Artigos

Bensaude Hotels Collection ganha Certificação Travelife nível Gold

Hotel Marina Atlântico - grupo bensaudeA Bensaude Hotels Collection acaba de alcançar a Certificação Travelife, nível Gold das oito unidades hoteleiras do Grupo, assumindo-se como pioneira nos Açores com esta certificação internacional.

A Travelife é uma certificação desenvolvida especificamente para a indústria do turismo e é reconhecida pelo GSTC – Global Sustainable Tourism Council.

Conta com mais de 1.500 hotéis certificados em mais de 50 países.

Em Portugal, existem 54 hotéis com esta Certificação - onde se inclui o Hotel Açores Lisboa - e nos Açores apenas os sete hotéis da Bensaude Hotels Collection detêm esta insígnia. A Travelife é uma iniciativa pioneira na certificação de empresas na área do turismo, empenhadas em contribuir para o desenvolvimento sustentável, nas suas várias vertentes (Social, Económica, Ambiental).

Recorde-se que a Bensaude Hotels Collection já havia assumido a sua aposta na Sustentabilidade Ambiental, Social e Económica, tendo certificado duas das suas unidades segundo a norma NP EN ISO 14001 e Registo no Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria (EMAS), desde 2004, sendo os primeiros hotéis do país a obter estas distinções.

Em 2017, o Grupo Bensaude assinou a Cartilha de Sustentabilidade dos Açores, assumindo o compromisso para com os objectivos do desenvolvimento sustentável, declarados pelas Nações Unidas, para tornar a sua actividade mais sustentável, contribuindo para o posicionamento da região como destino turístico sustentável de excelência a nível global.

Publicado Regime Jurídico de Apoio ao Cuidador Informal nos Açores

cuidadores informais 1O Regime Jurídico de Apoio ao Cuidador Informal na Região Autónoma dos Açores, que visa estabelecer um conjunto de apoios a quem tem pessoas com dependência a seu cargo, foi ontem publicado em Diário da República.

Este regime compreende um conjunto de apoios destinados a todos os que têm a seu cargo pessoas com dependência, no sentido de assegurar um conjunto de direitos que permitam aliviar o impacto que esta situação tem nas suas vidas.

O diploma vem estabelecer um conjunto de apoios e direitos do cuidador informal, que vão desde o acesso à informação e formação, ao apoio psicológico, ao apoio na adaptação das habitações ou ao apoio financeiro, entre outros, garantindo também um plano de cuidados adequado às necessidades, quer da pessoa cuidada, quer do cuidador informal.

O Regime Jurídico de Apoio ao Cuidador Informal foi criado pelo Governo dos Açores para propiciar as condições necessárias para que os cuidadores tenham apoio na missão de cuidar, capacitando-os para a prestação de cuidados e para a promoção e manutenção do seu bem-estar, designadamente no que respeita a uma melhor conciliação da vida familiar e pessoal.

O documento prevê um sistema de folgas dos cuidadores informais, com o propósito de os substituir por pequenos períodos diurnos, assim como um período de descanso anual do cuidador, que se traduz no acolhimento temporário da pessoa cuidada em estruturas residenciais, em acolhimento familiar e na Rede de Cuidados Continuados Integrados da Região.

Será ainda garantida prioridade ao cuidador no acesso a cuidados de saúde, quando deles dependa a continuidade da prestação de cuidados a familiar dependente, e a integração em grupos de autoajuda.

Com a publicação deste regime jurídico será também criado o Gabinete de Apoio ao Cuidador Informal, que irá funcionar como estrutura de apoio, constituído por profissionais das áreas da acção social, da saúde, das respostas sociais e dos cuidados continuados integrados.

Votação do Orçamento Participativo de Ponta Delgada começa esta Segunda-feira

Orçamento participativo PDL

Arranca na próxima Segunda-feira, 21 de Outubro, a votação do Orçamento Participativo (OP) de Ponta Delgada. Trata-se da sexta edição da iniciativa, com carácter deliberativo, que conta este ano com 18 projectos que poderão ser votados até 22 de Novembro.

Segundo informou ontem a autarquia de Ponta Delgada, numa nota enviada à comunicação social,  “todos os cidadãos com idade igual ou superior a 16 anos vão poder votar em dois projectos, de duas freguesias distintas, que consideram mais interessantes e/ou importantes para a comunidade”. 

Este ano vão estar a votação o parque infantil, na Rua Dr. Filipe da Cunha Álvares Cabral, em Santa Clara (50.000€); a beneficiação do Jardim do Alto da Mãe de Deus, em São Pedro (40.000€); a revitalização do espaço de recreio escolar, com a  construção de dois parques de recreação infantil da EB1/JI de São Roque, Poço Velho (60.000€); a ligação coberta na EB1/JI do Livramento (50.000€); a requalificação da área de recreio da EB1/JI Professor Doutor Alexandre Linhares Furtado, na Fajã de Baixo (50.000€); a construção de balneários e requalificação das instalações sanitárias na antiga escola de Santa Rita, na Fajã de Baixo (75.000€); a requalificação do Largo do Coreto da Fajã de Cima (50.000€); a repavimentação das ruas Nossa Srª das Dores e Gaspar Medeiros, na Covoada (35.000€); a instalação de um parque infantil e o reforço da iluminação do Jardim Dona Leonor Afonso, nos Arrifes (75.000€); a construção de um alpendre e pavimentação da área de recreio na escola Padre José Gomes Pereira, nas Feteiras (75.000€); um parque infantil na Escola Padre José Cabral Lindo, nas Sete Cidades (25.000€); um ginásio ao ar livre nas Sete Cidades (15.000€); um parque infantil no Pilar da Bretanha (40.000€); um merendário e uma zona de lazer, no Pilar da Bretanha (75.000€); a promoção da eficiência energética das escolas do 1º ciclo da Básica de Capelas, que abrange as freguesias da Ajuda da Bretanha, Capelas, Fenais da Luz, Pilar da Bretanha, Remédios, Santa Bárbara, Santo António e São Vicente Ferreira (40.000€); a requalificação do espaço envolvente ao edifício Polivalente de Capelas (75.000€) e um parque infantil e a requalificação da área envolvente da EB1/JI de Santo António (40.000€).

