Trabalhadores da RIAC voltam a fazer greve a 20 e 21 de Dezembro

Riac parque atlanticoOs trabalhadores da Rede Integrada de Apoio ao Cidadão (RIAC) dos Açores voltam a fazer greve nos dias 20 e 21 de Dezembro.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (SINTAP) nos Açores, os pressupostos que conduziram à última greve, realizada em Maio, “permanecem inalterados”, pelo que os trabalhadores pretendem “pressionar o Governo Regional a retomar o diálogo negocial que introduza justiça na situação laboral destes trabalhadores”.

Num comunicado ontem veiculado, o SINTAP diz que o Executivo regional tem demonstrado “um inaceitável alheamento e falta de reconhecimento pela dedicação e profissionalismo que diariamente os trabalhadores da RIAC empregam no desempenho das suas funções”, acusando ainda o governo açoriano de uma “incompreensível atitude autista e de ausência de diálogo”.

Segundo o sindicato, não resta outra alternativa aos trabalhadores “senão a de recorrer à greve como forma de pressionar o Governo Regional, e sensibilizar a opinião pública, para a necessidade de dignificação e de valorização profissional das suas funções”.

“Os trabalhadores da RIAC têm tarefas e competências cada vez mais abrangentes, complexas, exigentes e de grande responsabilidade, que vão muito para além do conteúdo funcional previsto para a carreira do regime geral de assistente técnico”, salienta o sindicato.

“Perante esta situação, os trabalhadores da RIAC, com grande empenho e espírito de serviço público, têm-se esforçado por investir nas suas competências funcionais, formativas e profissionais, procurando desse modo responder de modo cabal ao alargamento das atribuições e competências da própria RIAC”, acrescenta.

“O SINTAP exige respeito pelo direito à negociação colectiva, expresso através do diálogo negocial entretanto interrompido, de modo a que possam expor e defender as razões subjacentes ao seu processo reivindicativo, nomeadamente a criação de uma carreira especial”, lê-se no comunicado. 

O Sindicato já solicitou ao Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, uma audiência, “cujo agendamento se aguarda”.