Artigos

Taxa de ocupação atinge os 46% em Junho, com aumento das dormidas

urna de votoOs Açores apresentam nestas eleições autárquicas um total de 225.612 eleitores o que apresenta a particularidade de ser um total muito superior ao da população com mais de 18 anos a residir no arquipélago, de acordo com o Censos de 2011. Evidentemente que a população poderia ter crescido nesta proporção sem ninguém soubesse, mas o mais provável é que a limpeza dos cadernos eleitorais deve ter sido atrasada.
Trata-se dos tais “eleitores fantasma”, que este ano atingem os 17,4%. O mais provável é que não votem, mas podem!  Segundo uma reportagem do jornal SOL, Jorge Miguéis, director-geral da Administração Interna, entidade responsável pelas “limpezas”, refere que esse exagero diz respeito sobretudo a emigrantes que continuam recenseados em Portugal. “Estão recenseados os cidadãos que indicam como residência uma freguesia do território nacional, embora possam não viver cá 11 meses por ano”.
Por outro lado, admite que “haverá ainda um número relativamente curto de pessoas que já faleceram e que ainda não foram abatidos por insuficiência das fontes de informação”. Segundo Jorge Miguéis, “todos os países civilizados têm aquilo a que se chama abstenção-técnica – e que se pode traduzir também pelos eleitores-fantasma –, uma vez que não há sistemas informáticos perfeitos, e que ronda os 7 a 8% do total de eleitores”.
“Com a automatização do números de eleitores, em 2008, foi possível à administração eleitoral corrigir os dados e aproximar o número real de eleitores do número de residentes. Se isso não tivesse sido feito, o número de recenseados poderia já estar acima dos 11 milhões”, assegura o director-geral.
Nos Açores, o pior concelho a este nível é o da Povoação, que tem 6.327 eleitores e uma população de 4.936 habitantes com mais de 18 anos (ou seja, 28% de eleitores fantasma. Segue-se Santa Cruz da Graciosa com 24,7%, o Nordeste com 24,7% e Vila Franca com 22,5%. Ponta Delgada tem 19,4% de eleitores fantasma. O único concelho em que há menos eleitores do que população é o do corvo, com 98,6%.
ESTRANGEIROS
Estas eleições têm apenas 34 eleitores estrangeiros nos Açores, e 141 nacionais da União Europeia. Os Açores têm 0,23% dos eleitores estrangeiros e 1,19% dos eleitores da UE.

Quase 1 em cada 4 inscritos nos Centros de Emprego na situação de “ocupado”

desemprego2Quase 1 em cada 4 pessoas inscritas nos Centros de Emprego dos Açores está a na categoria de “ocupados”, que pela definição oficial são “Trabalhadores integrados em programas de emprego ou formação profissional, com excepção dos programas que visem a integração directa no mercado de trabalho”. Ou seja, nem todos os apoios do Governo entram nesta catalogação, mas o número começa a ser exorbitante, especialmente quando comparado com o resto do país, em que a média é de 14% (são 2,5% nos Açores).
De resto, a estratégia parece não estar a funcionar, porque esse valor continua a crescer significativamente. No espaço de um ano, o número de “ocupados” passou de 1.728 para 3.782 – ou seja, um crescimento de 118%, ou seja, para mais do dobro. Entre Maio e Junho, reflectindo a implementação do que o Governo chama de “Agenda Açoriana para a Criação de Emprego e Competitividade Empresarial”, o número de “ocupados” cresceu 590, o que é um aumento de 18,5%. Esse número posteriormente reflecte-se nos dados sobre o desemprego, que no 2º trimestre do ano baixou nos Açores, mas provavelmente apenas devido a estas ocupações. Aliás, o número de desempregados inscritos baixou 1,3%...
De acordo com os dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional, que divulga estes dados, nos Açores apenas 66% dos desempregados estão inscritos nos Centros de Emprego, enquanto que a nível esse valor atinge os 78%.

