BE quer explicações sobre atraso de um ano na conclusão de estudo sobre a toxicodependência

drogaEm Janeiro de 2017 o parlamento dos Açores aprovou por unanimidade uma proposta do Bloco de Esquerda que recomendava ao Governo Regional a realização de um estudo sobre a problemática da toxicodependência na Região, que devia estar concluído no prazo de um ano. Os deputados do BE querem saber por que razões o estudo ainda não foi concluído e para quando está prevista a sua apresentação.

A taxa de consumo de substâncias aditivas nos Açores é uma das maiores do país. Os dados divulgados nos relatórios de 2013 e 2016 do Instituto da Droga e da Toxicodependência, e no inquérito nacional ao consumo de substâncias psicoactivas realizado pelo Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e Dependência revelam que os Açores são uma das regiões de Portugal em que se verifica uma maior prevalência de consumo de substâncias aditivas, em particular nos jovens.

Perante estes dados, o BE propôs a realização de um estudo que resultasse não só na caracterização da situação actual – com particular enfoque nos consumidores, nomeadamente, quanto a escalão etário, género, situação perante a escolaridade e o emprego, condições sócio-económicas, tipologia e padrões de consumo e área geográfica de residência –, mas também na apresentação de propostas de intervenção adequadas aos resultados do diagnóstico. O BE lamenta este atraso e quer que o Governo indique em que ponto se encontra a realização do estudo.

Mais Lidas nos últimos 3 dias

Alojamento Local cresceu 37% em 2018
sexta, 15 fevereiro 2019, 00:00
“O vinho é um meio de aproximar as pessoas”
sexta, 15 fevereiro 2019, 00:00
Pescadores pedem a activação do Fundopesca
sexta, 15 fevereiro 2019, 00:00