Acções de formação são sobretudo utilizadas pelos quadros superiores

  • Imprimir

acções de formaçãoSegundo a publicação “Balanço Social 2012”, lançada na semana passada pelo Observatório do Emprego e Formação Profissional, da Direcção do Emprego e Qualificação Profissional, no ano de 2012 foram ministradas 221 mil horas de formação profissional aos trabalhadores das empresas com 10 e mais trabalhadores – as que estão obrigadas a publicar o Balanço Social.
Mas há uma conclusão óbvia: as acções de formação foram sobretudo ministradas aos quadros superiores das empresas! O número até chega a ser superior a 100% em algumas categorias (o que sugere algum tipo de repetição da formação por trabalhador, embora a publicação não refira sequer qual o conceito usado ou qualquer outra explicação sobre o assunto). Numa “Breve Análise dos Resultados”, o responsável apenas refere que “em 2012 houve um total de 19.968 trabalhadores que frequentaram ações de formação profissional”, o que sugere que os dados se refiram apenas ao número de trabalhadores que as frequentaram. No entanto, o número de trabalhadores na posição de “quadro superior” que frequentaram acções de formação profissional representa 103,6% do total de trabalhadores nessa categoria nas empresas. Nos “Quadros Médios” o peso ultrapassa os 117%, e nos “Encarregados” 102%.
À medida que se baixa na hierarquia das empresas, a participação das acções de formação baixa consideravelmente, com apenas 21% dos profissionais não qualificados e 31% dos “Praticantes e Aprendizes” a frequentá-las.
No total, em média, cada trabalhador recebeu 11,1 horas de formação profissional em 2012. Mas quando se cruza com a formação académica, os trabalhadores com Mestrado receberam 18,9 horas de formação, enquanto que as pessoas com o 1º ciclo ou menos ficaram abaixo das 8 horas. Poder-se-ia falar num padrão de “quanto mais habilitação académica, maior a participação em acções de formação”, mas o caso dos licenciados não o permite: com uma média de apenas 1 hora de formação, estão muito abaixo da média em termos de horas (embora também possa ser um erro da publicação)