“O importante destas festas é transformar o Homem”, diz Monsenhor Agostinho Tavares

monsenhorA cidade de Ponta Delgada acordou hoje para prestar, mais uma vez, homenagem ao Senhor Santo Cristo dos Milagres. Uma tradição com mais de trezentos anos que reflecte a fé inabalável de milhares de crentes e fiéis na Imagem do “Ecce Homo”.
Neste dia em que emigrantes e gentes de outras ilhas e pontos do país nos visitam, o Reitor do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres, o Monsenhor Agostinho Tavares, fala-nos que as festas que agora que estamos a comemorar são especiais porque “estão dentro do coração das pessoas e estão confiadas a uma Mesa da Irmandade que tem vindo a mantê-las sempre com o mesmo percurso e no quinto domingo depois da Páscoa.” Além disso, realça o facto de a festa em si ser “uma coisa exterior”. “O importante dessas festas”, diz, “são os motivos pelos quais elas se realizam, isto é, transformar o homem e encontrar-se a si mesmo e dizer ‘sou justo, sou fraterno, pacífico, sou um homem que não se altera nas bebidas e nas drogas’, portanto ‘luto pelos direitos e valores e procuro que isso aconteça durante a minha vida’.” A festa é, assim, “um encontro consigo e que nos leva a encontrar com o olhar do Senhor Santo Cristo”, tendo salientado que “o resto é sempre uma coisa nova. Se não buscarmos a verdade, não nos encontramos a nós mesmos, e se isso acontece não encontramos aquele que nos cria. Por isso, a festa em honra do Santo Cristo é sempre uma novidade, desde que começou a existir, até porque o ponto de referência da nova humanidade foi Jesus Cristo, morto e ressuscitado”, explica emocionado, pois, embora muitos crentes se concentram para celebrar a presença do Senhor Santo Cristo, muitos deles em penitência e em sofrimento, pedindo pelos seus entes queridos ou, simplesmente, prestando uma  homenagem, esta é uma festa em que se deve festejar, igualmente, o Senhor ressuscitado.

 

»» LER MAIS na versão impressa