Feteiras já têm centro de dia para idosos

 idosos-feteirasOs idosos das Feteiras têm desde domingo um espaço próprio para conviverem e ocuparem os seus tempos livres. O Centro de Dia de Idosos foi domingo, numa cerimónia presidida por Berta Cabral e que contou com a presença de dezenas de idosos da freguesia.
Na altura, a Presidente da Câmara de Ponta Delgada destacou a importância da ocupação e do convívio entre os idosos para combater a solidão, sublinhando que a abertura do centro de dia das Feteiras acontece precisamente no Ano Europeu do Envelhecimento Activo “e isso é que o pretendemos para os nossos idosos, que sejam activos, que ocupem o seu tempo”.
O Centro de Dia das Feteiras é o décimo que a Câmara de Ponta Delgada apoia e acompanha de forma mais permanente. Santa Clara, Matriz, Pilar, Ajuda, Remédios, Santa Bárbara, São Vicente, Arrifes e Covoada são os restantes.
Depois de algumas obras levadas a cabo pela autarquia, o espaço que alberga o Centro de Dia, cedido pela Associação Recreativa e Cultural das Feteiras, vai servir agora para que os idosos das Feteiras possam conviver entre si, promovendo e participando em actividades que visam estimular o contacto social e até mesmo combater a solidão, como referiu Berta Cabral, para quem o convívio entre as pessoas, sobretudo os idosos, é extremamente importante.
“Em alturas difíceis como a que vivemos, em que os recursos financeiros  são insuficientes, temos que dar uma maior atenção a quem mais precisa, nomeadamente aos nossos idosos, para que possam ter uma mais vida feliz e, sobretudo, mais activa. Os Centros de Dia que a Câmara de Ponta Delgada apoia e acompanha permanentemente têm essa função” - acentuou.
Berta Cabral fez questão de referir que a dinamização dos centros de dia para idosos só é possível graças aos presidentes de Junta, aos serviços da Divisão de Acção Social da autarquia e às associações que se predispõem a trabalhar voluntariamente.
“Só com a parceira, a entreajuda e a optimização de recursos conseguimos fazer o que temos feito em prol das crianças, dos jovens, das famílias e dos idosos. Com o nosso trabalho tentamos criar uma sociedade mais justa e mais adequada aos tempos que correm, em que os valores humanos têm de se sobrepor aos bens materiais” - disse.