Governo gasta 3,6 milhões em comunicações

telefoneOs diversos serviços do Governo Regional dos Açores gastaram no ano de 2012 um total de 3,6 milhões de euros, de acordo com os dados contidos na Conta da Região desse ano. Uma vez que a Conta de 2012, publicada pela Direcção Regional do Orçamento e Tesouro, não contém a rúbrica da “Síntese da Despesa” desenvolvida pela classificação económica, tal como o mesmo documento relativo a 2011, não é possível comparar os dois anos directamente no documento. Mas de acordo com as nossas contas, trata-se de uma redução de 5,2% em relação aos 3,8 milhões registados no ano de 2011.
As Comunicações representam cerca de 5,9% da rúbrica “Aquisição de Bens e Serviços”, e constituem na realidade um dos itens mais caros.
Nada que se compare com os 9,6 milhões de euros gastos com “outros trabalhos especializados”, ou os 8,7 milhões de euros de “Publicidade” que foram gastos pelo Governo em 2012 (principalmente ao nível do Turismo), ou os 6,8 milhões em “estudos pareceres, projectos e consultadoria”. Mas os 3,6 milhões de euros são a 5ª rúbrica mais cara neste domínio.
Em média, cada funcionário público representou uma facturação em comunicações de 241 euros por ano, ou cerca de 20 euros por mês.
A secretaria que mais dinheiro gasta em comunicações é a da Educação, que inclui todas as escolas. Esta Secretaria gastou em 2012 cerca de 1,12 milhão de euros, o que representa 31% do total. Mas tendo em conta que é a que tem mais funcionários, cada um representou apenas 146 euros por ano em comunicações. Em termos de capitação, a mais cara foi a do Ambiente e Mar, com uma média de 1.230 euros por ano (qualquer coisa como 100 euros por mês). Essa Secretaria gastou um total de 399 mil euros em 2012. Segue-se a da Economia, com uma média de 744 euros por funcionário (a Conta manteve a anterior nomenclatura das Secretarias Regionais, apesar dela ter sido aletrada com a entrada em funcionamento do XI Governo no final do ano).
O total deverá ser maior, uma vez que não existem dados para a Secretaria da Saúde, que funciona com empresas de capital público. É por isso que os serviços  na dependência desta secretaria apenas gastaram 44,5 mil euros (o que a dividir pelo total de funcionários, o que inclui os dos hospitais, dá uma capitação extremamente baixa, mas falsa).

comunicacoes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LISTA DAS COMUNICAÇÕES, por serviços

 

Gabinete Do Presidente E Secretaria-Geral 107.068,1
Direcção Regional Da Cultura 90.602,2
Direcçao Regional Da Juventude 37.609,7
Direccao Regional Das Comunidades 33.785,8
Secretario Regional Da Presidencia 10.201,2
Museu Carlos Machado 8.549,5
Biblioteca Publica E Arquivo Regional De Ponta Delgada 5.603,4
Cooperação Externa E Migrações 5.592,9
Biblioteca Pública E Arquivo Regional João José Da Graça 3.615,0
Museu De Angra Do Heroísmo 3.299,7
Museu Do Pico 3.118,4
Biblioteca Publica E Arquivo De Angra Do Heroismo 2.784,1
C.C.Gab.Subsc.Reg. Dos Assuntos Europeus E Cooperação Externa 2.484,7
Museu Da Horta 2.436,9
Museu Da Graciosa 1.829,6
Museu Francisco De Lacerda 1.626,9
Museu Da Santa Maria 1.540,5
Museu Das Flores 893,3
   
   
Gabinete Do Vice-Presidente - Pdl 261.571,6
Gabinete Do Vice-Presidente - Ah 23.568,0
Direcção Regional Do Orçamento E Tesouro 11.610,2
C C Dir. Reg. Organizaçao E Administraçao Publica 1.528,7
Centro Comum Direcção Reg. Planeamento E Fundos Estruturais 4.960,7
Serviço Regional De Estatistica Dos Açores 2.905,4
Inspecção Administrativa Regional 198,0
Administração Pública, Planeamento E Finanças 23.093,4
Administração Pública, Planeamento E Finanças 16.592,3
   
