Tutor de utente do Instituto das Irmãs Hospitaleiras descontente com aumento “selvagem” das diárias

edificio

Um tutor legal de uma utente do Instituto das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus, em Ponta Delgada, veio ontem denunciar ao Diário dos Açores o que considera de “aumento brutal” e “selvagem” das diárias praticadas pela Instituição.

De acordo com este responsável, que tem a mãe aos cuidados do Instituto, até ao passado dia 19 de Março de 2019, a diária situava-se nos 25.60 euros, valor acrescido de outras componentes, como medicamentos, materiais de tratamento, etc.

Conforme explica este tutor quando foi efectuar o pagamento da mensalidade foi confrontado com um aumento a partir do próximo mês de 21.52%. Ou seja, de 25.60 euros passa para 31.11 euros diários, o que perfaz mais 165.30 euros mensais, fazendo as contas a 30 dias.

Perante a situação, que consta de uma circular assinada pela directora da instituição, o tutor diz desconhecer os motivos legais que levaram a este aumento, considerando que “comparando com outros aumentos de outros bens e serviços, este aumento é “brutal” e “selvagem”. 

O tutor legal reconhece, por outro lado, a necessidade de existirem aumentos com base legal ou pela taxa de inflação, contudo lamenta o facto de uma instituição social aumentar um serviço social em 21.52%, adiantando que “voltamos a taxas de inflação de há quarenta/cinquenta anos atrás”.

Este responsável admite que o aumento possa ter sido “uma ordem emanada da ADSE” (regime pelo qual a mãe sempre constou), no entanto frisa que o mesmo “não está declarado na referida circular”, concluindo, assim, que a “instituição não se debate para defender os seus utentes de tal aumento selvagem”.

 

More articles from this author