Passageiros desembarcados nos Açores aumentaram 3,6% em 2018

aeroporto picoNo mês de Dezembro de 2018 desembarcaram nos aeroportos dos Açores 96.520 passageiros, um aumento de 2,8% face ao mesmo mês de 2017. 

Os passageiros desembarcados com origem no estrangeiro foram 6.850, originando um decréscimo homólogo de 17,8%, e os com origem noutras regiões do território nacional atingiram 51.566, apresentando, neste caso, uma variação homóloga positiva de 5,7%.

 Em termos acumulados, durante o ano de 2018, verificou-se uma variação positiva de 3,6%. 

No segundo semestre houve um acréscimo homólogo de 4,2% e, no quarto trimestre, uma variação homóloga igualmente positiva de 5,2%.  

 

Corvo, Pico, Flores e Santa Maria com os maiores crescimentos

 

  A ilha com maior número de passageiros desembarcados no mês de Dezembro de 2018 foi a de São Miguel com 57.369, seguida da Terceira com 22.113 e Faial com 5.685.

 No entanto, a ilha que apresentou maior crescimento homólogo foi a de Santa Maria com 13,4%, seguindo-se a do Faial com 6,6% e São Miguel com 4,3%. 

Em sentido contrário, as ilhas Graciosa e Pico, ex-aequo, e Terceira apresentaram decréscimos homólogos de 3,1% e 1,5%, respectivamente. 

No ano de 2018, a ilha que apresentou maior variação positiva foi a do Corvo, com 15,3%, seguida do Pico (12,0%), Flores (7,3%) e Santa Maria com 7,1%. Quanto ao segundo semestre de 2018, foram as mesmas ilhas que verificaram as maiores variações homólogas positivas, mas por ordem diferente, primeiro foi a do Pico com 12,1%, seguida do Corvo (10,3%), Flores (8,8%) e Santa Maria com 6,9%.

 Relativamente ao quarto trimestre, foi a ilha do Corvo que apresentou maior variação positiva (20,0%), seguida de Santa Maria com 12,0%.  

 

Aeroportos da ANA abaixo da média nacional

 

Ponta Delgada, o maior aeroporto dos Açores, terminou 2018 com +3% de passageiros que em 2017, Horta, 2º maior, teve +3,6%, Santa Maria, 3º maior, teve +4,8%, e Flores, 4º maior, teve +7,8%, enquanto o aumento médio de passageiros em aeroportos portugueses geridos pela ANA/Vinci foi de 8,9%.  O crescimento dos aeroportos portugueses geridos pela ANA/Vinci resumiu-se praticamente ao Humberto Delgado, em Lisboa, e ao Francisco Sá Carneiro, no Porto, que tiveram um aumento de 3,52 milhões de passageiros em 2018, enquanto nos outros oito o aumento ficou em apenas três mil.

A debilidade da evolução dos outros oito aeroportos, Faro no Continente, Ponta Delgada, Horta, Santa Maria e Flores nos Açores e Funchal e Porto Santo na Madeira, deve-se em primeiro lugar aos aeroportos que tiveram balanços ‘no vermelho’.

Foram os casos de Faro, que teve menos 41,5 mil passageiros que em 2017, Funchal, que teve menos 21,2 mil, e Porto Santo, que teve menos 10,7 mil.

Mas, também, à excepção de Beja, que, no entanto, representou apenas 0,01% dos passageiros em aeroportos da ANA/Vinci em 2018, todos os outros cresceram menos que a média do grupo.

Os dados a que o PressTUR teve acesso indicam que Faro teve um total de 8,685 milhões de passageiros em 2018, o Funchal teve 3,181 milhões e Ponta Delgada teve 1,904 milhões.

Os restantes tiveram todos totais de passageiros muito inferiores, com 247 mil na Horta, 97,6 mil em Santa Maria, 164,6 mil em Porto Santo, 69 mil nas Flores e 5,1 mil em Beja.

Faro teve no ano passado 15,7% dos passageiros embarcados e desembarcados em aeroportos geridos pela ANA Vinci, depois de 16,9% em 2017, o Funchal teve 5,8%, depois de 6,2% um ano antes, e Ponta Delgada teve 3,4%, abaixo dos 3,6% de 2017.

Os outros aeroportos tiveram menos de 1% do total de passageiros do grupo, com 0,4% na Horta, 0,3% em Porto Santo, 0,2% em Santa Maria, 0,12% nas Flores e 0,01% em Beja.

Idêntico perfil verifica-se no que diz respeito a movimentos de aviões, com Lisboa e Porto a terem um aumento em 7,5% ou 21,2 mil, somando 305,7 mil, enquanto nos restantes oito aeroportos ocorreu uma quebra em 1,6% ou cerca de 900, para 55,4 mil.

Esta quebra deve-se em primeiro lugar aos decréscimos em 0,2% em Faro, para 57,3 mil, em 3,9% no Funchal, para 24,1 mil, em 0,6% na Horta, para 4,5 mil, e em 16,6% em Porto Santo, para 2,8 mil.

Os aumentos nos restantes foram em 1,9% em Ponta Delgada, para 19,4 mil, em 4,4% em Santa Maria, para 2,7 mil, em 7,7% nas Flores, para 1,6 mil, e em 171,4% em Beja, para 114.