   
Gabinete Do Secretario Regional Da Educação E Formaçao 17.634,5
Direcção Regional Da Educação 596.696,7
Ebi De Angra Do Heroísmo 28.200,0
Escola Ebs Tomas De Borba 25.900,0
Ebi Da Praia Da Vitória 22.200,0
Escola Básica Integrada De Capelas 22.000,0
Eb 3/S Antero De Quental 19.800,0
Ebi Canto Da Maia 18.106,7
Eb 3/S Da Ribeira Grande 16.659,0
Escola Basica Integrada/S Da Povoação 14.792,0
Escola Básica Integrada De Arrifes 14.600,0
Escola Básica Integrada Da Lagoa 14.570,0
Escola Basica Integrada Da Horta 13.924,6
Escola Basica Integrada/S Da Graciosa 13.229,0
Ebi/S De Nordeste 13.212,8
Ebi Roberto Ivens 13.100,0
Escola Básica Integrada Da Ribeira Grande 13.000,0
Escola Basica Integrada De Ginetes 12.650,0
Eb 3/S Domingos Rebelo 11.775,5
Ebi/S De Vila Franca Do Campo 11.505,0
Escola Básica Integrada De Rabo De Peixe 11.500,0
Eb 3/S Das Laranjeiras 10.030,0
Escola Basica Integrada Da Maia 9.900,0
Ebi/S De Santa Maria 9.650,0
Escola Basica Integrada/S Das Lajes Do Pico 9.450,0
Escola Basica Integrada/S De Velas 9.175,0
Escola Secundaria Da Lagoa 9.168,0
Eb 3/S Padre Jerónimo Emiliano De Andrade 8.743,0
Eb 3/S Dr. Manuel De Arriaga 8.700,0
Escola Basica Integrada/S Da Madalena 8.333,3
Escola Basica Integrada De Biscoitos 7.708,0
Eb 3/S Vitorino Nemésio 7.518,8
Escola Basica Integrada De Ponta Garca 7.432,2
Escola Basica Integrada/S De Calheta 7.011,0
Escola Basica Integrada/S De São Roque Do Pico 6.410,0
Escola Basica Integrada/S Das Flores 5.870,0
Conservatório Regional De Ponta Delgada 4.980,0
Escola Basica Integrada Francisco Ferreira Drumond 3.135,0
Escola Basica Integrada Mouzinho Da Silveira 2.884,7
Escola Basica Integrada De Agua De Pau 2.717,0
Escola Basica Integrada Do Topo 2.414,0
   
Direcção Regional Do Desporto 47.691,1
Serviço De Desporto De Sao Miguel 9.100,0
Serviço De Desporto Da Terceira 5.200,0
Serviço Do Desporto Do Faial 1.075,0
Serviço Do Desporto Do Pico 1.247,7
Serviço Do Desporto De Santa Maria 673,5
Serviço Do Desporto De Sao Jorge 1.008,9
Serviço Do Desporto Da Graciosa 739,4
Serviço Do Desporto Das Flores 743,8
Inspecçao Regional Da Educaçao 3.338,0
   
   
Secretaria Regional Da Economia  Gabinete Do Secretário 40.025,5
Serviços De Ilha 10.255,6
Centro Regional De Apoio Ao Artesanato 535,1
C C Dir. Reg. Apoio Ao Invest. E A Competitividade 47.118,3
Direcção Regional Dos Transportes Aereos E Maritimos 7.470,6
Direcção Regional Do Turismo 35.232,6
Delegações De Turismo 19.993,7
Desenvolvimento Do Turismo 72,8
Fomento Da Competitividade 45.379,9
Desenvolvimento Dos Transportes Aereos 6.039,3
   
   
Secretaria Regional Do Trabalho E Solidariedade Social  Gabinete Do Secretário 8.729,5
Inspecçao Regional Das Actividades Economicas 11.706,6
Drtqpdc 98.698,0
Inspecçao Regional Do Trabalho 7.201,0
Direcção Regional Da Habitaçao 46.234,0
C C Da Dir. Reg. Solidariedade E Seg. Social 1.388,5
Serviço De Acolhimento De Doentes Em Lisboa 2.449,4
Qualificaçao Profissional E Defesa Do Consumidor 107.247,8
Qualificaçao Profissional E Defesa Do Consumidor 2 5.511,3
Desenvolvimento Do Sistema De Solidariedade Social 4.711,2
   