À semelhança de anos anteriores, uma equipa da autarquia vai percorrer todas as freguesia para recolher os votos dos cidadãos de forma presencial e calendarizada, mas os interessados poderão também votar online (http://op.cm-pontadelgada.pt/) ou por sms gratuito, para o número 4902.

 

Grupo Ilha Verde obtém certificação ISO 9001 em todas as empresas

lha verde - certificado

A Ilha Verde passou a ter todas as empresas que compõem  o grupo com a certificação ISO 9001. A cerimónia de entrega do certificado decorreu na sede da organização, no passado dia 7 de Outubro, onde Rui Cordeiro, manager SGS Ilhas, entregou à administração o respectivo comprovativo da certificação.

Para Lucília Rego, responsável pela Gestão da Qualidade, este foi um marco realçado “com enorme satisfação, pelo facto de todas as empresas do grupo, terem obtido os certificados de conformidade ISO 9001”, em consequência de “um trabalho árduo e muito exigente, sendo apenas possível graças ao empenho, dedicação e profissionalismo de todos os  colaboradores”, a quem aproveitou para agradecer, na presença dos vários responsáveis/chefias.

Para a empresa, a concretização deste objectivo a que se propôs o Grupo Ilha Verde “não é o fim de um processo, mas a continuação de um trabalho de uma vasta equipa, em prol da excelência e uma responsabilidade acrescida na prestação dos seus serviços”. 

Na ocasião, em representação da SGS Portugal, Rui Cordeiro realçou o facto de o “Grupo Ilha Verde ter mostrado um compromisso inequívoco com a gestão da qualidade, sendo uma das suas estratégias e ferramentas de gestão”. O manager das SGS Ilhas aproveitou ainda para elogiar “o interessante percurso crescente ao nível das certificações conquistadas nos últimos anos, e que deve ser motivo de orgulho para todas as partes interessadas”, salientou.

Recorde-se que o processo de certificação do Grupo Ilha Verde iniciou há 13 anos, sendo a Ilha Verde Auto Elgê a primeira entidade a obter tal desígnio.

A norma ISO 9001 A ISO 9001 é um sistema de gestão com o intuito de garantir a optimização de processos, maior agilidade no desenvolvimento de produtos e produção mais ágil a fim de satisfazer os clientes e alcançar o sucesso sustentado.

O Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) funciona como um instrumento para ajudar o gestor a encontrar e corrigir processos ineficientes dentro da organização. Além disso, a ISO 9001 é uma forma de documentar a cultura da organização, permitindo que o negócio cresça mantendo a qualidade dos bens e serviços prestados. 

Por se tratar de um sistema internacional criado pela ISO (International Organization for Standardization), que é uma organização fundada em 1946 e sediada em Genebra, na Suiça com o propósito de desenvolver e promover normas que possam ser utilizadas por todos os países do mundo, é uma ferramenta que pode ser adoptada por qualquer empresa, de qualquer porte e por isso é a norma mais conhecida e adotada em todo o mundo pelas empresas de sucesso.

Clube de História debate futuro da Cultura dos Açores

Clube de Historia CulturaA Fundação Sousa d’Oliveira dará continuidade ao ‘Clube de História’, no próximo dia 23 de Outubro, pelas 18h00, na sua sede na Rua do Lajedo (Ponta Delgada). O tema em debate será “A Cultura nos Açores: qual futuro?”, sendo os oradores convidados Alexandre Pascoal, Nélia Alves-Guimarães e Pedro Gomes. 

Tendo em conta, que a cultura tem um papel importante para a população e para a cidade/região que investe neste bem tão precioso, o debate pretende analisar o fenómeno da cultura pela sua grande diversidade de conceitos e significados para o conhecimento dos açorianos, pois a cultura envolve arte, crenças, hábitos, costumes, entre muitos outros.

Esta área traz para a sociedade um conhecimento e uma riqueza sem igual; nos Açores, alguns eventos ocorrem durante o ano, trazendo para os residentes e visitantes lazer, conhecimento, prazer, e diversos bens que para as pessoas têm grande relevância.

Conforme se pode ler na nota enviada às redacções, “a cultura quando bem trabalhada, pode se tornar algo que faça parte da vida e do quotidiano da sociedade, com esta podem ser organizados eventos que tragam cultura e valorização para a região, sem contar o retorno financeiro que a mesma traz”.

Por fim, nesta sessão propõe-se debater alguns dos seguintes tópicos: produção e circulação da criação artística; profissionalização do sector artístico; acessibilidade(s) aos espaços de cultura; formação de públicos; cultura nas autarquias; cultura e a sua ligação à diáspora; entre outros.

O evento está aberto ao público em geral, sendo a entrada gratuita.