Águas vivas e caravelas-portuguesas podem ajudar no tratamento de Alzheimer

água vivaA bióloga da Universidade dos Açores Ana Costa afirma, em declarações ao nosso jornal, que as águas vivas e caravelas-portuguesas presentes nas nossas praias podem ter um potencial farmacológico, especialmente no tratamento de Alzheimer.
“Neste momento, existem indícios que a actividade biológica da toxina das águas vivas pode ter potencial farmacológico em aplicações como analgésico e no tratamento de desordens neurodegenerativas como a doença de Alzheimer. Outras aplicações incluem a utilização da sua proteína fluorescente como marcador genético para detectar movimento de proteínas ou expressão génica em investigação médica, do desenvolvimento ou ambiental”, explica.

 

»»Ler mais na versão impressa