PAN inaugura nova sede nos Açores e escolhe Pedro Neves como 3º da lista às Europeias

Pedro Neves Ponta DelgadaO partido PAN (Pessoas-Animais-Natureza) vai inaugurar a sua sede regional nos Açores, no próximo dia 16 de Março, em Ponta Delgada. 

“Esta iniciativa revela o respeito e a relevância que atribuímos ao trabalho que tem sido desenvolvido nos Açores e espelha também a convicção e o optimismo com que encaramos as possibilidades reais de crescimento e desenvolvimento das actividades do PAN na região”, afirma André Silva, deputado do PAN na Assembleia da República, que irá marcar presença na inauguração, citado em comunicado.

O partido pretende que a inauguração do espaço seja “um momento de partilha de ideias e de experiências sobre vários temas”, onde André Silva irá abordar o trabalho do PAN no parlamento nacional, bem como “as sinergias que foram possíveis criar entre o trabalho do PAN na Assembleia da República e aquilo que tem sido alcançado nos Açores”. 

Também Pedro Neves, membro da Comissão Política Nacional e porta-voz regional nos Açores, irá intervir na sessão, falando sobre o trabalho realizado na região “por uma equipa comprometida com uma nova forma de fazer política e com a audácia e coragem de denunciar e debater assuntos fracturantes que são necessários à mudança social positiva que o PAN tem vindo a defender e a construir”.

As eleições europeias do próximo dia 26 de Maio de 2019 serão também um tema a abordar pelos dois oradores, sendo André Silva, porta-voz nacional do PAN, o primeiro líder de um partido a ir aos Açores debater as eleições europeias (com as listas fechadas), com o anúncio da candidatura de Pedro Neves do PAN/Açores como escolha do partido a ocupar o terceiro lugar da lista do PAN às Europeias. Além da escolha do porta-voz do PAN nos Açores, o partido confirma Sónia Domingos como segunda candidata dos Açores nos efectivos da lista para as Europeias.

Será apresentada a visão do PAN sobre o contexto singular em que se encontram os Açores na União Europeia: “Se até agora a tónica foi de progresso económico e extractivista não direccionado para a sustentabilidade ambiental, o novo quadro comunitário apresenta oportunidades que os Açores devem canalizar de forma mais eficiente na defesa dos seus recursos naturais, potenciando e implementando uma verdadeira economia circular, principalmente no âmbito energético”, refere o partido no comunicado. 

“Apresentando como exemplo o projecto piloto da ilha da Graciosa, que conseguiu ser a primeira região do mundo a ser alimentada a 100% por energias limpas e renováveis, uma das medidas do PAN é que  este resultado seja estendido a toda a região até 2025, usufruindo do aumento do valor do Fundo de Coesão, promovendo a descarbonização, emprego em áreas emergentes e a própria independência energética do arquipélago”.

“Este evento nos Açores marca a visão unificadora do PAN, de que não existe superiorização entre o continente e as regiões autónomas, criando uma estrutura que funciona como um único corpo a trabalhar em uníssono.”, refere Pedro Neves, porta-voz regional nos Açores.

Mais Lidas nos últimos 3 dias

Greve na SATA a partir de Junho?
terça, 21 maio 2019, 00:00
Produção de electricidade sobe a pique
quarta, 22 maio 2019, 00:00