Presidente do Parlamento Regional apela a defesa do “regime autonómico”

Ana-LuísA presidente do Parlamento Regional, Ana Luís, afirmou segunda-feira que é importante “reforçar o apelo” à defesa “intransigente” do regime autonómico, considerando que se mantêm “actuais” e “pertinentes” os objectivos que levaram à sua instituição.
Segundo a agência Lusa, Ana Luís falava na sessão solene do Dia da Região Autónoma dos Açores, que decorreu segunda-feira na Assembleia Legislativa Regional.
“Neste dia em que enaltecemos a singularidade e a cultura do povo açoriano, importa reforçar o apelo à defesa plural e intransigente do nosso regime autonómico, reconhecido, e bem, pela democracia, e bem alto afirmar a nossa firme convicção das vantagens de um regime capaz de simultaneamente fortalecer a identidade de um povo, promover o seu desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida sem deixar de ser um firme contributo para a unidade nacional e solidariedade entre portugueses”, afirmou.
Para a presidente do parlamento regional açoriano, “os objectivos fundamentais da autonomia são hoje tão actuais, pertinentes e legítimos como no passado”.
“Sob pretexto algum podemos abdicar deles, da participação livre e democrática de todos os cidadãos, do fortalecimento e fomento dos laços económicos, sociais e culturais com as comunidades residentes fora da região, passando pela diferenciação do sistema fiscal nacional à região, segundo os princípios da solidariedade, da equidade e da flexibilidade”, sublinhou.
Para Ana Luís, os tempos actuais mostram-se exigentes e “deverão servir para accionar o que de melhor há” na “classe política”, apelando a “consensos”.
“Da classe política, a sociedade espera empenho, rigor e capacidade de superação. Importa pois que não defraudando as expectativas desta sociedade, sejamos capazes de ultrapassar compreensíveis e enriquecedoras divergências ideológicas, estabelecer consensos e encontrar soluções que permitam desenvolver nos Açores a qualidade de vida de quem habita nestas ilhas, assente numa efectiva coesão territorial, económica e social”, afirmou.
Para a presidente da Assembleia Legislativa dos Açores, “este processo” passa pelo apoio às famílias e às empresas e pela “capacidade de antecipar e impulsionar novos caminhos para a descentralização como instrumento para a autonomia”, defendendo que “é tempo” de fazer das “diferenças e das singularidades de cada ilha” da região “veículo privilegiado” de um “desenvolvimento coeso”.
Na sessão solene do Dia da Região Autónoma dos Açores houve ainda uma intervenção do presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, e foram condecoradas personalidades e instituições que se destacaram na “consolidação da identidade histórica, cultural, política e económica” do arquipélago.