Oposição receia novo desastre nas contas da SATA

  • Imprimir

Aeroporto PDLO PPM/Açores disse ontem temer um “novo desastre nas contas do segundo trimestre” da transportadora aérea SATA, com o Governo Regional a responder que há trabalho diário rumo a um “percurso de estabilização da empresa e da sua operação”. 

Em interpelação do PPM na Assembleia Legislativa dos Açores, o parlamentar monárquico Paulo Estêvão lembrou que o grupo SATA “somou, entre 2014 e o primeiro trimestre de 2019, mais de 200 milhões de euros de prejuízos”, um “desastre de enorme dimensão”.

Para o deputado, o problema da gestão da empresa reside “no controlo e na tutela que o PS exerce” sobre a mesma, pelo que é necessária uma “solução política” que passa “pela urgente remoção do PS/Açores” do poder na região.

Na primeira resposta ao deputado do PPM, a secretária regional com a tutela dos Transportes, Ana Cunha, sublinhou que de Janeiro a Agosto deste ano foram realizados pela SATA Air Açores - que opera dentro do arquipélago, nas nove ilhas - “mais 376 voos do que em período homólogo no ano transacto”.

“No que à SATA Internacional respeita, neste período foram efectuados mais 12 voos no seu total. Não menosprezemos a SATA. Não sejamos indiferentes ao seu serviço a favor da região. Não desconsideremos nem sejamos indiferentes, noutro nível, aos constrangimentos que afectam a acessibilidade de todos os açorianos”, disse ainda Ana Cunha.

O grupo SATA registou prejuízos de 20,84 milhões de euros nos primeiros três meses deste ano (16,85 milhões na Azores Airlines, que faz as ligações para fora da reunião, e 3,99 milhões na SATA Air Açores), de acordo com informações enviadas à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, no início de julho.

 

“Situação preocupante”, 

segundo o PSD

 

Já o deputado do PSD/Açores,  António Vasco Viveiros, afirmou que o Governo Regional socialista “culpa sempre terceiros” e recusa responsabilidades pelos 220 milhões de prejuízos que a SATA sofreu nos últimos dez anos.

“Com estes resultados negativos, brutais para a nossa pequena dimensão populacional e chocantes para os problemas da nossa Região, perder tanto dinheiro por incompetência e ineficácia é seguramente motivo para que neste Parlamento se debata repetidamente o tema. É que este Governo socialista apenas reage aos acontecimentos, vitimizando-se perante os insucessos, e, com hipocrisia, culpando sempre terceiros”, disse o social-democrata.

“A situação é preocupante pelos prejuízos que, só na actual legislatura e até ao final do primeiro trimestre de 2019, ultrapassam os 130 milhões e que, desde 2008, totalizam 220 milhões de euros. A situação é preocupante pelos prejuízos do primeiro trimestre de 2019, que ultrapassam os 23 milhões, desmentido as previsões do conselho de administração da SATA e subscritas pelo Governo”, frisou. 

António Vasco Viveiros acrescentou que a situação da SATA é igualmente preocupante “por questões operacionais, sendo que a época alta, que ainda decorre, foi mais uma vez, um absoluto fracasso”.