Artigos

GNR apreendeu em São Miguel 211 quilos de pescado

GNR Açores - Apreensão chicharro

O Comando Territorial dos Açores, através do Posto Territorial de Ponta Delgada, em colaboração com a Inspecção Regional das Pescas, apreendeu ontem 211 quilos de pescado, na ilha de São Miguel.

No decorrer de uma acção de fiscalização no porto de pesca de Vila Franca do Campo, foram detectados e apreendidos 211 quilos de chicharro, por fuga à lota.

Desta acção foi identificado um homem, de 37 anos, e elaborado o respectivo auto de notícia por contra-ordenação, estando o infractor sujeito a uma coima num valor máximo de 3 740 euros.

A GNR alerta que a venda do pescado em lota garante a rastreabilidade, assegura a salubridade e a não adulteração dos produtos da pesca, promove a confiança no consumidor e a qualidade e valorização do pescado.

Enoturismo “já é uma realidade no Pico”

marta guerreiro vinho picoA Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo afirmou que o “enoturismo, mais que uma oportunidade, é já uma realidade no Pico”, trazendo cada vez mais visitantes a esta ilha por via da importância que a cultura do vinho assume enquanto produto turístico.

Marta Guerreiro falava no âmbito do Congresso Mundial de Vinhos – Wine Summit, que se realizou pela terceira vez em Cascais e que, este ano, se estendeu ao Pico, com participantes provenientes da Europa, EUA, Canadá e de outras partes do mundo, com um programa extenso que permitirá dar a conhecer aos especialistas e críticos nestas matérias a paisagem e a cultura da vinha na ilha do Pico, classificada, desde 2004, como Património Mundial da UNESCO e, por outro lado, a permanência de produtores de vinhos de excelência.

“É, de facto, com muita satisfação que o Governo dos Açores encara este tipo de eventos, fruto de um trabalho constante e consolidado na captação do segmento de ‘meeting industry’, que fazem do arquipélago palco de pequenos, médios e grandes congressos, elevando este produto no nosso destino turístico”, frisou Marta Guerreiro. 

A titular da pasta do Turismo sublinhou que “a ilha do Pico corresponde ao cenário perfeito para acolher esta comitiva de cerca de 30 oradores e imprensa da especialidade que participam nesta extensão do Wine Summit, com objectivo de divulgar os vinhos do Pico, colocando a cultura vitivinícola com elevado nível de promoção em termos mundiais”.

“O vinho enquadra-se como um produto de excelência, sendo a ilha do Pico uma terra de tradição vínica, onde se produzem vinhos bastante apreciados em todo o Arquipélago, no mercado nacional e internacional, com algumas produções alvo de atribuição de vários galardões”, acrescentou a Secretária Regional.

Campo São Francisco em Ponta Delgada recebe fim-de-semana popular

campo sao francisco

As Noites de Verão do mês de Julho começam com a “Gaita que berra, gigante que dança” da  Associação Tradições a agitar amanhã as ruas do centro histórico da cidade, a partir das 21h30.

Já no dia seguinte, 4 de Julho, a actuação da Tuna Com Elas – Tuna Feminina da Universidade dos Açores, na Praça do Município, pelas 22h00, promete conquistar todos os presentes com o seu espírito juvenil e irreverente.

No 5 de Julho, chega ao Campo São Francisco da cidade o “Fim-de-semana popular”, que se prolonga até 7 de Julho, com momentos de comida de rua, animação infantil variada e muito mais.

Na Sexta-feira,  5 de Julho, a noite começa com a animação itinerante da Associação Ritmos de Santa Bárbara – Orquestra de Bombos, pelas 20h00, no centro histórico e no Campo São Francisco, seguindo-se, a partir das 20h30, a actuação da Associação de Cantadores ao Desafio dos Açores, do “CINZA Street Show – TICOSI” e  da “Banda.com”.

A 6 de Julho (Sábado) a Associação Ritmos de Santa Bárbara – Orquestra de Bombos volta a anunciar  o início de mais um dia de “Fim-de-semana popular”, que contará, desta vez, com a actuação do Grupo Folclórico da Fajã de Baixo, “Os Malassados – Fungis Magic Truxis” e os “Filhos da Terra”, a partir das 20h30.

No Domingo, 7 de Julho, a animação itinerante agendada para as 20h00 é da responsabilidade da Associação Unojovens de Ponta Garça – Grupo de Tambores, que abre a noite para o Grupo Cultural e Recreativo Domingos Rebelo, “O Lavrador – TICOSI” e a Filarmónica Lira Nossa Senhora da Estrela, da Candelária.

Calendários venatórios de ilha publicados ontem no Jornal Oficial

caçadorA época venatória 2019/2020 nos Açores teve ontem início, de acordo com os calendários venatórios de ilha, publicados ontem em Jornal Oficial e  que irão vigorar até 30 de Junho de 2020. 

Os calendários indicam aos caçadores quais as espécies que se podem caçar, o período em que a caça pode ser exercida, o número de peças que podem ser capturadas, os locais onde a caça é permitida e os processos de caça que podem ser utilizados.

