Trabalhadores da fábrica Unileite em greve

unileiteOs trabalhadores da fábrica Unileite estão desde as 00h00 de hoje em greve.
Em causa, segundo avançou a Antena1/Açores, está o aumento salarial de 2,5% pedido pelos funcionários da empresa. Uma reinvidicação a que a direcção da fábrica da lavoura recusa ceder.
“Não querem dar mais. Alegam que não têm condições, que os bancos não querem dar”, afirmou Guilherme Amaral, do Sindicato dos Trabalhadores Agroalimentares, em declarações àquele órgão, acrescentando que as empresas dos Açores “estão se aproveitando da actual situação de crise”.
“No sector dos lacticínios, há sempre possibilidades de dar um aumento mínimo, que é de 2% e é o que nós pedimos”, referiu Guilherme Amaral.
Há três anos que os trabalhadores da Unileite têm os vencimentos congelados, com ordenados que rondam os 600 euros, segundo o sindicato da fábrica.
A empresa tem obtido resultados anuais positivos.
Desde Março que as negociações têm acontecido através da Câmara do Comércio e Indústria, mas até agora não foi possível desbloquear a situação.
A direcção da Unileite nunca quis reunir com o sindicato.
“Já tentamos ter uma reunião com a direcção e nunca é aceite”, afirmou Guilherme Amaral.
A greve, que avançou hoje, não afecta a recolha do leite, sendo no interior da fábrica, na área do empacotamento, sobretudo, que a greve se poderá fazer sentir.