49 casos positivos, 38 casos suspeitos e 2051 pessoas em vigilância activa nos Açores

1 AAA Tiago lopes

Foram ontem detectados dois novos casos positivos de COVID-19 nos Açores. Um encontra-se na ilha do Pico, tratando-se de um indivíduo do sexo masculino, com 57 anos, que já se encontrava de quarentena por ter história de viagem recente ao exterior. Este novo caso não pertence, no entanto, ao agregado familiar dos cinco casos reportados a 29 de Março. O outro caso está localizado em São Miguel, estando relacionado com uma das cadeias de transmissão local detectadas no concelho da Povoação, ilha de São Miguel.

Ainda sobre as duas cadeias de transmissão local detectadas neste concelho de São Miguel, a Autoridade de Saúde Regional deu conta que após o trabalho que tem sido feito para averiguar a proveniência destas duas cadeias de transmissão, “estamos prestes a descobrir a origem deste foco” na Povoação, sendo que o cerco sanitário decretado na Povoação ajudou às Autoridades Regionais a chegarem aos resultados obtidos até ao momento, frisou Tiago Lopes. Sobre esta matéria, o Director Regional da Saúde adiantou que “com os resultados negativos já obtidos, não temos evidência que exista uma cadeia de transmissão secundária”, estando circunscrito a dois grupos de cidadãos residentes no concelho. A Autoridade de Saúde Regional frisou, por outro lado, que agora serão aprofundados com as pessoas que ainda falta recolher amostras para análises laboratoriais alguns dados “no sentido de descobrir o paciente zero que originou as duas cadeias de transmissão local naquele concelho”.

Dos 113 casos suspeitos divulgados na Segunda-feira pela Autoridade de Saúde Regional, registaram-se 96 resultados negativos (59 da ilha de São Miguel, 18 da Terceira, 12 do Pico e 7 do Faial, estando os restantes a aguardar resultados ou colheitas laboratoriais.

Até à data, foram detetados na Região 49 casos positivos para infecção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença COVID-19, sendo 19 em São Miguel (12 no concelho de Ponta Delgada, cinco no concelho da Povoação, 1 no concelho da Ribeira Grande e 1 no concelho de Lagoa), nove na ilha Terceira (4 em Angra do Heroísmo e 5 na Praia da Vitória), 9 no Pico (4 na Madalena do Pico e 5 em São Roque do Pico), 7 em São Jorge (2 no concelho das Velas e 5 na Calheta) e 4 no Faial (todos do concelho da Horta).

Às 16h00 de ontem estavam registados na Região mais 38 casos suspeitos que aguardam os resultados das análises ou recolha de amostra biológica, estando em vigilância activa, em todas as ilhas dos Açores, 2051 pessoas que estão a ser seguidas diariamente pelas delegações de saúde concelhias.

No que concerne a internamentos estão seis no Hospital do Santo Espírito, na ilha Terceira, estando um na unidade de cuidados intensivos, dois no Hospital da Horta, ilha do Faial e dois no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, todos os restantes 39 casos positivos estão em contexto domiciliário e apresentam situação clínica estável.

 

Doentes Covid em casa

 

Conforme explicou Tiago Lopes, aos doentes que estão em contexto domiciliário é feito um acompanhamento médico que aplica “o mesmo tratamento que é feito para qualquer caso positivo de infecção pelo novo coronavírus”. De acordo com este responsável, “numa fase inicial é feito com base nos sinais e sintomas, com a devida medicação para atenuar estes sinais e sintomas e depois, mediante a evolução poderão ser adoptadas outro tipo de terapêuticas que, apesar de não existir, neste momento, uma evidência científica extremamente forte que permite a cura destes casos, é o que estamos a seguir dentro do que é o melhor e a mais recente evidência científica e que está a ser utilizada em todo o território português”.

Ao nível nacional, o relatório de ontem da Direcção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica em Portugal desta terça-feira, dia 31, trouxe o maior aumento bruto de casos de sempre desde que a pandemia chegou ao nosso país, num total de 1.035 apenas num dia. Assim, Portugal passa a ter 7.443 infectados, mais 16% do que na véspera. Já o número de mortes subiu de 140 para 160, com especial incidência no Norte e no Centro (15) e uma taxa de mortalidade actualizada de 2,15%. O número de casos recuperados continua a manter o registo dos últimos dias, 43.

More articles from this author