Venda de carros novos continua a subir nos Açores

Carro - chaveOs açorianos continuam a comprar mais carros novos este ano, em comparação com o ano anterior.

De Janeiro a Outubro já foram vendidos na região 4.045 novas viaturas, mais 479 do que em igual período do ano passado.

No mês de Outubro as vendas voltaram a subir, passando de 336 para 357.

Em Setembro tinha-se registado uma quebra, de 325 para 289.

De resto, apenas no mês de maio se registou também uma quebra, enquanto nos restantes foi sempre a subir.

 

Continente cai pelo terceiro mês consecutivo

 

Os portugueses compraram menos carros pelo terceiro mês consecutivo. 

As vendas de automóveis ligeiros caíram 12,3% em Novembro, face ao período homólogo de 2018. 

Foram registados 15.466 veículos ligeiros no último mês, segundo a informação adiantada esta segunda-feira pela ACAP – Associação Automóvel de Portugal. 

No total, o mercado automóvel recuou 9,4% em Novembro. 

Renault, Peugeot e Mercedes foram as três marcas que mais venderam carros em Novembro. 

A Renault liderou o mercado mesmo tendo registado uma quebra de 25,1% no último mês; a Peugeot também registou uma diminuição de 2,5%; a Mercedes registou uma melhoria de 2,3% em novembro. 

A contar desde Janeiro, a Renault é a marca mais vendida em Portugal, seguida da Peugeot e da Mercedes. 

Enquanto as duas marcas francesas têm aumentado as suas vendas desde o início do ano, os alemães registam uma quebra de 1,1%. 

 

Marcas de luxo também caem

 

As quebras do mercado estendem-se às marcas de luxo: só a Ferrari e a Bentley venderam um veículo cada em novembro; Aston Martin e Lamborghini e Maserati ficaram a zero. 

A Jaguar registou 47 carros em Novembro, o mesmo número do mesmo mês de 2017. 

O mercado automóvel português continua a corrigir dos fortes aumentos de vendas registados em Julho e Agosto e que anteciparam a entrada em vigor, em Setembro, na nova norma de medição de emissões (WLTP). 

Setembro marcou a entrada da nova norma de emissões WLTP, que prevê consumos e valores de emissões mais realistas. 

As marcas temiam um aumento generalizado do preço dos automóveis novos a partir de 1 de setembro, mas tal não aconteceu porque o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, deu instruções à Autoridade Tributária (AT) para alterar as tabelas de impostos aplicadas aos automóveis e neutralizar o efeito da entrada da nova norma de emissões (WLTP). 

O Orçamento do Estado para 2019 contempla esta situação.