Festas da Ribeira Grande este ano sem cavalhadas e marchas populares

Cavalhadas São Pedro 1

A Ribeira Grande assinala amanhã o seu 39º aniversário e, em virtude da actual situação pandémica, a autarquia também se viu forçada a cancelar algumas das actividades que, normalmente são consideradas os pontos altos das festas. É o caso, por exemplo, das tradicionais Cavalhadas de São Pedro que, este ano de 2020, não se realizam devido à Covid.

Todos os anos, as Cavalhadas levam até à Ribeira Grande centenas de pessoas para assistirem ao desfile em honra a São Pedro. Para além das Cavalhadas, também foram canceladas as tradicionais sopas do Espírito Santo, a mordomia do Espírito Santo que este ano seria organizada pela autarquia e as marchas de São Pedro.

Ainda assim, está assegurada a celebração da Eucarística que vai ter lugar, como habitualmente, amanhã, 29 de Junho, com todas as normas de segurança recomendadas pela Autoridade de Saúde. Também por este motivo, este ano haverá alâmpadas apenas no interior da Igreja de São Pedro, uma vez que este trabalho envolve a participação de muitas pessoas, o que no estado actual não é recomendável. Recorde-se que o ano passado foram feitas cerca de 1.200 alâmpadas).

À semelhança de anos anteriores, a Câmara Municipal vai transmitir a missa em directo na sua página de Facebook.

 

Cavalhadas de São Pedro

entre as finalistas às “7 Maravilhas

da Cultura Popular

 

As Cavalhadas de São Pedro estão entre as finalistas regionais às “7 Maravilhas da Cultura Popular”, anunciou a RTP, promotora do evento. A tradição secular que remonta ao século XVI foi seleccionada pelo júri para integrar as eliminatórias regionais a partir do dia 6 de Julho.

“Esta é uma qualificação que nos orgulha e demonstrativa da relevância das nossas tradições”, salientou Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara da Ribeira Grande que também destacou a importância da nomeação para a divulgação do município.

“O concurso das 7 Maravilhas da Cultura Popular coloca o foco no turismo interno e convida os portugueses a conhecerem um pouco mais do país. A Ribeira Grande não foge à regra e a divulgação da tradição das Cavalhadas através do canal público de televisão reforça a premissa que já começamos a divulgar de, este ano, convidar as pessoas a fazerem férias cá dentro.”

As vinte finais regionais correspondem a vinte programas em directo, a transmitir no mês de Julho, apurando-se para a final os vinte vencedores através do voto popular. Nos dias 23 e 30 de Agosto terão lugar os programas que vão apurar os catorze finalistas, realizando-se a final do concurso no dia 5 de Setembro.

As Cavalhadas de São Pedro são um desfile a cavalo que integram a figura de um “rei” ladeado por dois lanceiros (vassalos), seguidos por duas alas com dezenas de cavaleiros, aparecendo no meio delas três corneteiros e com um fecho vigiado por outros dois lanceiros.

Segundo uma das teorias, os homens que montam a cavalo, devidamente trajados, cumprem uma promessa em agradecimento pelo facto da igreja de São Pedro – localizada na freguesia de Ribeira Seca – e respectiva imagem do santo padroeiro, terem ficado intactas durante a erupção vulcânica ocorrida no Pico do Sapateiro no ano de 1563.