Vários voos de Boston e Toronto a partir de amanhã... cheios e sem testes

Azores Airlines 2

A Azores Airlines, anteriormente denominada SATA Internacional, vai retomar os voos internacionais a partir de amanhã, com quatro destinos, Boston, Frankfurt, Praia e Toronto.

A programação inclui, à partida de Ponta Delgada, cinco voos por semana para Boston, dois para Frankfurt, dois para a Praia e quatro para Toronto.

De acordo com dois agentes de viagens, de Fall River e New Bedford, contactados pelo nosso jornal, o primeiro voo de amanhã de Boston está com lotação esgotada (cerca de 170 passageiros) e a esmagadora maioria não traz testes ao covid-19.

Segundo os mesmos agentes, “não se percebe como é que o Governo regional dos Açores precaveu a situação para os voos do Continente, mas aqui nos EUA e julgo que também no Canadá, ninguém sabe quais são os laboratórios certificados, que provavelmente não existem, pelo que toda a gente vai fazer teste à chegada. Agora imagine se o avião do Canadá e o de Lisboa chegarem ao mesmo tempo, a confusão que vai ser no aeroporto de Ponta Delgada”.

Por sua vez, a TAP anunciou que, a partir de Julho, também voará dos Açores para  Boston,  com preços de ida desde 212 euros, e Toronto,  230 euros, ida.

Esta concorrência entre duas empresas públicas está a provocar algum mal-estar nos meios políticos, de que é exemplo um requerimento enviado ao ministro da Economia, pelo deputado social-democrata açoriano Paulo Moniz, onde questiona o Governo da República sobre a “concorrência directa” que a TAP fará à SATA na rota Ponta Delgada-Boston, nos Estados Unidos da América. 

Em 27 de Novembro de 2019, recorda o PSD, a secretária regional do Turismo afirmou que a TAP iria receber apoios, no âmbito do programa VIP.pt, para o lançamento, em 2020, de uma nova operação nesta rota.

Na prática, refere o deputado, “o Governo da República paga à TAP, através do programa VIP.pt, para concorrer directamente a partir de julho com a SATA na ligação entre Ponta Delgada e Boston, uma rota há muito consolidada da companhia aérea dos Açores”.

 

TAP com “Stopover” nos Açores e Madeira?

 

A administração da TAP vai reunir com entidades dos Açores sobre a sua operação, nos próximos dias, tendo já efectuado a reunião com responsáveis madeirenses.

Com efeito, o secretário regional do Turismo e Cultura da Madeira, Eduardo Jesus, reuniu sexta-feira com a administração da TAP por videoconferência. 

O governante pediu a revisão das tarifas da transportadora para o Porto Santo, em Agosto, e abordou o restabelecimento de ligações às grandes capitais europeias. 

A possibilidade de vir a desenvolver um mecanismo de ‘stopover’ na Região, à semelhança do que pretendem também os empresários de turismo dos Açores, voltou a ser discutida e há uma conclusão a reter deste encontro: existe “uma aposta muito forte da TAP na Madeira”

“Entendermos não só o interesse da parceria que existe entre a Madeira e a TAP, mas acima de tudo a circunstância em que nós vivemos. Consideramos que é uma grande oportunidade para reforçar essa mesma parceria”, relevou numa primeira instância o governante.

A TAP baseou-se numa “explicação técnica relativamente aos preços que são hoje apresentados” quanto à ligação para o Porto Santo, no mês de Agosto, “situação que será revista”, garante o secretário regional.

 “Houve esse compromisso por parte da TAP de rever rapidamente, uma vez que não é uma lógica de mercado que está por detrás da formação daquele preço, mas sim uma questão técnica do mecanismo informático que gere aquele tarifário”, explicou.

A TAP manifestou também todo o seu interesse no restabelecimento de ligações directas às principais capitais estrangeiras com as quais a Madeira já teve ligação no passado, nomeadamente Londres, Paris, Madrid, Frankfurt, Zurique ou Barcelona. 

“Houve abertura para se pensar nestas possibilidades e houve um compromisso muito grande da TAP de todas as ligações, via Lisboa, que a permanência no hub seja de menor tempo possível, ou seja, não fazendo com que as pessoas tenham de esperar muito tempo em Lisboa para uma ligação à Madeira”, adiantou Eduardo Jesus, que voltou a falar sobre a possibilidade de se vir a desenvolver um mecanismo de ‘stopover’, ou seja, fazendo com que a Região passe a ser um destino intermediário, onde as pessoas possam passar cá um ou mais dias antes de chegarem, efectivamente, ao destino pretendido. 

