“Black Watch” traz hoje a Ponta Delgada 661 passageiros e 379 tripulantes

black watchO navio de cruzeiros BLACK WATCH, da popular operadora inglesa Fred Olsen Cruise Line, escala hoje o terminal das Portas do Mar, em Ponta Delgada. Traz 661 passageiros e 379 tripulantes.

Esta visita resulta de um interessante cruzeiro de 13 noites, iniciado em Liverpool, denominado “Cidades de Portugal”, e que inclui, para além de Ponta Delgada, escalas nas cidades da Horta, Praia da Vitória, Lisboa e Leixões.

Construído em 1972, nos estaleiros Wartsila, na Finlândia, foi o primeiro navio de um trio de encomendas para a já extinta companhia Royal Viking Line. 

Foi inaugurado como Royal Viking Star, e era de menores dimensões e capacidade do que a actualidade, pois acabou por ser aumentado (1981) em cerca de 28 metros.

Desde então, já assumiu outras designações, em virtude de ter sido adquirido ou transferido para outras companhias. 

Até à denominação actual, o Black Watch já navegou como Westward e também como Star Odyssey.

Possui 205 metros de comprimento, 25 metros de boca e 7,3 metros de calado. 

Desloca 28,613 toneladas de arqueação bruta e tem capacidade máxima para acomodar 800 passageiros com 380 tripulantes.

 

Disney Magic regressa Domingo

 

 Domingo marca o regresso a Ponta Delgada do DISNEY MAGIC, o mais antigo paquete da conceituada operadora Disney Cruise Line.

O navio estará a fazer um roteiro transatlântico, iniciado em Miami, no dia 12, e que irá terminar em Barcelona, no próximo dia 25, contemplando escalas igualmente em Lisboa, Málaga, Cádiz e Cartagena.

Inaugurado em 1998, o DISNEY MAGIC foi construído na Itália pelos estaleiros Fincantieri, em Monfalcone.

Como principais características, salientamos os 294 metros de comprimento, 32,2 metros de boca, 8 metros de calado, 83 mil toneladas de arqueação bruta e capacidade máxima para 1800 hóspedes em ocupação normal e 900 tripulantes. 

O navio disponibiliza 11 decks para passageiros, com um total de 875 cabines.

Orientado para os mais novos e para o universo Disney, o navio surpreende pelas suas linhas exteriores,  influenciadas pelos grandes paquetes dos anos 30, sendo igualmente de destacar o seu colorido.

 

Seven Seas na Quinta-feira

 

Para a próxima Quinta-feira está agendado o regresso a Ponta Delgada do luxuoso navio de cruzeiros SEVEN SEAS NAVIGATOR, um dos navios da famosa operadora Regent Seven Seas Cruises, uma das empresas “Premium” do grupo Norwegian Cruise Line Holdings Lda, que no início do mês esteve em Ponta Delgada e na Horta.

Esta escala em Ponta Delgada está inserida num cruzeiro “east bound”, de 15 noites, iniciado em Nova York, no dia 15, e que contempla igualmente paragens em Brest e Cherbourg, na França, e Zeebrugge, na Bélgica, antes de terminar o itinerário em Amesterdão, no próximo dia 29.  

Construído em 1999 nos famosos estaleiros Moriotti, em Itália, o SEVEN SEAS NAVIGATOR possui 28.803 toneladas de deslocamento. 

As suas dimensões são 170,6 metros de comprimento, 24,8 metros de boca e um calado de 7,5 metros. 

Tem capacidade para receber até 504 passageiros, sendo a sua tripulação composta por 326 elementos.

 

Peace Boat no dia 31

 

As escalas do mês de Maio irão terminar no próximo dia 31, com a segunda visita a Ponta Delgada  do OCEAN DREAM, navio que opera pela ONG nipónica Peace Boat, e que passou pela primeira vez em Ponta Delgada a 14 de Outubro de 2015.

Antigo navio da Carnival, o OCEAN DREAM navega agora sob a bandeira daquela organização japonesa que se dedica a promover a paz pelo mundo, bem como os direitos humanos e respeito pelo meio ambiente.

Anualmente aquela organização organiza três voltas ao mundo com a duração de pouco mais de 3 meses e que permite aos seus passageiros e voluntários percorrer muitos portos ao longo do seu itinerário, estando neste momento a realizar  a sua 101ª viagem global, iniciada a 20 de Abril, na cidade japonesa de Yokohama, e que terá o seu fim no próximo dia 2 de Agosto, na cidade de Osaka, igualmente no Japão.  

Construído em 1981 nos estaleiros Aalborg Vaerft, em Aalborg, na Dinamarca, sob o nome Tropicale, foi o primeiro navio de cruzeiros mandado construir pela Carnival.

Esteve ao serviço da mesma até 2001, quando foi transferido para Costa Cruzeiros, que na altura já era uma subsidiária da Carnival, passando a chamar-se Costa Tropicale.

Em 2005 foi novamente transferido, desta vez para P&O Austrália, aonde se manteve com o nome de Pacific Star até ser adquirido pela Royal Caribbean, em 2008, e entregue à Pullmantur, onde se manteve até ao final de 2011, quando foi adquirido pela Maritime Holdings Group, e passando a operar pela Peace Boat.

O OCEAN DREAM possui 204 metros de comprimentos, 26,3 metros de boca, deslocando 33.350 Gros. Ton. Tem capacidade máxima para 1400 passageiros e possui uma tripulação de 500 elementos.

Muito embora seja um navio com 38 anos de existência e, fruto das diversas reconversões que sofreu, mantém uma excelente qualidade em todos os seus espaços, a fim de poder cativar, principalmente no mercado nipónico, passageiros e voluntários para as suas viagens pelo globo.

Nestes itinerários os seus convidados podem viver, aprender e relaxar num ambiente muito calmo, ao mesmo tempo que viajam por alguns dos lugares mais exóticos do planeta. 

Durante cada viagem a Peace Boat organiza uma série de actividades educacionais, incluindo conferências e palestras  por oradores convidados, ao mesmo tempo que existem aulas de línguas (japonês, inglês e espanhol) permitindo assim que todos possam aprender algo de novo enquanto viajam.

 

Azores Cruise Club/Diário dos Açores