Vasco Cordeiro diz que Elisa Ferreira é “a mulher certa no lugar certo”

Vasco Cordeiro1O Presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, considerou ontem que a assunção da pasta da Coesão e das Reformas pela nova Comissária Europeia designada por Portugal, Elisa Ferreira, “é, claramente, uma situação em que estamos perante a mulher certa no lugar certo”.

“Pela sua competência, pelas suas qualificações, mas também pela sua sensibilidade política e pelo conhecimento que tem, desde logo, do território de um país como Portugal, com as suas regiões ultraperiféricas dos Açores e da Madeira, a assunção desta área em concreto traz-me a fundada esperança de que a Coesão, um dos grandes desígnios do projecto europeu, possa ganhar uma relevância acrescida, uma capacidade de concretização mais determinada e uma relevância política mais consistente”, afirmou Vasco Cordeiro.

“E se essa é uma necessidade urgente e imperativa do ponto de vista daquilo que a União Europeia deve fazer, é também uma necessidade na perspectiva daquelas regiões que, como os Açores, têm na Política de Coesão e nos instrumentos que a concretizam um dos mais visíveis elementos da sua pertença à União Europeia”, sublinhou o Presidente do Executivo açoriano.

Segundo Vasco Cordeiro, embora o processo de nomeação da nova Comissão Europeia ainda decorra, “podemos dizer que está de parabéns o projecto europeu por ter uma pessoa com as qualidades, competência e determinação da Dra. Elisa Ferreira aos comandos de uma área fundamental -  e algo maltratada nos últimos anos -, como é a Coesão, e está de parabéns o Governo português pela forma como conduziu este processo, ‘ganhando’ para Portugal uma pasta de extrema relevância com uma personalidade que, pelo seu trabalho, estou certo que dignificará a União Europeia e prestigiará o nosso país”. 

 

Elisa Ferreira promete empenho  contra as tendências desagregadoras que “ameaçam” a UE

 

A comissária europeia portuguesa indigitada, Elisa Ferreira congratulou-se com o pelouro que lhe foi atribuído e defendeu o empenho de todos contra as “tendências desagregadoras” que “ameaçam” a União Europeia. Afirmou ainda que foi com “a maior honra” que aceitou “o convite do Primeiro-Ministro” para assumir o cargo.

“É igualmente com muita satisfação, e consciente da elevada responsabilidade que me é confiada, que exercerei o pelouro que me foi atribuído para os próximos cinco anos, caso venha, como espero, a ser confirmada no cargo para que fui indigitada”.

Para Elisa Ferreira, “investimento, desenvolvimento económico, coesão territorial, convergência económica e social no quadro da União Económica e Monetária e transição energética são áreas prioritárias da Comissão Europeia”, nas quais disse ir colocar toda a “determinação, energia e experiência” adquirida ao longo da sua carreira profissional.

“Nunca, como hoje, a União Europeia precisou tanto do empenhamento de todos contra as tendências desagregadoras que a ameaçam”, afirmou.

À presidente da Comissão, Elisa Ferreira manifestou toda a “lealdade” para “defender a UE e torná-la tangível no dia-a-dia dos seus mais de 500 milhões de cidadãos”.