Açores tiveram 264 casos de violência doméstica no 1º trimestre

Violência-Doméstica

O Ministério Público (MP) recebeu das cinco comarcas do distrito judicial de Lisboa 3.487 processos por violência doméstica entre Janeiro e Março, segundo dados da Procuradoria-geral Distrital de Lisboa (PGDL).

 No mesmo período em 2018 tinham dado entrada quase 2.700 processos.

As comarcas de Lisboa e de Lisboa Oeste são as que mais casos receberam, com 1.260 e 1.100 processos, respectivamente.

Na comarca de Lisboa Norte entraram 548 processos, na comarca da Madeira 315 e nos Açores 264. 

As comarcas da Madeira e dos Açores integram o distrito judicial de Lisboa.

No total, entre 1 de Janeiro e 31 de Março, foram movimentados pelo MP 8.224 processos, dos quais 4.737 transitados do período anterior e 3.487 entrados.

No total houve acusação em 443 inquéritos.

Os dados ontem divulgados revelam ainda que foram arquivados 1.958 processos, dos quais 568 na comarca de Lisboa e 695 na comarca de Lisboa Oeste. 

Recorde-se que os Açores e a Madeira são as regiões do país com maior incidência de casos de violência doméstica. 

A conclusão está no Relatório Anual de Segurança Interna de 2018 que revela uma muito ligeira diminuição deste tipo de crime, em todo o país, em 2018.

No último ano as polícias abriram um total de 26.483 inquéritos por violência doméstica, menos 0,9% que em 2017.

As taxas de incidência mais elevadas atingem a Região Autónoma dos Açores (3,9), seguida da Madeira (3,4). 

No Continente a taxa é bastante mais baixa (2,5), estando acima da média nos distritos de Faro (3,2), Portalegre (3,0), Setúbal (2,9), Lisboa (2,6) e Porto (2,6).

Na divisão por sexos, 79% das vítimas são mulheres e um pouco mais de metade dos casos (53,1%) envolvem vítimas que são cônjuges, namoradas e namorados ou companheiras e companheiros.