   
Secretaria Regional Da Saude C C Do Gabinete Do Secretario 17.140,4
Inspecção Regional De Saude 1.187,8
C C Da Direcçao Regional Da Saude 977,0
C C Dir Reg Prevençao Combate As Dependencias 2.118,3
Desenv. Infra-Estruturas E Do Sistema De Saude 722,1
Gabinete Do Secretário 22.416,8
   
   
Secretaria Regional Da Agricultura E Florestas 13.099,3
Serviço De Desenvolvimento Agrário Da Terceira 6.696,9
Serviço De Desenvolvimento Agrário Do Faial 4.092,6
Serviço De Desenvolvimento Agrário De Santa Maria 3.468,3
Serviço De Desenvolvimento Agrário De São Jorge 5.308,8
Serviço De Desenvolvimento Agrário Da Graciosa 2.881,9
Serviço De Desenvolvimento Agrário Do Pico 7.547,3
Serviço De Desenvolvimento Agrário Das Flores E Corvo 3.693,0
Estais Comum Da Direcção Regional Dos Recursos Florestais 9.804,7
Serviço Florestal De Ponta Delgada 884,9
Serviço Florestal De Nordeste 3.318,3
Serviço Florestal Mde Santa Maria 540,7
Serviço Florestal Da Terceira 4.340,7
Serviço Florestal Da Graciosa 189,9
Serviço Florestal De São Jorge 1.827,4
Serviço Florestal Do Pico 4.976,3
Serviço Florestal Do Faial 2.538,7
Serviço Florestal Das Flores E Corvo 1.594,5
Direcção Regional De Desenvolvimento Agrario 8.555,1
Direcçao De Serviços De Veterinaria 140,8
Direcçao De Serviços De Agricultura E Pecuaria 3.238,7
C C Dir. Reg. Assuntos Comunitarios Agricultura 14.105,1
Aumento Da Competitividade Dos Sectores Agrícola E Florestal 14.775,1
Aumento Da Competitividade Dos Sectores Agrícola E Florestal 2 29.857,7
Aumento Da Competitividade Dos Sectores Agrícola E Florestal 3 179.538,6
Aumento Da Competitividade Dos Sectores Agrícola E Florestal 4 1.706,8
Aumento Da Competitividade Dos Sectores Agrícola E Florestal 5 29,2
Valorização Do Mundo Rural 28.801,5
Valorização Do Mundo Rural 38.702,7
Valorização Do Mundo Rural 16.368,0
Valorização Do Mundo Rural 672,3
   
   
Secretaria Regional Do Ambiente E Do Mar Gabinete Do Secretario 26.161,8
Gabinete Do Subsecretário Regional Das Pescas 46.835,8
Direcção Regional Da Energia 5.299,0
Direcção Regional Dos Assuntos Do Mar 957,5
Direcção Regional Do Ambiente 12.067,0
Inspecção Regional Do Ambiente 409,2
   
Modernizaçao Das Infra-Estruturas E Da Actividade Da Pesca 3.482,0
Ordenamento Do Território, Qualidade Ambiental E Energia 3.094,3
Ordenamento Do Território, Qualidade Ambiental E Energia 227,8
Ordenamento Do Território, Qualidade Ambiental E Energia 140.481,3
Ordenamento Do Território, Qualidade Ambiental E Energia 140.481,3
Ordenamento Do Território, Qualidade Ambiental E Energia 598,9
Ordenamento Do Território, Qualidade Ambiental E Energia 4.357,6
Ordenamento Do Território, Qualidade Ambiental E Energia  
Ordenamento Do Território, Qualidade Ambiental E Energia 14.250,6
   
   
Secretaria Regional Da Ciência, Tecnologia E Equipamentos - Ciencia, Tecnologia, Sistemas De Informação E Comunicações 47.801,4
Rede Viaria Regional, Transportes Terrestres E Equipamentos Colectivos 1.700,0
Gabinete Do Secretário Ciência, Tecnologia E Equipamentos 353.766,1
Delegação Da Ilha De Santa Maria 3.152,4
Delegação Da Ilha Terceira 10.236,1
Delegação Da Ilha Graciosa 1.302,9
Delegação Mda Ilha De S. Jorge 3.348,7
Delegação Da Ilha Do Pico 4.285,9
Delegação Da Ilha Do Faial 7.452,2
Delegação Das Ilhas De Flores E Corvo 2.310,2

