Artigos

Serviço Regional de Saúde emitiu 18 vales de saúde em 2011

hospitalO Serviço Regional de Saúde (SRS) dos Açores emitiu 18 vales de saúde em 2011 para a realização de cirurgias em unidades privadas, dos quais sete não foram aceites pelos utentes, com argumentos diversos.
Os dados constam de um relatório do Governo Regional sobre o primeiro ano de execução do vale de saúde, uma medida aprovada pela Assembleia Legislativa dos Açores com o objectivo de “contribuir para a redução das listas de espera em cirurgia de forma especialmente rápida e focada”.
Neste documento, entregue pelo executivo ao parlamento regional, são referidas várias causas para a rejeição do vale de saúde, entre as quais a “indisponibilidade [do utente] para efectuar” a intervenção na data proposta.
O facto de o médico que iria realizar a cirurgia não ser o mesmo que acompanharia o doente foi outra das razões alegadas.
Em 2011, o SRS emitiu nove vales de saúde para cirurgias em Ortopedia, quatro em Oftalmologia e cinco em Urologia.
As 11 intervenções realizadas ao abrigo desta medida representaram um investimento de cerca de 50 mil euros, atingindo um valor médio mais elevado (6.247 euros) na especialidade de Ortopedia.
Para o primeiro ano de aplicação do vale de saúde, o Governo Regional tinha prevista a possibilidade de financiar 54 cirurgias em Ortopedia, 19 em Oftalmologia e 13 em Urologia.
A criação do vale de saúde foi aprovada pela Assembleia Legislativa dos Açores em novembro de 2009, por proposta do CDS-PP, tendo a regulamentamentação necessária à sua aplicação sido publicada em agosto de 2010.
A implementação desta medida visa dar uma resposta “mais célere e eficaz àqueles casos que estão há demasiado tempo em lista de espera para cirurgia nos hospitais regionais”, refere o relatório sobre o primeiro ano de execução do vale de saúde.

Festas Sanjoaninas em Angra do Heroísmo pretendem recordar tradições

sanjoaninasAs Festas Sanjoaninas começaram ontem em Angra do Heroísmo, com um programa que se prolonga por nove dias e inclui, entre outras iniciativas, concertos, marchas populares, touradas, atividades desportivas e gastronomia.
Este ano, as festas têm como lema ‘Angra, Berço de Tradições’ e, nesse sentido, para além de celebrar o S. João, o programa pretende divulgar outras tradições locais, como o Carnaval, as festas do Divino Espírito Santo, as filarmónicas, o artesanato e as touradas à corda e de praça.
“Algumas estão mais focadas no desfile de abertura, outras vão ser abordadas de uma forma diferente no desfile etnográfico e outras vão ser divulgadas através de actividades nos próprios espaços das festas”, afirmou Isabel Mendes, presidente da comissão organizadora das Sanjoaninas, em declarações à Lusa.
Todos os anos, estas festas atraem milhares de pessoas às ruas de Angra do Heroísmo, muitas oriundas das comunidades de emigrantes nos EUA e Canadá, mas também do continente e de outras ilhas dos Açores.
Este ano, sobem ao palco principal das festas nomes como Paulo Gonzo, Aurea, Blasted Mechanism, Mickael Carreira, Zeca Sempre e Nu Soul Family, existindo ainda na cidade mais três palcos onde serão apresentados espetáculos de músicos regionais.
Isabel Mendes salientou, no entanto, que a música não é a única atracção das festas, defendendo que “as Sanjoaninas são únicas, peculiares e distinguem-se de outros eventos, precisamente pelas várias actividades que têm”.
“As Sanjoaninas são mesmo cultura, não é só um festival de verão”, frisou, acrescentando que “é muito engraçado ver a congregação de pessoas e as culturas que se conseguem reunir nas festas”.
Um dos pontos altos da festa é o Cortejo de Abertura, relacionado com o tema escolhido em cada ano, onde centenas de figurantes retratam aspetos da história e da cultura da Terceira, desfilando também o ‘séquito real’, composto por jovens do concelho.
A noite de 23 para 24 de Junho enche sempre as ruas da cidade para ver passar dezenas de marchas populares em homenagem a S. João, contando também com grande afluência de público as tradicionais touradas à corda e a feira tauromáquica, assim como as diversas tascas que servem comida típica da ilha.
As Sanjoaninas, financiadas em grande parte pela autarquia, são consideradas as maiores festas profanas dos Açores, apesar de, nos últimos anos, se ter verificado um corte significativo no orçamento devido à conjuntura, mas também por ter sido detetado um buraco financeiro de mais de um milhão de euros em 2009.
As festas são organizadas por uma comissão diferente em cada ano, sempre composta por voluntários, contando em 2012 com um orçamento de cerca de 600 mil euros, com exceção para os eventos de tauromaquia, cuja organização fica a cargo da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.

Vereadores do Partido Socialista não aprovaram nome de rua a Jaime Gama

jaime gamaNo dia 12 de Junho, a Câmara Municipal de Ponta Delgada apreciou a proposta nº 236 da Comissão Municipal de Toponímia, que visava atribuir a designação toponímica de “Rua Dr. Jaime Gama” ao arruamento compreendido entre a rotunda da Radial do Pico do Funcho e a Rua do Henriquinho.
A curiosidade foi que o vereador socialista Bruno Pacheco votou contra, alegando “razões pessoais”, enquanto que a vereadora Sónia Borges de Sousa se absteve, alegando que “por norma é uma atribuição a título póstumo”.
Jaime Gama é natural de Ponta Delgada, é um destacado membro do Partido Socialista e foi o segundo Presidente da Assembleia da República açoriano no período democrático.
A sua casa em Ponta Delgada foi queimada, alegadamente por acção da FLA.

