tendo registado um aumento de 5,9% em relação a Abril de 2018. No país a estada média foi de 2,67 noites. 

 

Turistas já deixaram cerca de 20 milhões de euros

 

Os proveitos totais nos estabelecimentos hoteleiros, de Janeiro a Abril de 2019, atingiram 19,8 milhões de euros, tendo os proveitos de aposento atingido, no mesmo período, 13,8 milhões de euros. 

Estes valores correspondem a variações homólogas positivas de 10,0% e de 9,1%, respectivamente; para o total do país em igual período, os proveitos totais e os de aposento apresentaram variações homólogas positivas de 6,1% e de 5,2%, respectivamente.

Em Abril, os proveitos totais e os proveitos de aposento apresentaram variações homólogas positivas, respectivamente de, 16,9% e 17,2%. Para o total do país, as variações foram respectivamente, de 8,2% e de 8,6%.

As ilhas de São Miguel, Terceira e Faial foram as que maior peso tiveram nos proveitos totais, respectivamente com 76,7%, 12,3% e 4,5%. Em Abril, o rendimento médio por quarto disponível (Revenue Per Available Room) foi de 39,7 euros, apresentando uma variação homóloga positiva de 12,8%. 

De Janeiro a Abril, o RevPAR foi de 24,0 euros, apresentando uma variação homóloga positiva de 5,5%.

No país, o RevPAR de Abril e em termos acumulados foram respectivamente de 46,2 euros e de 33,5 euros.

Em Abril, o rendimento médio por quarto utilizado (Average Daily Rate) foi de 66,2 euros.