Valor da renda mensal nos Açores ronda os 246 euros

  • Imprimir

ponta delgada1O valor da renda média mensal nos Açores ronda os 246 euros, segundo dados divulgados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), sendo o município de Santa Cruz das Flores o que regista o maior valor da região (cerca de 306 euros), por oposição ao município de Vila Franca do Campo que tem o menor valor médio (cerca de 160 euros).
No âmbito do arrendamento, o relatório demonstra que “cerca de 13% das residências habituais são ocupadas por arrendatários e a maioria dos contratos da região dos Açores tem duração indeterminada (55% dos alojamentos arrendados e subarrendados) e cerca de 26% dos alojamentos estão arrendados com contratos com prazo certo. Os contratos de renda social ou apoiada correspondem a cerca de 14% dos alojamentos e o subarrendamento a cerca de 5%”. Paralelamente, “cerca de 84% dos alojamentos clássicos ocupados da Região Autónoma dos Açores são residências principais” e “entre os alojamentos clássicos vagos da região, cerca de 18% destinam-se a venda e 15% a arrendamento”.
Nos Açores, “os alojamentos clássicos ocupados como residência habitual apresentam uma área média útil de 118 m2, distinguindo-se os municípios de Madalena e Ponta Delgada com uma área média útil de 124 m2 e 123 m2, respectivamente”.
Além disso, segundo o documento, as residências habituais são, em média, mais espaçosas nas regiões do Centro e dos Açores, do que no resto do país.
Em termos de índices de ocupação, considerando apenas os alojamentos clássicos, verifica-se uma “média de 5,4 divisões por alojamento na região dos Açores”. Por outro lado, residem, em média, três pessoas por alojamento, tendo-se verificado uma maior ocupação média por alojamento no município de Ribeira Grande (3,6 pessoas/alojamento), revelando-se a mais elevada em termos nacionais.
Na região, os proprietários ocupam cerca de 80% dos alojamentos considerados como residências habituais e, entre estes, cerca de 51% têm encargos por compra (com um valor médio de 440 euros mensais). O município das Lajes das Flores, onde cerca de 37% dos alojamentos são ocupados por proprietários com encargos por compra, regista o maior valor de encargos médios por compra (485 euros).
O relatório revela também que cerca de 13% da população residente nos Açores tem 65 ou mais anos e, dos alojamentos familiares da região, cerca de 9% estão ocupados apenas por idosos, sendo que entre estes alojamentos, 54% têm apenas um ocupante idoso.  O município das Lajes do Pico apresenta a maior proporção de idosos residentes (22%), por oposição ao município da Ribeira Grande, com apenas 8,6% da sua população, representando, desse modo, o município onde existem menos idosos entre a população residente em todo o país.
No documento é dado a conhecer ainda que “a região dos Açores contém cerca de 99 mil edifícios (3% do total do país) e cerca de 7% dos edifícios da região foram construídos antes de 1919”. Por outro lado, os municípios de Vila Franca do Campo, a par das Lajes do Pico, têm as maiores proporções de edifícios construídos entre 2006 e 2011.
A maior proporção de edifícios em Portugal com um ou dois alojamentos verifica-se, igualmente, na região dos Açores (98%), “distinguindo-se o município de Nordeste com 99,9% dos edifícios, a maior proporção da região. Por outro lado, a maior proporção de edifícios com três ou mais alojamentos regista-se no município de Ponta Delgada (3,4%)”.
No estudo agora divulgado, consta que a região dos Açores abrange uma superfície de 2,3 mil km2 onde residem cerca de 247 mil pessoas. Os municípios de Ponta Delgada (68 809) e Angra do Heroísmo (35 402) registam os maiores valores de superfície de território e de população residente, concentrando 42% da população residente na região. O município da Lagoa concentra o maior número de habitantes por km2.
Os municípios que apresentam menor número de residentes são Corvo (430), Lajes das Flores (1 504) e Santa Cruz das Flores (2 289), correspondendo aos municípios das ilhas ocidentais dos Açores.