300 enfermeiros escrevem carta aberta a Vasco Cordeiro

aaavasco cordeiro

Tendo em conta as declarações públicas por parte da Secretária da Saúde, Teresa Luciano, referentes à valorização profissional dos trabalhadores da área da Saúde dos três hospitais da Região com Contrato Individual de Trabalho por tempo indeterminado, cerca de trezentos enfermeiros da Região decidiram enviar uma carta aberta ao Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro.

Para os representantes deste grupo, “é fundamental que a realizar-se um acordo coletivo de trabalho, sejam ouvidos todos os sindicatos que já demonstraram vontade para tal e que sejam tomadas providências para que, primeiro, não aconteçam assimetrias e desigualdades como no passado aquando do Bónus César, segundo, que esta manifestação pública não seja apenas uma intenção eleitoralista que fique depois sem data para entrada em vigor”.

A referida carta, enviada também ao nosso jornal, recorda que “em Março de 2019, o Governo da Madeira apresentou uma proposta idêntica para os Enfermeiros madeirenses, e neste momento ainda não o concretizou, sendo que o objetivo desta carta aberta é que haja um compromisso público de que será para cumprir”.

O grupo mostra ainda disponibilidade para apresentar o levantamento que fez relativamente às diversas realidades contratuais dos CIT açorianos, para que desta forma haja justiça na atribuição da pontuação.

Na referida carta a Vasco Cordeiro, os 300 enfermeiros solicitam que o Presidente do Governo intervenha no sentido de que “seja colocado por escrito a intenção imediata do Governo Regional em levar a cabo esta acção de relevância de tempo num período inferior a 3 meses”, que “seja feito um levantamento efectivo das diversas realidades no terreno, situação essa que o grupo que assina esta carta já fez e poderá disponibilizar”, que “sejam todos em conta os dois sindicatos que publicamente já demonstraram interesse pela resolução do assunto, nomeadamente o SEP e o Sindepor”, e que “haja efectivação desta medida anunciada no prazo máximo de 3 meses”. 

Recorde-se que há poucos dias o Governo Regional decidiu que todo o tempo de serviço dos enfermeiros em contrato individual de trabalho nos hospitais da Região irá ser considerado para efeitos do enquadramento salarial. 

A decisão é extensível a todas as outras carreiras dos profissionais da saúde nas mesmas condições.

A Secretária Regional da Saúde anunciou, em conferência de imprensa, que “o Governo dos Açores, de acordo com um critério de igualdade, uniforme e transversal a todas as carreiras, reconhece a todos os trabalhadores dos três hospitais da região com contrato individual de trabalho por tempo indeterminado a relevância de todo o tempo de serviço prestado entre 2007 e 2018 para efeitos de valorização remuneratória”.

O Sindicato reagiu, afirmando que “independentemente das motivações que estão por detrás da decisão, não restam dúvidas que tal só foi possível porque a estratégia de luta deste sindicato levou a que nas últimas 3 semanas as reivindicações dos enfermeiros, justas e fundamentadas, estivessem permanentemente nos meios de comunicação social, com grande aceitação e compreensão por parte da população. Lamentamos que a decisão não tenha sido tomada 48 horas mais cedo”.

 

Mais Lidas nos últimos 3 dias

Já atrasou o seu relógio 1 hora?
domingo, 25 outubro 2020, 01:03
S. Miguel penalizou PS e ascendeu o PSD
terça, 27 outubro 2020, 10:46
228.572 eleitores poderão ir hoje às urnas
domingo, 25 outubro 2020, 00:00