Votação nos Açores nas autárquicas de 2013 foi a 2ª maior de sempre...

  • Imprimir

urna de votoNa noite das eleições, o Presidente do Governo fez um reparo importante ao problema da abstenção nos Açores. É quase um clássico, mas será que se justifica, quando inúmeros observadores falam de uma afluência como há muito não se via?
A verdade é que apesar do aumento da abstenção de 43,2% em 2009 para 45,99% em 2013, o número de votantes este ano apenas é inferior em 0,97% em relação a 2009, com uma diminuição de 1.193 votantes. O facto, no entanto, é que 2009 foi o ano em que houve mais votantes de todos os actos eleitorais autárquicos desde 1979, e com uma larga diferença: o que registou maior afluência anteriormente tinha sido o ano de 2005, mas apenas com 111.809 votantes.
Ou seja, 2013 está ligeiramente abaixo do ano em que todos os recordes tinham sido batidos, o que não é propriamente mau. E se for comparado com o número de votantes das Eleições Regionais, que apenas registou uma afluência de 107.783 votantes, trata-se de um aumento de quase 14%.
Mesmo assim, a ligeira diminuição registada para a totalidade do arquipélago tem leituras muito diferentes. Se for apenas contabilizada a realidade na ilha de S. Miguel, a verdade é que a votação é a maior de sempre – mais cerca de 2,8% do que há 4 anos. Já em relação à Terceira, a situação é diferente: uma redução de 2.406 votantes, o que representa uma quebra de 8,45% em relação a 2009.
A explicação para a forte redução de votantes na Praia da Vitóeia é explicada com a vitória certíssima do candidato local. No entanto, há reduções com algum peso em quase todas as ilhas! E isso provavelmente não se chama abstenção: pode ser sobretudo mais um sinal da redução populacional que afecta uma série de ilhas!