Há a forte possibilidade da Madeira vir a oferecer um conjunto de ofertas, nomeadamente experiências, “para que as pessoas adiram a esta possibilidade do ‘stopover’ de uma forma diferente e mais atractiva”, afiançou o responsável pelo turismo, que expressou também o desejo em que seja estabelecido um code-share entre a TAP e a Binter para beneficiar as ligações ao Porto Santo, fazendo com que os passageiros não tenham de desembarcar e voltar a embarcar na Madeira quando se dirigem para o Porto Santo em voos da TAP. 

 

Madeira também quer EUA e Canadá

 

Ainda sobre esta reunião com a TAP, o governante expressou à companhia a vontade em retomar “assim que seja possível” as ligações ao mercado dos EUA e Canadá, aproveitando a oportunidade para recordar as ligações que existiram, neste caso em concreto a então apelidada ‘Rota Colombo’, no sentido de entusiasmar a companhia quanto a um posicionamento diferente, “mas que reclama uma atenção especial de forma a fornecer ofertas apelativas a quem quer visitar a Madeira”. 

Nota também para um olhar nas comunidades madeirenses radicadas na Venezuela e África do Sul. Eduardo Jesus assume que “há um desejo forte da TAP e da Madeira” para que estas ligações sejam restabelecidas “numa parceria duradoura”.

O secretário regional do Turismo destacou igualmente a oferta de ligações para a Madeira que “é superior a qualquer restabelecimento de oferta da TAP para outras rotas”, o que significa que “há uma aposta muito forte da TAP na Madeira”. 

O “despertar da procura e o garantir uma boa ocupação dos aviões” é o que permitirá a sustentabilidade da operação.

 

Novas regras na Ryanair

 

A Ryanair apelou ontem aos seus clientes para seguirem um conjunto de recomendações simples que ajudarão a proteger a saúde dos passageiros e da tripulação, uma vez que a companhia aérea prepara o restabelecimento de 1.000 voos diários a partir de 1 de julho. 

Estas medidas incluem novas regras obrigatórias para prevenir a propagação da Covid-19, bem como recomendações para que os passageiros limitem os contactos físicos e melhores procedimentos sanitários e de limpeza das aeronaves: 

Máscaras obrigatórias - os clientes devem usar máscaras no aeroporto e a bordo do avião; a tripulação da Ryanair deve usar máscaras durante toda a duração do voo, incluindo embarque e aterragem. 

Medição de temperatura – poderá ser solicitada medição de temperatura no aeroporto (antes do check-in/ rastreio de segurança), também recomendamos realizar a medição antes de sair de casa. 

Higiene das mãos - os clientes e a tripulação são encorajados a lavar e utilizar gel desinfectante de mãos com regularidade, tanto nos terminais do aeroporto como antes do embarque. 

Check-In e Cartão de Embarque - os clientes são encorajados a realizar o check-in online e a descarregar os cartões de embarque através da aplicação da Ryanair. 

Self-Service – recomendamos entregar a bagagem no quiosque automático do aeroporto (quando o serviço está disponível). Os clientes também deverão apresentar o cartão de embarque digital no embarque. 

Bagagem Limitada - os clientes são encorajados a reduzir a bagagem, sempre que possível devem transportar apenas 2 malas de mão. 

Fast Track e Priority Boarding - utilização do serviço Fast Track para reduzir os tempos de fila de espera na segurança do aeroporto e Priority Boarding para reduzir a interação. 

Sem filas de espera - durante o embarque não será permitido permanecer nas escadas ou corredores de embarque; dentro do avião não serão permitidas filas de espera para as casas de banho. 

Pagamentos sem numerário – as compras a bordo e pagamentos de taxas aeroportuárias apenas serão efetuados com cartão bancário.

Serviço limitado de Trolley - serviço de catering limitado composto por snacks pré-embalados e bebidas; a revista da Ryanair só estará disponível na aplicação da Ryanair.

Limpeza das aeronaves - todas as aeronaves são desinfetadas diariamente com produtos químicos de nível hospitalar e com uma eficácia superior a 24 horas.

Filtros HEPA – a nossa frota está equipada com um sistema de filtração de ar de última geração que remove partículas transportadas pelo ar e renova o fluxo de ar a cada 3-4 minutos.