Artur Lima anuncia reabertura da Repartição de Finanças da Calheta dentro de “15 a 20 dias”

  • Imprimir

 artur-lima-O presidente do CDS-PP nos Açores, Artur Lima, anunciou ontem a reabertura da Repartição de Finanças da Calheta, em S. Jorge, até ao final de Setembro, mas não especificou as condições em que vai funcionar aquele serviço.
“Quero anunciar que a Repartição de Finanças da Calheta estará em funcionamento dentro de 15 a 20 dias, antes do final de Setembro”, afirmou Artur Lima, em declarações aos jornalistas na Horta, à margem da sessão plenária da Assembleia Legislativa dos Açores.
Segundo a agência Lusa, Artur Lima salientou ter obtido a garantia da reabertura daquele serviço, encerrado há vários meses, por parte das “autoridades nacionais”, sem especificar quais.
Questionado pelos jornalistas, o líder regional do CDS-PP também não adiantou pormenores sobre as condições em que vai funcionar aquela repartição, alegando que “um grupo técnico” vai analisar essa questão nas próximas duas semanas.
Relativamente à possibilidade de virem a ser encerradas outras repartições de finanças nos Açores, Artur Lima admitiu não poder “adiantar nada”, frisando que o seu empenhamento esteve centrado na reabertura da Repartição de Finanças da Calheta.
Numa intervenção proferida a 12 de Junho no parlamento regional, Aníbal Pires, do PCP, afirmou ter conhecimento da intenção do Governo da República de encerrar mais de uma dezena de repartições de finanças no arquipélago, o que poderia deixar sem este serviço cinco das nove ilhas dos Açores.
Na altura, Aníbal Pires revelou ter conhecimento de que estava previsto o encerramento dos serviços de Finanças na Calheta e nas Velas (S. Jorge), Santa Cruz (Graciosa), Lajes, Madalena e S. Roque (Pico), Lajes e Santa Cruz (Flores), Lagoa, Povoação, Nordeste e Vila Franca do Campo e Vila do Porto (Santa Maria).
A concretizar-se a situação denunciada pelo deputado regional do PCP, ficariam sem serviços de Finanças as ilhas de Santa Maria, S. Jorge, Graciosa, Pico e Flores.