ProSucesso custou mais de 9,7 milhões de euros nos últimos quatro anos

paulo estevãoO ProSucesso - Plano Integrado de Promoção do Sucesso Escolar terá custado, nos últimos quatro anos, mais de 9,7 milhões de euros. O valor foi avançado pelo Governo Regional em resposta a um requerimento do PPM, mas o partido considera que o montante está “subavaliado”.

“Segundo o Governo Regional, o ProSucesso custou, nos últimos quatro anos, 9.766.188,54 euros. A Representação Parlamentar do PPM considera que o custo global do projecto está claramente subavaliado e que não contabiliza o conjunto dos recursos humanos alocados ao ProSucesso”, refere o deputado Paulo Estêvão, numa nota enviada ontem à comunicação social. 

Os dados enviados ao PPM dão conta de que o programa envolve 451 docentes, cuja redução da componente lectiva é variável: “107 docentes a 100%, 4 docentes a 75%, 10 docentes a 50%, 303 docentes com redução por segmentos (de 1 a 12 segmentos)”.

Para o popular monárquico, a resposta do executivo comprova que “o ProSucesso transformou-se num estado dentro do Estado. Um projecto com uma dinâmica de crescimento imparável, que custa cada vez mais e que absorve cada vez mais recursos humanos”. 

O deputado considera que o programa “introduziu uma burocracia asfixiante no sistema educativo regional” e que os seus resultados “são claramente decepcionantes, conforme fica patente através da análise dos resultados alcançados nos exames nacionais e nos testes PISA”. 

“Ao contrário do que estabelece a legislação criada pelo próprio Governo Regional, o ProSucesso, que está no seu quinto ano de implementação, ainda não foi objecto de avaliação externa”, alerta ainda Paulo Estêvão, que recorda que “a legislação referida estabelece que a avaliação externa do ProSucesso se deverá realizar de dois em dois anos”. 

“A avaliação externa é imprescindível para avaliar a implementação de qualquer projecto pedagógico, uma vez que a informação produzida pelos próprios agentes envolvidos directamente nos projectos têm um carácter muito subjectivo, na medida em que amplifica os êxitos e tende a menosprezar e desculpabilizar os fracassos”, aponta o deputado único do PPM.