Açores serão “laboratório vivo” de projecto de economia circular na construção civil

construção-civilA Fibrenamics, plataforma internacional da Universidade do Minho, e o Laboratório Regional de Engenharia Civil (LREC-Açores) vão lançar um projecto de Economia Circular para o sector da construção civil que terá como palco os Açores.

 Com o nome “Ambiente_Sregional”, o projecto visa a criação de uma plataforma que promova a articulação de diferentes entidades envolvidas na valorização de resíduos no sentido de se formarem cadeias de valor. Será desenvolvido nos Açores, tirando partido do ecossistema característico das suas ilhas. 

“A Europa, Portugal e, em especial, os Açores, pela sua dependência da importação de matérias primas e produtos comerciais, terão vantagens económicas e estratégicas, na adoção de um paradigma de economia circular. Contudo, a transição entre os modelos linear para circular é um processo complexo. Por esse motivo, e tendo em consideração a dimensão, dispersão geográfica, existência de diversos operadores de resíduos licenciados e o bom nível de monitorização e conhecimento sobre a produção de resíduos, considerámos que a Região Autónoma dos Açores corresponde a um bom ‘laboratório vivo’ para a implementação e teste das operações propostas neste projecto, para posterior exportação do modelo para um nível nacional e internacional”, explica Fernando Cunha, director Executivo da Fibrenamics, citado em comunicado.

Segundo explica a plataforma da Universidade do Minho, o principal objectivo do projecto é a implementação de um novo modelo para a economia circular, sendo que a primeira fase servirá para realizar o estudo e caracterização dos resíduos existentes, efectuar o mapeamento e a angariação de parceiros associados ao processo de valorização dos resíduos. 

Numa segunda fase, serão desenvolvidos modelos demonstradores para validação da tecnologia de reconversão de resíduos em produtos, um processo que será liderado por uma equipa de criativos. Paralelamente, o modelo de circularidade será optimizado no sentido da criação das cadeias de valor e futura articulação através de uma plataforma digital.

 A fraca cooperação entre os vários stakeholders do sector da construção, em particular em aspectos relacionados com a economia circular e reincorporação de resíduos em produtos de construção, assim como a necessidade de apostar no desenvolvimento do mercado da valorização de resíduos, estiveram na base deste projecto. “A ideia para este projecto partiu do conhecimento prévio e da experiência que os seus promotores possuem na área da sustentabilidade, tendo também por base os trabalhos já desenvolvidos e acima de tudo uma estratégia, bem definida, para a economia circular. Este projecto irá permitir ter uma plataforma para a circularidade dos produtos associados à construção que integre os diferentes agentes associados à cadeia de valor”, afirma Francisco Fernandes, Diretor do LREC.

 Uma equipa de 20 pessoas estará directamente envolvida no desenvolvimento do projecto “Ambiente_Sregional”, que tem como promotor líder o Laboratório Regional de Engenharia Civil, dos Açores, e como CoPromotores a Fibrenamics da Universidade do Minho por via da entidade CIMPA e um parceiro Islandês, a entidade ReSource International.

O projecto conta com um financiamento de cerca de 500 mil euros por parte do EEA Grants Ambiente, suportado pelo Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu – EEA Grants.