23% dos jovens açorianos continuam no desemprego

  • Imprimir

pessoas em Ponta Delgada1O desemprego nos Açores abrange 8,4% da população activa, continuando a ser maior nos mais jovens, que no 1º trimestre deste ano atingiu 23,2% dos indivíduos com idades compreendidas entre os 15 e os 24 anos, revela um estudo do SREA agora divulgado.

 Mesmo assim é a menor taxa da actual série do Inquérito ao Emprego, tendo diminuído 9,5 pontos percentuais relativamente ao trimestre anterior.

A diminuição homóloga do desemprego deveu-se fundamentalmente à diminuição do número de desempregados à procura do primeiro emprego, que passaram de 1.913 para 1.419 indivíduos (-25,8%), uma vez que o número de desempregados à procura de novo emprego diminuiu apenas 1,5%, passando de 9.019 indivíduos para 8.880 indivíduos.

Na análise por sexos, em termos homólogos, verifica-se uma variação em termos de peso no total do desemprego: o sexo masculino passou de 56,2% para 48,8% do total do desemprego, e o sexo feminino de 43,8% para 51,2%. 

 

Menos trabalhadores por conta própria

 

Quanto à situação na profissão verificou-se um aumento (1,0%), em termos homólogos, no grupo dos trabalhadores por conta de outrem, enquanto que no grupo dos trabalhadores por conta própria ocorreu uma diminuição (3,4%). 

No que diz respeito à variação trimestral, verificaram-se aumentos nos trabalhadores por conta de outrem (1,1%) e nos trabalhadores por conta própria (2,5%).

Neste último grupo, os trabalhadores por conta própria como isolados apresentaram aumentos na variação homóloga (0,7%) e na variação trimestral (10,9%). 

Os trabalhadores por conta própria como empregadores, registaram diminuições, quer em ternos homólogos (14,1%), quer em termos trimestrais (16,8%).

Os trabalhadores por conta de outrem que possuem um contrato permanente, registaram uma variação homóloga positiva (0,3%) e uma variação trimestral negativa (3,4%).

Nos trabalhadores com contrato não permanente, a variação homóloga foi negativa (10,3%) e a variação trimestral foi positiva (3,1%).

A Subutilização do trabalho diminuiu 8,5% relativamente a igual trimestre de do ano anterior e 0,7% comparando com o 4º trimestre de 2018. 

 

Mais emprego no sector secundário

 

Na evolução do emprego por sectores de actividade, verificou-se um aumento na variação homóloga no sector secundário (6,7%) e diminuições nos sectores primário (4,4%) e terciário (0,4%). 

Na variação trimestral, apenas o sector primário apresentou uma diminuição (5,5%). 

Os sectores secundário e terciário registaram aumentos: 1,1% e 2,0% respectivamente.

Nas variações trimestrais o maior aumento verificou-se no subsector da educação e a maior diminuição ocorreu nas actividades da saúde humana e apoio social (5,3%).

Em termos homólogos, o maior aumento foi no subsector do comércio por grosso e a retalho (18,6%) e a maior diminuição nas actividades de saúde humana e apoio social (14,5%).