Açores têm a segunda maior taxa de letalidade

covid-19 - cama desinfectante

De acordo com os últimos dados oficiais da Direcção-Geral da Saúde, a taxa de letalidade do novo coronavírus na região Centro chega aos 5%, a maior em todo o país e o dobro da registada em Lisboa (2,5%), segundo a Renascença.

O arquipélago dos Açores segue-se na lista, com 4,3%.

Este indicador corresponde à proporção entre o número de mortes por uma doença e o número total de pessoas que sofrem dessa doença, num determinado período de tempo - ao contrário da taxa de mortalidade, um índice demográfico que reflecte o total de óbitos causados por determinada doença.

O Algarve regista uma taxa de letalidade que ronda os 3,2%, seguida da região Norte com 3%. Alentejo e Madeira continuam sem registo de mortes causadas pela Covid-19.

“Há de facto pequenas variações regionais que podem refletir três circunstâncias especiais. Uma delas é a distribuição demográfica da população, uma vez que sabemos que a taxa de letalidade aumenta, de facto, com a idade”, explicou Graça Freitas na conferência de imprensa desta segunda-feira.

“Outra questão muito importante é a densidade populacional, nas regiões onde há focos de doença, e a outra questão diz respeito à concentração de pessoas vulneráveis em instituições”, acrescentou a directora da DGS.

A seguir ao Alentejo, a região Centro é aquela que apresenta o maior índice de envelhecimento a nível nacional - 197 idosos por cada 100 jovens. 

O Alentejo apresenta o mais baixo número de pessoas por quilómetro quadrado (22,4) e a região Centro soma mais do triplo deste valor (78,9).

A taxa de letalidade a nível nacional continua a aumentar e chegou esta segunda-feira aos 3,2%, o valor mais alto até ao momento. 

Dos 16.934 casos confirmados com o novo coronavírus em Portugal, 535 acabaram por morrer.

Este valor está acima das estimativas globais que apontam para uma taxa de letalidade a nível mundial de 1,4%.