Parlamento Regional contra concentração de debates da RTP numa ilha

O Parlamento dos Açores aprovou ontem, por unanimidade, um voto de protesto pela decisão da RTP/Açores de concentrar numa única ilha os debates eleitorais durante a campanha para as eleições autárquicas.
“Esta medida não tem em conta a realidade geográfica dos Açores e penaliza, fortemente, as candidaturas de menores recursos financeiros, para além de afectar a mobilização das populações para a sua participação nestas eleições”, destaca o texto do voto, apresentado em conjunto pelo CDS, BE, PCP e PPM, mas aprovado também pelas bancadas do PS e do PSD.
Segundo a agência Lusa, Zuraida Soares, do Bloco de Esquerda, que apresentou o voto em plenário, entende que esta decisão da estação pública de rádio e televisão, justificada pela alegada falta de recursos financeiros, humanos e técnicos, é um “sinal claro” do “progressivo esvaziamento” a que a RTP/Açores está votada.
Berto Messias, líder parlamentar do PS, entende que o canal público de televisão “podia e devia” fazer debates televisivos “em todos os concelhos” dos Açores, em vez de os concentrar apenas em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.
Para o deputado do PCP, Aníbal Pires, a RTP/Açores está, com isto, a “condicionar” a campanha eleitoral, e a “afastar-se” da sua obrigação de serviço público.
Apesar de aprovado por unanimidade, o teor do voto de pesar foi contestado pelo PS, por incluir um parágrafo que critica o silêncio do Governo Regional sobre esta matéria, quando se exigia uma “condenação pública” em relação à “decisão centralizadora e anti-autonómica da RTP/Açores”.
“Os senhores não subscreveram o documento e ainda queriam alterar o seu conteúdo”, disse Paulo Estêvão, do PPM, em resposta às críticas do PS.
Também Artur Lima, do CDS, lamentou, durante a discussão do voto, que as bancadas do PS e do PSD não tenham subscrito inicialmente o documento, acusando-os de não se quererem comprometer, sempre que se fala de comunicação social.
José Andrade, da bancada do PSD, disse ser “censurável” que a RTP/Açores não tenha decidido dividir os debates sobre os 19 concelhos dos Açores pelas três delegações que a estação tem no arquipélago (Ponta Delgada, Angra e Horta), considerando que isso “desvaloriza” as próprias delegações.