Artigos

Funcionários da Empresa Municipal da Lagoa passam para os quadros da autarquia

lagoaO presidente da Câmara Municipal de Lagoa e a presidente do conselho de administração da Empresa Municipal de Lagoa, Elisabete Tavares, assinaram os acordos de cedência dos funcionários da Empresa Municipal à autarquia.
A razão, segundo nota da autarquia, “deve-se ao facto daquela empresa municipal se encontrar em fase de liquidação, um processo que começou em finais de Fevereiro, por deliberação da Assembleia Municipal. Trata-se de um processo de internalização da Empresa Municipal de Lagoa, que sofrerá, consequentemente, alterações legislativas”.
Até hoje, e por obrigação da Lei, deverá proceder-se aos acordos de cedência dos funcionários da Empresa Municipal de Lagoa para a autarquia, em que, com esta internalização, os funcionários são cedidos à autarquia, bem como os seus serviços.
Tal como referiu o autarca da Lagoa, “a lei determina que a partir de 1 de Agosto, há 12 meses para abrir concurso para os contratos a tempo indeterminado, em que esses funcionários terão de se submeter a todos os requisitos do concurso, embora a lei confira a estes trabalhadores a equiparação a trabalhadores já em funções públicas, para critério de prioridade sobre outros candidatos”. João Ponte garante que “tudo será feito para salvaguardar os postos de trabalhos destes funcionários que “em seu entender têm prestado um bom trabalho em prol do desenvolvimento do concelho de Lagoa.”

Antero Rego investe 700 mil euros no Banif

BanifO Banif fez segunda-feira um novo aumento de capital de 40,7 milhões de euros subscrito por 16 investidores.
“O Banif – Banco Internacional do Funchal, S.A. concluiu novo aumento do seu capital social, no montante 40.700.000 euros (quarenta milhões e setecentos mil euros), o qual passa agora a ser de 1.510.700.000 euros  (mil, quinhentos e dez milhões e setecentos mil euros)”, disse o banco em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), acrescentando que cada acção foi emitida a um cêntimo.
Antero Rego, do Grupo Ilha Verde, é o nome açoriano que consta da lista de investidores, tendo feito um investimento de 700 mil euros, em 70 milhões de acções.
O principal investidor neste aumento de capital é o empresário Ilídio Pinho, que subscreveu 13 milhões de euros através da IP Holding e outros dois milhões de euros através da Fundação a que dá o nome.
O grupo de construção civil madeirense AFA colocou sete milhões de euros, a brasileira IND Company Limited 4,5 milhões de euros e a madeirense Calhetas, SGPS três milhões de euros.

Associação de Turismo dos Açores vai apostar em mercados com “mais poder de compra”

Francisco Coelho - ATAA Associação de Turismo dos Açores (ATA) vai trabalhar na “consolidação” e “aposta” em novos segmentos “com mais poder de compra” para fazer face às quedas registadas nos fluxos turísticos para a região.
“A estratégia de promoção do turismo dos Açores é de consolidação e de aposta em segmentos com mais poder de compra. Não obstante, os últimos números [Maio] mostram um aumento de dormidas face ao período homólogo do ano passado”, refere o director executivo da ATA, Francisco Coelho, em declarações à agência Lusa.
Nos Açores, no mês de Maio, os estabelecimentos hoteleiros registaram 101,3 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 11,6 por cento, de acordo com os dados revelados pelo Serviço Regional de Estatística.
O director executivo da ATA, que assumiu funções há poucos meses, ressalva que o turismo dos Açores “continua o trabalho de promoção” nos mercados estratégicos definidos, nomeadamente Alemanha, Reino Unido, Holanda, Bélgica, Suíça, Áustria, EUA, Canadá, Noruega, Suécia, Dinamarca, Finlândia, França, Espanha e Itália.
“Continuar-se-á a trabalhar na consolidação do trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos anos, em particular juntos dos mercados estratégicos”, refere Francisco Coelho.
De acordo com o director executivo da ATA, o mercado nacional, apesar da crise com que é confrontado, “continuará a merecer” uma “especial atenção” por parte da associação.
“Para além disso, vamos proceder à identificação de novas oportunidades nos mercados emergentes, como é o caso da Rússia, Polónia, entre outros. Também se irá trabalhar a estruturação da oferta turística açoriana ao nível da promoção”, declara o dirigente da ATA.
Francisco Coelho deixa a mensagem de que as perspectivas para o verão em curso são as de “crescimento dos mercados internacionais” e as de “manutenção das dormidas” do mercado nacional face ao ano anterior.
Cabe à ATA, uma associação sem fins lucrativos, a promoção do turismo dos Açores no mercado nacional e internacional.
Na sequência de parcerias celebradas entre o setor público e privado, a ATA é a entidade responsável pela elaboração, apresentação e execução do Plano Regional de Promoção Turística dos Açores em parceria com a direcção regional de Turismo dos Açores.

