Vasco Cordeiro defende reforço das parcerias para potenciar agricultura

Vasco Cordeiro - caminho agrícola S. Jorge

O Presidente do Governo destacou ontem o investimento, este ano, de cerca de 11 milhões de euros em infraestruturas agrícolas para potenciar a competitividade do sector, defendendo que o sucesso só se concretiza com o reforço das parcerias entre todos os intervenientes.

“Temos de ter a consciência que só é possível o sucesso do sector agro-pecuário da nossa Região se houver, cada vez mais, o reforço da concertação e das parcerias entre a produção, a indústria e a comercialização, que são essenciais para que todos possam beneficiar”, afirmou Vasco Cordeiro.

Na inauguração das obras de beneficiação do Caminho Rural Longitudinal Norte, na ilha de São Jorge, o Presidente do Governo salientou não ser possível encarar a competitividade, o desenvolvimento e o sucesso do setor agro-pecuário regional “se entendermos que cada um se consegue safar por si”.

“A produção não consegue isso sem uma articulação com a indústria e a comercialização, nem muito menos a indústria consegue vingar e vencer se não fortalecer as parcerias que tem com a produção”, referiu Vasco Cordeiro, ao adiantar que São Jorge é um bom exemplo destas parcerias pela própria natureza do seu tecido transformador, uma vez que se trata, fundamentalmente, de cooperativas.

No segundo dia da visita estatutária a esta ilha, o Presidente do Governo adiantou, por outro lado, que o caminho rural inaugurado ontem insere-se na estratégia regional de reforçar a competitividade do sector, um trabalho que tem sido desenvolvido em toda a Região.

 “Basta referir que, só no último ano, mais de 40 quilómetros de caminhos rurais e agrícolas foram pavimentados na Região, um esforço de investimento que será prosseguido este ano”, sublinhou.

Nesse sentido, o Governo prevê investir este ano cerca de 11 milhões de euros em infraestruturas agrícolas na Região, reservando cerca de 30 por cento deste montante para investimentos públicos na área de captação e armazenamento de água.

Segundo Vasco Cordeiro, estes 11 milhões de euros representam mais nove por cento do que em relação a 2018, o que vai permitir intervir em quase 60 quilómetros de caminhos, electrificar mais de 40 salas de ordenha e construir perto de 30 quilómetros de redes de abastecimento de água às explorações agrícolas.

“Esta é uma estratégia regional de reforço das condições para os nossos agricultores poderem exercer a sua actividade de forma competitiva, com as repercussões que isso tem ao nível do seu rendimento”, destacou.

No total da primeira e da segunda fase, o Caminho Rural Longitudinal Norte, numa extensão de 6,6 quilómetros e que beneficia, na sua globalidade, mais de duas dezenas de explorações agrícolas, representa um investimento público que ascende a cerca de 900 mil euros.

 Ainda durante esta visita estatutária a São Jorge será também assinado o contrato da empreitada de construção e beneficiação do Caminho Agrícola do Pau-Pique, no Perímetro de Ordenamento Agrícola da Ribeira Seca/Norte Pequeno, num investimento superior a meio milhão de euros. 

Também este ano o Governo pretende avançar com a obra de beneficiação do caminho Ponta/Sete Fontes, a que se seguirá a intervenção no caminho Cancelas/Farol.