Custo de um utente no Lar da Levada é de 1.357 euros e no Lar de S. Francisco 1.589 euros

hospital antigo pdl

O custo de um utente no Lar da levada, em Ponta Delgada, era, em 2017, de 1.357 euros (1.417 euros em 2015 e 1.397 euros em 2016) e no Lar de S. Francisco (no antigo hospital) é de 1.589 euros (2.158 em 2015 e 1.693 em 2016), quando o valor médio de referência do custo de um utente referenciado é de 845,48 euros.

Estes valores fazem parte do relatório da auditoria mandada efectuar pelo Governo regional à Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada (SCMPD), proprietária dos dois lares, e que foi divulgado na passada sexta-feira.

O relatório, de 14 páginas, da autoria da APPM, uma sociedade de revisores oficiais de contas, não aponta nenhuma irregularidade nas duas estruturas alvo de auditoria, as valências Lar de Idosos e Serviço de Apoio ao Domicílio.

Limita-se a fazer algumas recomendações e descreve a actividade das respectivas valências.

Confirma que a mensalidade dos utentes é calculada com base em 80% do valor da sua pensão líquida.

“Por opção do utente, pode ser maior o valor a entregar à SCMPD, ou pode apresentar declaração de doação de bens. Aquando da entrada do utente são recolhidas informações financeiras, que contemplam o valor actualizado da Pensão e do Complemento Regional de Pensão, bem como da última declaração de rendimento disponível, para identificação de outras categorias de rendimentos”, lê-se no documento.

Descreve ainda que, após a entrada do processo, este é avaliado pela Assistente Social e, quando existem vagas no lar, são sujeitos à aprovação do Provedor (através de delegação de competências) sob critérios previamente estabelecidos, nomeadamente a nível de urgência na admissão, avaliação da autonomia do utente e sua situação de habitação, condições financeiras, familiares, entre outras.

A ocupação, em média, é sempre de 100% e a lista de espera é considerável, apresentando um total de 83 camas (69 camas no Lar da Levada e 14 camas no Lar de S. Francisco), todas elas comparticipadas pelo Instituto de Segurança Social dos Açores.