Suspensos os voos da SATA de e para a ilha Terceira

AAAAvascoEstão suspensos, desde as 18 horas de ontem, todos os voos da SATA de e para a ilha Terceira, excepto as ligações de transporte de carga, avançou ontem o presidente do Governo dos Açores, que  anunciou também o encerramento de todos os serviços públicos não essenciais na Região.

Estas foram duas das medidas tornadas públicas esta segunda-feira, em conferência de imprensa, após ter sido confirmado o caso positivo na ilha Terceira, pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. O Conselho do Governo dos Açores esteve reunido, via teleconferência, e após contacto prévio com os municípios de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória, decidiu suspender as ligações aéreas inter-ilhas para a Terceira e centrar a operação da SATA em Ponta Delgada.

“Na sua qualidade de accionista do Grupo SATA, determinar ao Conselho de Administração da Azores Airlines que concentre a sua actividade operacional no aeroporto de Ponta Delgada, de forma a optimizar o trabalho das autoridades de saúde pública, excepto os voos de transporte de carga ou casos de força maior, desde que devidamente autorizados pela Autoridade de Saúde Regional”, revelou Vasco Cordeiro.

O chefe do executivo açoriano avançou ainda que o Conselho de Governo deliberou suspender o contrato nas ligações aéreas “de todas as ilhas dos Açores para a ilha Terceira, e da ilha Terceira para todas as outras ilhas dos Açores, excepto na parte respeitante a voos de transporte de carga ou casos de força maior”.

Questionado sobre a operação das companhias aéreas TAP e Ryanair na ilha Terceira, Vasco Cordeiro sublinhou que há conversas com a autoridade de saúde pública e que “a seu tempo” serão conhecidos novos desenvolvimentos sobre a matéria.

Recorde-se que, no passado sábado, após contactar com os líderes dos partidos políticos representados no Parlamento dos Açores, com a ppresidente da ALRA e da AMRAA, Vasco Cordeiro deu conta que enviou uma carta ao Primeiro-Ministro a solicitar a suspensão urgente das ligações aéreas do exterior, incluindo do território nacional, com os aeroportos dos Açores, com excepção do transporte de carga e casos de força maior, desde que autorizados pela competente Autoridade de Saúde. Outra medida tomada no sábado foi a concentração da capacidade operacional da Azores Airlines nos aeroportos de Ponta Delgada e Lajes. Agora, a operação centra-se apenas na ilha de São Miguel.

Foi também decretado a partir do domingo, dia 15 de Março, a obrigação de se cumprir um período obrigatório de quarentena de 14 dias, determinado pela Autoridade de Saúde Regional, por todos os passageiros de voos do exterior que aterrem na Região estão obrigados a cumprir um período obrigatório de quarentena de 14 dias, determinado pela Autoridade de Saúde Regional.

 

Encerramento total de serviços públicos

 

Por outro lado, e após ouvida a Associação de Municípios da Região Autónoma dos Açores, o Governo decretou ainda o encerramento total dos serviços públicos não essenciais na Região. 

Uma medida que entrou às 00h00 de hoje em vigor, que abrange “todos os serviços públicos da administração regional directa e indirecta, incluindo institutos públicos e empresas públicas, com excepção de serviços públicos essenciais”, avançou Vasco Codeiro

As excepções vão para os serviços de saúde e de protecção civil, para o processamento de prestações sociais, para os matadouros e desembarque e venda de pescado (mantém-se a actividade do Instituto Abastecedor de Mercados Agrícolas - IAMA e da Lotaçor), serviços inspectivos.

Mantêm-se ainda os serviços de fornecimento de energia eléctrica e “os que estejam relacionados com o abastecimento de combustível e de transportes”, a par de “outros que sejam necessários para assegurar as necessidades essenciais da população”, afirmou o presidente do Governo regional.

Vasco Cordeiro anunciou ainda a “manutenção de todos os serviços de apoio ao domicílio para pessoas mais fragilizadas, com verificação prévia do estado de saúde do utente e do seu agregado familiar, bem como do prestador do serviço”.

Foi também decidido “prorrogar, automaticamente, até dia 30 de Abril” todos os prazos administrativos que se concluam até dia 31 de Março” e prorrogar até à mesma data “todas as certidões, certificados ou licenças que caduquem até dia 31 de Março”. 

Na conferência de imprensa, o líder do executivo regional aproveitou para “enaltecer o comportamento pró-activo” dos municípios e empresas açorianas por activarem os seus planos de contingência e “acatarem” as recomendações que têm sido, a todo o momento, emanadas pela Autoridade de Saúde Regional.

Mas deixou um apelo especial “aos titulares e responsáveis de estabelecimentos de restauração e bebidas - restaurantes, snack-bares, bares e cafés - para darem cumprimento às orientações das autoridades em matéria de horários de funcionamento e restrições ao acesso a esses estabelecimentos”.

 

Vasco Cordeiro garante transparência pela sua “honra pessoal”

 

Por outro lado, apelou ainda aos internautas “frequentadores das redes sociais”, no sentido de “não aderirem a rumores ou boatos, dando a garantia, pela minha honra pessoal, que, quer o Governo, quer a Autoridade de Saúde, tiveram, têm e terão uma atitude de total e absoluta transparência, desde logo, sobre número de casos suspeitos, número de casos positivos e seu desfecho”.