Grupo brasileiro Orient vai explorar salas de cinema no Parque Atlântico

Parque Atlantico1As salas de cinema de dez centros comerciais da Sonae Sierra, encerradas desde Fevereiro, reabrem até final do ano segundo acordo alcançado entre aquele grupo português e os brasileiros Orient, que ficarão responsáveis pela sua exploração.
A informação, confirmada ontem à agência Lusa por fonte oficial do grupo Sonae Sierra, resulta de um acordo já celebrado com o grupo Orient, novo operador que vai passar a actuar no mercado português, para exploração das salas de cinema de dez centros comerciais, com a marca “Cineplace”.
É o caso do AlgarveShopping, do Centro Comercial Continente de Portimão, do Estação Viana Shopping, do LeiriaShopping, LoureShopping e do MadeiraShopping. Ainda as salas de cinema do Parque Atlântico, do Serra Shopping, do RioSul Shopping e da 8.ª Avenida.
“A abertura dos complexos nos dez centros comerciais irá ser faseada na medida em que os diferentes processos necessários para a sua abertura estejam concluídos, sendo objectivo das duas empresas ter todas as salas a operar até ao final de 2013”, sublinhou a Sonae Sierra.
Em causa está a decisão da exibidora Socorama Cinemas que, no final de Janeiro, encerrou as 49 salas de cinema que explorava em centros comerciais daquele grupo em todo o país.
A administração alegou 12 milhões de euros de dívidas a fornecedores e avançou com um pedido de insolvência, para tentar recuperar financeiramente a empresa.
Segundo a Sonae Sierra, o grupo Orient é “um importante operador” com presença no mercado brasileiro “há mais de 20 anos”, estando ainda a operar no mercado angolano há 6 anos, “sendo uma referência em qualidade, tecnologia e sinónimo de programação inteligente e bem elaborada”.
“O grupo é líder no mercado de exibição de filmes no nordeste do Brasil. Está entre as 20 maiores empresas do ramo no Brasil com uma presença constante no Box office das 5 maiores bilheteiras”, sublinha a Sonae Sierra.
O grupo Orient registou, em 2012, uma facturação global de cerca de 30 milhões de euros, com mais de 4,5 milhões de espectadores nas suas salas, e desde 2007 tem em curso um processo de internacionalização em África, que agora alarga a Portugal.
“É um operador com experiência, conhecimento da indústria e capacidade comprovada para operar com sucesso. Com este contrato, a Sonae Sierra reforça o seu empenho em proporcionar uma oferta comercial e de lazer diversificada em todos os seus centros comerciais”, explicou Cristina Santos, responsável pela gestão de centros comerciais da Sonae Sierra em Portugal.
Já o presidente do grupo brasileiro, Aquiles Mônaco, afirma que a entrada no mercado português representa “um importante passo na estratégia de internacionalização” da Orient, prevendo a introdução de “novas abordagens” no mercado nacional.

Termo de identidade e residência para culpado de acidente na Lagoa

acidenttO ex-candidato do PSD à Câmara de Lagoa, Açores, Gaspar Costa, envolvido num acidente que causou a morte de um jovem de 19 anos, ficou ontem sujeito a termo de identidade e residência, informou o seu advogado.
Gaspar Costa, despistou-se e embateu numa árvore, cerca das 02:15 de domingo, no centro da Lagoa, com uma taxa de 1,65 gramas de álcool por litro de sangue, num acidente que causou a morte de um jovem de 19 anos e feriu com gravidade uma rapariga da mesma idade.
O empresário foi ontem ouvido ao início da tarde no Tribunal de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.
Segundo o seu advogado, Ricardo Pacheco, o empresário “está sujeito a termo de identidade e residência” indiciado pela prática dos crimes de homicídio por negligência e condução sob efeito de álcool.
“O senhor empresário Gaspar Costa é arguido neste momento no processo. Está sujeito a termo de identidade e residência e vai aguardar os termos do processo”, disse aos jornalistas o advogado Ricardo Pacheco, também vice-presidentes do PSD/Açores.
De acordo com a agência Lusa, o advogado explicou que “o processo vai seguir os seus termos, nomeadamente a investigação” que “irá continuar”.
“Estamos numa fase muito incipiente do processo. Hoje [ontem] foi o interrogatório não judicial. O Ministério Público está a trabalhar de acordo com os mecanismos legais e as imposições legais, está a recolher elementos”, referiu, acrescentando que ontem foi “um dia importante”, já que o arguido “prestou declarações, exerceu o seu direito a tomar posição sobre os factos”.
Ricardo Pacheco sublinhou que “os factos são públicos” e que o seu cliente “assumiu a sua responsabilidade nos mesmos e tudo dependerá de uma análise ponderada e estudada”.
Os magistrados “seguramente tomarão uma decisão mais correcta em relação a este assunto”, sublinhou, frisando que o ex-candidato está “extremamente abatido” e “triste”.
Gaspar Costa retirou no próprio domingo a sua candidatura pelo PSD à Câmara de Lagoa, afirmando que não dispunha de “quaisquer condições para continuar a ser o candidato” à presidência da autarquia.
“Irei carregar, durante toda a vida, a responsabilidade pelo sucedido esta madrugada e lamentar para sempre a dor dos familiares e amigos dos envolvidos neste trágico acidente”, frisou, ainda num comunicado de imprensa.
O empresário, de 40 anos, tinha sido apresentado como candidato independente com o apoio do PSD à Câmara de Lagoa a 12 de Julho.
Ainda no domingo a Comissão Política Concelhia da Lagoa do PSD/Açores aprovou a candidatura de José Cabecinha à Câmara local, que era o número dois da lista à Câmara da Lagoa.