Iluminação pública a crescer e os domésticos a poupar...

  • Imprimir

O consumo de iluminação pública nas estradas regionais apresentou em Fevereiro um aumento de 4,9% em relação a igual mês de 2011, o que é o único aumento significativo verificado no consumo, exceptuando-se os “consumos próprios (industriais)” da própria empresa EDA. A única outra subida verificou-se no sector do “comércio e serviços”. Os restantes baixaram, com destaque para o segmento dos domésticos, que efectuou uma redução significativa de 7,8%.
Os dados ontem tornados públicos pelo Serviço Regional de Estatística são agora a única fonte de informação sobre este assunto, uma vez que os Relatórios Mensais da EDA deixaram de conter os dados sobre o consumo – uma prática que se mantinha há vários anos.
Analisando os resultados mensalmente, o que se percebe é que a iluminação pública nunca baixou realmente, apesar dos anúncios governamentais que mencionavam reduções que passariam até por desligar algumas lâmpadas nas estradas. Apenas no mês de Junho houve uma redução de 6% (em termos homólogos), mas essa redução foi de imediato recuperada pelas subidas de mais de 7% nos dois meses seguintes. O maior aumento do ano deu-se em Outubro, com mais 9,3%. Em Dezembro, o aumento anual tinha sido de 3%.
Os 4,9% verificados em Fevereiro não são um bom sinal e comparando a soma dos dois primeiros meses percebe-se que o crescimento é de 3,44%, o que é superior ao crescimento médio anual de 2011.
Já em relação aos clientes domésticos, o comportamento é radicalmente oposto. Em 2011 a redução foi de apenas 1,68% em relação a 2010, com apenas 3 meses de reduções ao longo de todo o ano. Mas em Janeiro já se verificou uma redução de 10,8% e em Fevereiro outros 7,9%. Comparando o total desses dois meses com o ano passado, trata-se de uma redução acumulada de -9,35%, o que é completamente inusitado: nos 20 anos desde 1993 apenas houve 3 reduções, neste período e nunca foram superiores a 4 pontos percentuais.
Na iluminação pública não houve reduções, mas nos consumos dos serviços públicos eles são significativos. Em Fevereiro houve uma redução de -5,46%, que sobe para os -6,75% quando se soma o mês de Janeiro. Já no comércio e serviços houve um aumento de 0,96% em Fevereiro, mas no total dos dois primeiros meses do ano houve também uma redução de -4,48%. Nos industriais houve uma redução de -0,18% em Fevereiro e de -20,72% quando se junta Janeiro. Ou seja, no conjunto dos dois primeiros meses de 2012, a iluminação pública foi a única a crescer...