Nas ilhas de São Miguel, Santa Maria, Terceira, São Jorge, Pico, Faial e Flores, por exemplo, é proibido caçar pombo-da-rocha nos locais de nidificação da espécie, nomeadamente junto às barrocas do mar, e com utilização de barco. 

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas destacou o consenso alcançado, nos Açores, entre organizações de caçadores, agricultores, ambientalistas e florestais na definição destes calendários venatórios, que considerou ser “essencial” para continuar a existir uma gestão cinegética sustentável no arquipélago.

“Os calendários venatórios para as diferentes ilhas resultam da auscultação realizada aos parceiros do sector, reflectindo o consenso que foi alcançado entre todas as partes envolvidas neste processo”, afirmou ontem João Ponte, citado em comunicado.

No mesmo texto, o executivo refere que “tem como principal objectivo garantir que a gestão dos recursos cinegéticos seja feita de uma forma sustentável, no respeito pelos princípios da conservação da natureza e do equilíbrio biológico e em articulação com as restantes formas de exploração da terra”. 

Segundo destaca ainda o governo açoriano, “a gestão dos recursos, além de se basear em estudos sobre a biologia e ecologia das espécies cinegéticas da Região e nos resultados de programas de monitorização de longa duração, que têm permitido perceber as variações na abundância das suas populações, também tem em consideração a consulta das organizações de caçadores, agricultores, produtores florestais e de defesa do ambiente, assim como o resultado de inquéritos de opinião realizados aos caçadores durante as jornadas de caça”.

Câmara da Ribeira Grande distingue figuras insignes do concelho com a Medalha Municipal de Mérito

camara ribeira grandeA Câmara da Ribeira Grande vai atribuir a Medalha Municipal de Mérito – Grau Ouro, a Ferdinando José Ferreira, João Manuel da Silva Cabral de Melo e a Manuel Nunes Coelho (a título póstumo), na sessão solene comemorativa do 38.º aniversário de elevação a cidade, agendada para as 18h00 do próximo Sábado, 29 de Junho, no Teatro Ribeiragrandense. O momento musical estará a cargo do Conservatório Regional de Ponta Delgada.

Ferdinando José Ferreira nasceu a 15 de Abril de 1938, na freguesia de São José, em Ponta Delgada, onde concluiu o curso do magistério primário em 1957, iniciando a carreira docente, na Ribeira Grande, em 1960. Neste concelho, também exerceu o cargo de delegado escolar de 1975 a 1992.

Foi presidente da Junta de Freguesia da Matriz, vereador e secretário da Assembleia Municipal. Desempenhou ainda diversos cargos em instituições socioculturais e instituições particulares de solidariedade social.

João Manuel da Silva Cabral de Melo nasceu na freguesia da Matriz, Ponta Delgada, a 13 de Dezembro de 1946, onde concluiu o 7.º ano do liceu, ingressando depois, em 1965, na Direcção Geral das Contribuições e Impostos. Passou por todos os níveis de chefias até atingir o topo da carreira, como gestor tributário.

Em 1989, iniciou o voluntariado na Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande, como presidente do Conselho Fiscal, passando depois para presidente da Mesa da Assembleia Geral. Em 1994, tomou posse como provedor, função que exerceu durante vinte anos. Para além disso, foi fundador e dirigente de várias associações sediadas em Ponta Delgada e na Ribeira Grande.

Manuel Nunes Coelho nasceu a 12 de Setembro de 1910, em Pedrógão Grande (Leiria). Veio para São Miguel em 1935, fixando-se na Ribeira Grande, onde viria a falecer a 29 de Agosto de 1986. Em vida, desenvolveu uma intensa e bem-sucedida actividade comercial e foi um filantropo distinto.

Possuiu estabelecimentos de comércio a retalho de retrosaria, vestuário e outros, para além de se dedicar ao negócio de importação/exportação de leguminosas. Foi presidente da filarmónica Triunfo e um dos que mais contribuiu para a aquisição da sede social. Foi provedor da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande entre 1963 e 1972 e foi presidente do Ideal Sport Clube, clube que em 1965 alterou o nome para Sporting Clube Ideal. Pertenceu também aos corpos directivos dos Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande.

A sessão solene comemorativa do 38.º aniversário de elevação da Ribeira Grande a cidade terá como orador convidado Onésimo Teotónio Almeida. Natural da freguesia do Pico da Pedra, é doutorado em Filosofia pela Brown University (Estados Unidos da América), onde também fez mestrado.

Já escreveu vários livros e tem centenas de escritos em revistas e livros. Fundou e dirige a editora Gávea-Brown, dedicada à edição, em inglês, de obras de literatura e cultura portuguesas. Em 1997 foi agraciado com o grau de comendador da Ordem do Infante D. Henrique e, em 2018, recebeu a Grã-Cruz da mesma Ordem.

No Domingo, 30 de Junho, realce para a procissão em honra de São Pedro (procissão que se realiza apenas de sete em sete anos) que percorrerá as principais artérias da freguesia a partir das 18h30.