Executivo diz-se satisfeito com redução do desemprego

seta a descerO vice-presidente do Governo Regional dos Açores registou ontem com “satisfação” a redução da taxa de desemprego nos Açores, nos últimos três meses, mas frisou que os dados devem ser vistos com “muita precaução”, porque “ainda existem muitos açorianos desempregados”.
“É com satisfação que tivemos conhecimento que, de acordo com os dados hoje [ontem] divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), nos Açores, nos últimos três meses, registou-se uma redução da taxa de desemprego; conseguimos que mais 1.795 açorianos passassem a ter emprego e que, no mesmo período, menos 944 açorianos estejam desempregados”, disse Sérgio Ávila, segundo a agência Lusa.
O vice-presidente do Executivo açoriano falava na cerimónia de apresentação do Programa de Estabilização de Emprego – PEE e de assinatura de um protocolo com instituições bancárias.
Os dados do INE indicam que no primeiro trimestre deste ano a taxa de desemprego no arquipélago açoriano situava-se nos 17,0% e caiu para os 16,1% no segundo trimestre.
No segundo trimestre de 2012, a taxa de desemprego nos Açores era de 15,6%.
Sérgio Ávila disse que os mais recentes dados do INE “são boas notícias para os Açores”, que “motivam para reforçar a implementação da estratégia” do Governo Regional de “criação de emprego, com a certeza de que ainda temos muito trabalho pela frente”.
Em declarações aos jornalistas, à margem daquela cerimónia, Sérgio Ávila lembrou que os números foram ontem conhecidos referem-se ao período de Abril até Junho, salientando que “não é com um trimestre que devemos (…) ficar com euforias”.
“Devemos registar os dados com confiança, mas também com muita precaução, porque ainda existe muito trabalho pela frente, porque ainda existem muitos açorianos desempregados”, acrescentou.
A taxa de desemprego em Portugal foi de 16,4% no 2.º trimestre, 1,3 pontos percentuais abaixo do trimestre anterior, mas mais 1,4 pontos percentuais do que no mesmo período de 2012, estimou o Instituto Nacional de Estatística.
O valor dos Açores é 2ª mais baixa redução do país, onde a quebra foi de 7,34%, nos Açores 5,3% e em Lisboa 1,03%.

Saúde com execução no 1º semestre de 60% do que tem para gastar em 2013...

notasNo primeiro semestre do ano, a Secretaria Regional da Saúde atingiu uma taxa de execução da sua despesa de 59,6%. É a única secretaria que atinge esses valores e mais nenhuma chega sequer aos 45%, enquanto que a média de toda a despesa regional revela uma execução de apenas 35,7%.
Os dados estão contidos no Boletim de Execução Orçamental do Governo Regional. Recorde-se que a Secretaria Regional de Saúde tinha sido alvo de um reforço significativo das suas verbas no Orçamento de 2013, que passaram de 284 milhões de euros para 320,7 milhões – um crescimento de quase 13%, colocando aquela secretaria como a que tem maior peso na despesa, com cerca de 29,8% do total orçamentado.
No final do 1º semestre, a Secretaria da Saúde era responsável por 38% da execução da Despesa Efectiva, o que está bastante acima do seu peso no orçamento, que era de 22.9%.
Apesar das verbas da Saúde constarem da rúbrica “transferências”, trata-se na realidade do custo do sector, uma vez que se destinam ao funcionamento das empresas hospitalares e da Saudaçor (o que não acontece com as restantes Secretarias).
Refira-se que o peso das despesas de capital, normalmente ligadas ao Plano de Investimentos, no caso da Saúde revela uma taxa de execução de apenas 6,4%, quando o Investimento atinge 13,3% do total da despesa desta secretaria.
Significará esta elevadíssima taxa de execução que os problemas com o financiamento da Saúde voltarão no final do ano? Ainda é cedo para o prever, mas o facto é que até Junho, a Secretaria da Saúde gastou uma média de 31,8 milhões de euros por mês, enquanto que para o 2º semestre, o montante que resta do valor orçamentado é de 21,6 milhões de euros (menos cerca de 10 milhões de euros por mês). No 1º semestre, a Saúde representou uma despesa mensal sumerior a 1 milhão de euros por dia!