Governo assinou Acordos Colectivos de Trabalho no âmbito da carreira médica

 miguel-correia-corO Governo Regional dos Açores assinou sexta-feira Acordos Colectivos de Trabalho na carreira médica que criam um incentivo remuneratório para aumentar a lista de utentes dos médicos de família e um regime de disponibilidade para o trabalho nas urgências.
“Conseguimos ultrapassar as divergências e chegar a dois bons acordos, quer para os profissionais médicos que trabalham no Serviço Regional de Saúde, quer para os açorianos”, afirmou Miguel Correia, secretário regional da Saúde, em declarações aos jornalistas em Angra do Heroísmo, na Terceira.
Miguel Correia falava no final da cerimónia de assinatura dos Acordos Colectivos de Trabalho com o Sindicato Independente dos Médicos e com o Sindicato dos Médicos da Zona Sul.
O secretário regional da Saúde salientou as principais novidades previstas nestes documentos, entre as quais a “criação de um incentivo remuneratório para o aumento das listas de utentes por parte dos médicos de família”.
“Temos 26 médicos especialistas de Medicina Geral e Familiar com horários de 35 horas e é precisamente para eles que se dirige este incentivo”, afirmou, acrescentando que cada médico poderá aumentar a sua lista até um máximo de 1.000 utentes.
Se todos aderirem a esta iniciativa, poderiam haver mais 26 mil açorianos com médico de família, mas a estimativa das autoridades regionais é que adiram 18 dos 26 médicos, o que permitirá que mais 18 mil açorianos tenham médico de família.
A outra novidade destes acordos é a “criação do regime de disponibilidade para todos os médicos que prestam trabalho na urgência”, que “fixa um valor mensal de 1.000 euros para os médicos que se disponibilizam para estar disponíveis, sendo que, quando é chamado e presta serviço na urgência, é remunerado como se fosse trabalho extraordinário”.
“O objectivo é pagar o trabalho extraordinário que for efectivamente prestado nas urgências, que é alternativo ao regime de prevenção”, afirmou Miguel Correia, para quem este novo sistema traz “mais justiça em relação às diferentes especialidades”, já que há umas que vão mais vezes às urgências do que outras.
Por seu lado, Jorge Cunha, do Sindicato Independente dos Médicos, considerou que sexta-feira “é um dia histórico”.
“Foi assinado um acordo que permite pensar que as carreiras médicas, com aquilo que implicam de exigência e de avaliação, vão contribuir para que o Serviço Regional de Saúde seja reforçado e os doentes sejam melhor tratados”, afirmou, acrescentando esperar que os resultados destas medidas sejam visíveis “daqui a dois ou três anos”.
Maria Pilar da Silva, do Sindicato dos Médicos da Zona Sul, também destacou a importância dos acordos hoje assinados, considerando que serão “um estímulo para os profissionais e para os responsáveis”.
Para esta dirigente sindical, “estando as regras definidas, vai ser sempre mais fácil”.

Concurso de Bandas “Rock-Play” arranca hoje no Fair Play

 rock playO Concurso “Rock-Play” tem início hoje no Bar Fair-Play, com o Concerto da Banda “Metalflow”. A Banda originária das Furnas abrirá assim uma sequência de sete semanas de música ao vivo, de onde sairão os finalistas que tocarão na Grande Final. A organização do Concurso tem ainda prevista a inclusão de duas noites extra, assim surjam mais inscrições nos próximos dias.
O “Diário dos Açores” foi tentar conhecer um pouco melhor os protagonistas desta primeira eliminatória.
Quem são os Metalflow?
Os Metalflow formaram-se a 19 de Maio de 2010. Os membros iniciais foram o Lucas Ferreira (voz e guitarra), Alexandre Melo (guitarra) e Alexandre Carreiro (bateria).
E como nasceu a ideia de formar uma banda?
Tudo começou na escola, todos os membros tinham gosto pela música e decidimos avançar para os ensaios. Demos os primeiros passos sem baixista definitivo, tendo convidado depois o Rodrigo Galante, baixista da banda Machinebliss, devido à falta de baixistas residentes nas Furnas. Mais tarde apareceu o Frederico Sousa, actual baixista da banda. A partir daí começámos a dedicar-nos exclusivamente aos covers com o objectivo de nos apresentarmos.
Onde ensaiam?
No Cine Teatro Vale Formoso, cedido pela Câmara Municipal da Povoação, a quem, desde já, agradecemos.
Que opinião têm sobre Concursos de Novos Talentos?
Este concurso vai ser o primeiro em que vamos participar, mas temos as melhores expectativas. Queremos agradar o público presente e divertirmo-nos ao máximo.
Têm tocado ao vivo?
Até agora, no bar “A Quinta”, e na “II Festa do Vale Formoso”, ambos nas Furnas.
Quais os vossos planos para um futuro próximo?
Continuar com a banda, manter a amizade, passar uma boa imagem da nossa terra e, assim tenhamos um espaço próprio, começar a trabalhar nos originais
Querem deixar uma mensagem aos Fans?
Esperamos que nos apoiem nos bons e nos maus momentos e que estejam sempre connosco.